“A APAE é feita de esforços e atitudes
transformadoras, motivadas por
integrantes que acreditam no mesmo sonho.”
“Associação de Pais e Amigos
dos Excepcionais

Notícias

Clínica Uni Duni Tê e Amamenta Brusque realizam oficinas voltadas aos recém-nascidos

Oficinas acontecem todas as segundas-feiras de agosto com temas voltados à amamentação e à saúde da criança, com ênfase nos primeiros dias após o parto


Agosto é o mês escolhido pelo Ministério da Saúde para promover o aleitamento materno e, por isso, é conhecido como Agosto Dourado. O leite materno é considerado alimento ouro na alimentação dos recém-nascidos e único alimento recomendado do nascimento até os seis meses de vida. Em Brusque, durante todo o mês, a programação voltada ao tema é extensa. Uma delas ocorre na Clínica de Terapia Integrada Uni Duni Tê e teve início dia 5 de agosto, com uma roda de conversa com as mães que amamentam para tirar dúvidas e compartilhar uma experiência em comum: os primeiros dias de vida dos seus bebês. A programação na Clínica ocorre nos dias 5, 12, 19 e 26, a partir das 14 horas.
Mamães que deram à luz a seus recém-nascidos no mês de agosto e têm ido à Uni Duni Tê para fazer os Testes da Orelhinha e do Pezinho também têm encontrado as profissionais do Amamenta Brusque todas as segundas-feiras realizando oficinas com temas voltados à amamentação e à saúde da criança, com ênfase nos primeiros dias após o parto. "Já tivemos a oficina sobre sling, teremos oficina de bolsas de sementes, principalmente para os primeiros dias, quando começam as cólicas. Entendemos que são nesses primeiros dias que a mulher mais precisa de apoio", destaca a enfermeira do Serviço Amamenta Brusque, Sheila Neves.

Parceria
Há muito tempo a Clínica de Terapia Integrada Uni Duni Tê, unidade de serviço da Apae Brusque, atua no incentivo à amamentação no município, como é destacado pela coordenadora da unidade, Valdete Battisti Archer. "Tivemos alguns parceiros e funcionários que tinham esse interesse principalmente as enfermeiras. Elas divulgavam esse trabalho de amamentação, dando apoio para a mãe. Ao longo dos anos foram surgindo outras parcerias, das quais continuamos agora, principalmente com o Amamenta Brusque. Elas vêm aqui de segunda à quinta, no período da tarde, para dar justamente DAR esse apoio para as mães", detalha.
Segundo ela, todo mês de agosto a clínica busca retomar o que é feito o ano inteiro, porém com uma ótica maior para que todas as pessoas possam ajudar a mãe a poder amamentar. “O círculo de apoio da mãe é importante. É um momento que ela está se recuperando do parto, então esse apoio de todos é fundamental, para favorecer a amamentação como um objetivo maior", comenta Valdete.
Assim, a parceria na realização das oficinas de agosto na sede da entidade é fundamental para a continuidade deste atendimento. "O objetivo das oficinas é incentivar para que as mães possam superar todas as dificuldades ou necessidades de orientações ou qualquer tipo de apoio que venha garantir esse sucesso na amamentação. Cada pessoa tem uma necessidade individual", destaca a coordenadora.

Sling
Na segunda semana de agosto uma oficina de sling encheu os olhos de mamães e papais de curiosidade sobre essa técnica ainda não tão utilizada, mas que pode ser muito útil no dia a dia com a criança. A técnica consiste em oferecer um contato mais próximo e íntimo com o bebê, e favorecer o aleitamento materno por conta do posicionamento e conexão entre mãe e filho através do tecido comprido que envolve a criança e a pele da mãe. Mas o papai também pode se beneficiar da técnica. Basta fazer as amarrações, encaixar o bebê corretamente no tecido, que é o ideal para a posição fisiológica do bebê.
A fisioterapeuta da Secretaria Municipal de Saúde, Karoline Favero, foi a responsável por ensinar as técnicas do sling na oficina. "O sling traz benefícios para a mãe e para o bebê. A mãe pode fazer suas tarefas do dia a dia, com as mãos livres, com mais facilidade. Para o bebê, o principal benefício é que ele ficará mais calminho, mais tranquilo, favorece o desenvolvimento psicológico dele, cresce com mais segurança, dorme melhor, acalma as cólicas por conta da posição e diminuição do refluxo", explica.
A fisioterapeuta comenta que o sling não tem nenhuma contraindicação. Pode ser utilizado em recém-nascidos e o único cuidado que é preciso ter é com relação ao posicionamento. Normalmente, pode ser utilizado até os três anos da criança. "Nessa idade ainda é confortável para os pais carregarem seus filhos, até que eles consigam carregar, e tenham vontade de carregar no sling, é possível".

Experiência compartilhada
Assim que o pequeno Juan Bitencourt Ortiz nasceu, a mamãe de primeira viagem Ana Paula Bittencourt foi direcionada à Clínica Uni Duni Tê para fazer o Teste do Pezinho. Enquanto aguardava sua vez para ser atendida, foi abordada pelas profissionais do Amamenta Brusque. Em meio a esclarecimentos de dúvidas, ficou sabendo das oficinas do mês de agosto na instituição onde estava. "Como ganhei no chá de bebê o sling, e eu não sabia usar, vim para prestigiar o trabalho delas e aprender".
E por falar em aprender, os primeiros dias de vida do pequeno Juan tem sido uma experiência única entre mãe e filho. Aos doze dias de vida lá estava ele no colo da fisioterapeuta Karoline durante a demonstração de como usar o sling. A mamãe Ana Paula era só orgulho por dividir esse momento com outras pessoas. "Realmente só quando você está vivendo isso que você percebe que é por um bem maior. É pensando na saúde futura dele que você persiste e vai buscando esse auxílio, que ainda bem que a gente tem em Brusque, para realmente conseguirmos vencer esse período", detalha.

Conheça a Uni Duni Tê
Com uma equipe multidisciplinar, formada por Pedagogas, Fonoaudióloga, Fisioterapeuta, Psicóloga, Assistente Social e Enfermeira, a Clínica Uni Duni Tê tem uma série de trabalhos voltados desde a prevenção em relação ao desenvolvimento infantil, que são os acompanhamentos do desenvolvimento e as intervenções precoces. Somente o Teste do Pezinho possui atualmente uma média mensal de 180 atendimentos e o Teste da Orelhinha cerca de 200 atendimentos por mês. Já o acompanhamento do desenvolvimento chega, em média a 800 atendimentos mensais, com o objetivo único de atuar preventivamente nos primeiros anos de vida da criança, pois é ali que surgem as principais aquisições.
A Clínica de Terapia Integrada Uni Duni Tê atende das 7h30 às 12h e das 13h às 17h30. Para atendimento dos Testes do Pezinho e Orelhinha o atendimento ocorre somente no período da tarde, de segunda à quinta-feira, das 13h às 16h. O telefone para contato é o (47) 3351-2482 (ramal 5) ou também pelo (47) 9 8424-0617.

Doação de leite materno
Para as mamães que amamentam seus bebês e que possuem produção em excesso, podem ser doadoras de leite materno para recém-nascidos que estão internados nas UTIs neonatais. Basta fazer contato com o Amamenta Brusque através do telefone (47) 3255-6800 ou através das unidades Básicas de Saúde (UBS). O leite é coletado e encaminhado para Blumenau, onde será pasteurizado. O gesto voluntário de amor através da doação pode amamentar outras crianças. O Amamenta Brusque atua com sede no segundo andar do Centro de Serviços em Saúde, localizado no Centro de Brusque.

Leia +16/08/2019

Café com Bingo do Clube de Mães da Apae de Brusque acontece na próxima terça-feira, 13 de agosto

Evento é realizado na sede da instituição

A tarde do próximo dia 13 de agosto, terça-feira será de muita descontração e alegria com a realização de mais um Café com Bingo do Clube de Mães da Apae de Brusque. O evento acontece a partir das 14h na sede da instituição e o valor de R$ 15 dá direito a duas cartelas de bingo por pessoa e café. Os participantes também podem contribuir com brindes, se quiserem.

Para grupos ou Clubes com mais de dez pessoas, interessados em participar, é necessário entrar em contato para reservar lugares. Mais informações com Aline, pelo telefone (47) 3351-2482 ou com Clara, no (47) 3355-0691.
Leia +06/08/2019

Prestação de contas referente a 6ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria Municipal de Saúde de Brusque.

Leia +18/07/2019

Prestação de contas referente a 7ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura Municipal de Brusque.

Leia +08/07/2019

Café com Bingo do Clube de Mães da Apae de Brusque acontece na próxima terça-feira, 9 de julho

Aquele café delicioso, acompanhado da torcida para ganhar ótimos brindes, e de companhias agradáveis e divertidas. Assim deverá ser a tarde de terça-feira, 9 de julho, com mais uma edição do Café com Bingo do Clube de Mães da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. O evento acontece a partir das 14h na sede da instituição e o valor de R$ 15 dá direito a duas cartelas de bingo por pessoa e café. Os participantes também podem contribuir com brindes, se quiserem.
Para grupos ou Clubes com mais de dez pessoas, interessados em participar, é necessário entrar em contato para reservar lugares. Mais informações com Aline, pelo telefone (47) 3351-2482 ou com Clara, no (47) 3355-0691.
Leia +02/07/2019

Atenção - Notícia sobre processo seletivo para Apae de Brusque é falsa

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque informa que a notícia que tem circulado a respeito de um suposto processo seletivo, para a contratação de profissionais para atuarem na instituição é falsa.

O link com acesso ao cadastro, em nome da Federação das Apaes https://apae.balcaorh.com/?br, que tem circulado em grupos de conversa de Whats App e em demais redes sociais é considerado fake news. A instituição pede para que a comunidade de Brusque e região fique atenta e não corresponda à solicitação.

A contratação de professores que atuam na Apae de Brusque é feito através de processo seletivo e através de chamada pública, pela Fundação Catarinense de Educação Especial. Quando há necessidade de contratação de demais profissionais, a divulgação é feita oficialmente no site e redes sociais oficiais da Apae de Brusque.

Contamos com a colaboração de todos.
Leia +01/07/2019

Apae Brusque promove Papo de Salão para mães e cuidadoras

A Apae Brusque realizou na noite de segunda-feira, 24 de junho, o Papo de Salão. O evento contou com a parceria de diversos profissionais da área de beleza e bem-estar e reuniu diversas mães e cuidadoras. “O propósito do Papo de Salão é cuidar de quem cuida. Sempre tivemos esta preocupação, tanto que em 2018 criamos um Projeto para esse fim, e foi materializado em quatro Encontros, onde reunimos as famílias cuidadoras e discutimos diversos temas de interesse deles. Entendemos que o cuidador da pessoa com deficiência, ao longo do tempo, passa por desgaste emocional e físico. E pensando nisso, porque não criar um momento só para eles? E baseado neste trabalho tão gratificante de 2018, agora o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês, realiza o Papo de Salão, que segue nessa essência de “cuidar de quem cuida”, conta a assistente social da Apae Brusque, Jeane Souto.
O evento reuniu quase 40 mulheres entre vizinhas, amigas, parentes, mães e avós. A proposta era que cada participante trouxesse mais uma convidada. “Isso porque entendemos que quem cuida tem auxílios. Foi um momento em que não limitamos só para a cuidadora, mas para as pessoas que estão no ciclo de quem é cuidado. E só de vê-las felizes e contentes, para nós já basta”, revela Jeane.
Beleza enaltecida
Josiane dos Santos Campos foi uma das participantes do Papo de Salão. Mãe da Pietra, de 11 anos, aluna da Apae Brusque, ela conta que quase desmarcou o compromisso na última hora, mas foi a própria filha que a incentivou a participar. “Sempre participo dos eventos que são promovidos aqui e amei o Papo de Salão. Fiz o corte de cabelo, sobrancelha, esmaltação de unhas e agora farei a maquiagem. Foi muito interessante a Apae promover este tipo de atividade para as mães e cuidadoras, porque dá uma boa levantada na autoestima. Gostei muito de ter participado”, comenta.
Neide Moraes da Silva é avó do Germano, de 28 anos, aluno da Apae Brusque. Ela conta que há quase 10 anos não pintava mais as unhas, e saiu renovada do evento. “Deu para aproveitar muito. Hoje eu cortei e arrumei o cabelo, fiz sobrancelha e até as unhas, coisa que a gente esquece na vida, nesse dia a dia que temos. Agora ainda quero fazer uma massagem nas costas”, disse ela.
Parceiros
Para promover a ação, a Apae Brusque foi em busca de diversos parceiros. “Quando pensamos no Papo de Salão, vislumbramos exatamente o espaço de salão, com conversa, distração, diversão, entretenimento. E passamos a fazer contato com os diversos profissionais, que nos atenderam prontamente”, revela Jeane.
Na parte de corte de cabelo e escovação estiveram Cristiano Pinheiro, Fredy Morelli Belli e a Lótus Beleza. A Embelleze ficou com a parte de esmaltação de unhas e design de sobrancelha. Já o Senac trouxe a quick massagem (massagem rápida) e a drenagem linfática facial. A Marykay ficou responsável pela maquiagem, ensinando as técnicas da automaquiagem às participantes. Além disso, a Lari Cosméticos forneceu os brindes às participantes, que também ganharam um mimo feito pelas professoras da Apae.
Para o cabeleireiro Fredy Morelli Belli, participar de um evento como este se resume a uma palavra: gratidão. “Poder proporcionar a elas uma polida na autoestima, diante de todo trabalho que têm todos os dias, sem ter tempo até de se olhar no espelho, é incrível. Por isso o sentimento de estar aqui é gratidão. E junto com ela está tudo, o amor, a felicidade, as coisas que envolvem esse tipo de trabalho. É impressionante ver como elas estão felizes”, comenta.
O cabeleireiro Cristiano Pinheiro também falou sobre a satisfação de participar do evento. Ele, que cresceu tendo o exemplo da mãe, que fazia trabalhos semelhantes em hospitais e depois em casa de idosos. “Essas ações sempre fizeram parte da minha vida, já fiz alguns eventos aqui mesmo na Apae, mas desta vez fiquei ainda mais contente pelo fato de ter mais profissionais envolvidos”, enfatiza.
A organização do evento ficou por conta da equipe do Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês, professores e profissionais do setor administrativo. “Conseguimos reunir profissionais, que têm serviços de estética e beleza com relevância e, assim, oferecemos o melhor para as melhores”, reforça Jeane.
A APAE agradece o apoio e carinho de todos os profissionais parceiros, que somado a muitas mão e corações contribuíram para a concretização deste evento.

Leia +28/06/2019

Pedágio da Apae de Brusque arrecada mais de R$ 36 mil

Evento que contou com a colaboração de voluntários ocorreu na sexta-feira, 7, em Botuverá, e neste sábado, 8, em Brusque

O sábado ensolarado do dia 8 de junho foi especial para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, com a realização de mais uma edição do pedágio da entidade. Na oportunidade cerca de 200 voluntários estiveram em 13 pontos estratégicos da cidade, no período da manhã, para a arrecadação de valores.
Da mesma forma na sexta-feira, 7, o pedágio em prol da instituição foi realizado na cidade de Botuverá, onde foram contabilizados R$ 2.302,90. Já em Brusque a ação deste sábado alcançou o valor de R$ 33.704,02. Assim, o Pedágio 2019 da Apae de Brusque arrecadou um total de R$ 36.006,92 em 2019, que a partir de agora irão auxiliar a entidade na manutenção de seus serviços.
“Queremos agradecer a todos os voluntários que atuaram no pedágio e fizeram a sua doação. Esse valor é muito significativo e vem ao encontro das necessidades da Apae. O nosso muito obrigado, de coração, a todos que doaram seu tempo ou algum valor a essa causa”, comentou o presidente da entidade, Sebastião Ernani Póia.

Mãos que ajudam
Ao longo do sábado, o que se viu foi o apoio da comunidade, que contribuiu das mais diversas formas: tanto quem trafegava no trânsito como quem circulava próximo aos pontos de coleta, a pé ou de bicicleta.
Da mesma forma, diversos voluntários, vestidos com coletes amarelos e com o símbolo da instituição deixaram suas atividades de lado para se dedicar à causa. De veículo em veículo e até entre os pedestres eram feitas as abordagens, geralmente retribuídas com alegria.
A auxiliar de escritório Karina Schveitzer, esteve pela primeira vez como voluntária em um pedágio da Apae. Ela, que já participou de outros pedágios como voluntária esteve com amigos na ocasião e falou da alegria em poder colabirar para a entidade. “É muito bom ajudar, as pessoas foram muito receptivas e é muito bom poder fazer parte disso, ajudar”, comentou.
O sentimento de alegria e satisfação foi o mesmo compartilhado pela administradora Betânia Voltolini, que há sete anos atua no pedágio da Apae. Para ela, poder contribuir para uma entidade que realiza um trabalho tão significativo na cidade e região foi compensador. “Quem ganha, sem dúvida somos nós, voluntários. É muito bom estar aqui, encontrar amigos e conhecidos e poder colaborar para essa causa. Viemos pela alegria que é participar e em poder ver a contribuição de muitas pessoas, que às vezes doam valores duas, três vezes”, ressaltou.
Também há sete anos participando como voluntário no pedágio da entidade e em outras atividades realizadas pela Apae de Brusque, o engenheiro civil Braulio Rocha não deixou de marcar presença em mais um pedágio e encerrou a manhã de sábado com a sensação de mais um dever cumprido. “O sentimento é recompensador. A Apae realiza um trabalho extremamente importante e estar aqui e doar é o momento de consciência de cada um, em poder contribuir de alguma forma. Estou muito feliz em poder ter ajudado, mais uma vez”, completou.
Leia +08/06/2019

‘Boas condutas’ é tema de palestra para alunos da APAE Brusque

Disciplina, leis, regras, valores morais e bom comportamento, foram assuntos abordados pelo policial militar Guilherme Sedrez, durante palestra para usuários do Centro de Convivência Ruth de Sá, da APAE Brusque, na manhã de terça-feira, 21 de maio. Conforme o policial foi apresentando vídeos e conversando sobre atitudes corretas e sobre o que não se deve fazer, os alunos foram interagindo e trocando informações com o convidado.
Para Miria Taise Burini, a aula sobre boas condutas foi muito proveitosa. “Nós sempre conversamos com a professora sobre o caminho do bem e o caminho mal, e que devemos sempre escolher o caminho do bem. E o policial também mostrou sobre isso, sobre ter respeito com os amigos, sobre não tratar os outros mal, e sobre combater a violência. Foi muito boa a palestra e achei muito bonito o que ele falou”, conta a aluna.
A palestra de Sedrez, foi uma proposta das professoras Joice Diegoli e Sandra Waldrigues, para reforçar com as turmas, principalmente, questões de relacionamento pessoal. “Percebemos que os alunos têm trazido algumas problemáticas, até mesmo com o uso de mídias, como o whats app, que é algo novo para eles. Nem sempre, dão a devida importância para a fala da família ou da professora, e não percebem que existem leis, que não pode ser feito qualquer coisa. Então, a ideia de trazer um policial, que é um profissional que impõe respeito, para falar sobre boas condutas, deu certo e percebemos que foi bom, para que eles percebessem o quanto a vida é bonita para quem escolhe o caminho do bem”, descreve Sandra.
Na avaliação da professora Joice, o efeito da conversa de Sedrez com os alunos, foi imediato. “Eles captaram bem a mensagem de que devemos manter o respeito com os colegas, não invadir a privacidade do outro, e principalmente, como se relacionar pelo whats app. Em uma outra turma, que assistiu a palestra na semana passada, percebemos que aqueles que tinham atitudes inadequadas, se deram conta de que estavam agindo errado e de que precisam mudar. Uma coisa muito interessante também, foi que o policial falou com os alunos sobre o programa ‘Jeito Catarinense de Ser’, que visa a prática de boas ações e entregou para cada aluno, um cartão verde e um cartão vermelho, para que eles se manifestem diante de exemplos bons e ruins. Então, um aluno passou a prestar mais atenção no que o outro estava fazendo, e a utilizar os cartões para enaltecer uma atitude positiva ou chamar a atenção do colega, diante de algo inadequado”, detalha Joice.

Experiência
Para o policial militar Guilherme Sedrez, a conversa com alunos da APAE Brusque foi uma experiência diferente. “A Polícia Militar mantém alguns projetos como o Proerd junto aos estudantes do Município e também costumamos realizar visitas nas escolas regularmente, para um trabalho de conscientização, mas foi a primeira vez que tive a oportunidade de palestrar para alunos da APAE e foi muito bacana. É recompensador ver a satisfação deles em conversar, trocar ideias e em conhecer a viatura da Polícia. Tivemos a oportunidade de falar sobre as condutas que se espera de qualquer pessoa, seja criança, estudante ou idoso, todo cidadão precisa respeitar os seus limites e saber o que pode e o que não pode fazer. Falamos sobre o trabalho da Polícia, que é auxiliar a comunidade e as pessoas de bem. Enfim, conversar sobre algo sério, mas de forma lúdica, para que eles compreendam a importância de seguir as regras, seja em casa, na escola ou no trabalho, e de se relacionar bem em sociedade. Foi uma interação muito legal e deixei o convite para que eles visitem o Quartel da Polícia Militar”, declarou Sedrez.
A diretora executiva da APAE Brusque, Rosecler Ceratti Foletto, reforça o compromisso da entidade em preparar os alunos para conviverem em sociedade. “Nesse sentido, é sempre bom trabalharmos as regras, o comportamento, a disciplina, e contar com apoio externo, como da Polícia Militar, ajuda eles a entenderem melhor. É uma forma de aprendizagem com resultados imediatos e permanentes, pois os alunos lembram da visita do policial com frequência e sobre o que foi conversado com ele. Nossa proposta é continuar fazendo essa mediação, com foco no respeito e nas boas condutas”, salienta Rose.
Leia +25/05/2019

Mães da APAE Brusque recebem homenagem

“Mãe: palavra pequena, mas com um significado enorme. Um sorriso caprichado, um abraço bem apertado, um beijo carinhoso, um presente esperado. Não precisa ter riqueza, para agradar com clareza. Basta um simples gesto e já exalta sua nobreza. Para você neste dia: uma demonstração de amor”.
Declamação de poesia, apresentação musical e um desfile representando diferentes tipos de mães fizeram parte da homenagem realizada para as mamães da APAE Brusque, por usuários do Centro de Convivência da entidade, durante a manhã de sexta-feira, 10 de maio.
O momento especial foi preparado com carinho e criatividade durante as aulas de artes, com a professora Carla Cervi. “A homenagem faz parte do cronograma interno de atividades, e foi apresentada para as mães que trabalham e frequentam a entidade. Ficamos muito felizes com o desempenho dos alunos, que vêm sendo desafiados pela professora de artes, a desenvolver nossas propostas nas áreas de música, dança e artes cênicas”, explica a diretora executiva da entidade, Rosecler Ceratti Foletto.
A usuária da APAE Brusque, Marcia Marcos ficou emocionada com a homenagem. “Foi uma surpresa muito bonita e me fez sentir saudades da minha mãe, que já é falecida e era uma pessoa muito especial. Também lembrei de meu filho Daniel, de 10 anos, e agradeço pelo dom de gerar uma vida e ser mãe”, revela Marcia.
Ao final das apresentações, as mamães foram presenteadas com um doce personalizado, em formato de coração, que foi confeccionado pelo grupo de gastronomia da entidade.
Leia +12/05/2019

Alunos da APAE encenam Lava Pés e Santa Ceia em teatro de Páscoa

Alunos da APAE encenam Lava Pés e Santa Ceia em teatro de Páscoa



Apresentação foi realizada na manhã de quarta-feira, 17 de abril, por alunos do Centro de Convivência Ruth de Sá



Alunos do Centro de Convivência Ruth de Sá tiveram uma manhã especial nesta quarta-feira, 17 de abril. Em clima de Páscoa, 15 usuários da APAE apresentaram uma encenação do Lava Pés e da Santa Ceia, para os demais alunos que frequentam a instituição. Momentos como a procissão de ramos, o lava pés dos apóstolos e o partir do pão foram representados com perfeição, após um mês de preparação.

De acordo com a professora de Artes, Carla Cervi, que é quem propôs o teatro aos alunos, desde que a ideia foi apresentada para a turma, eles aceitaram e se empenharam muito, em cada ensaio, para fazer uma boa apresentação. “Assistimos vídeos, estudamos como aconteceu cada cena, e o resultado foi melhor que o esperado. Outros professores e profissionais ajudaram, a montar o cenário, a providenciar o figurino, e cada aluno desempenhou o seu papel da melhor forma. Para mim é um presente de Páscoa, estou muito feliz com o resultado”, descreve a educadora.

Miria Taise Burini, de 32 anos, interpretou o papel de Jesus Cristo e garante ter sido uma grande emoção. “Ficou muito bonito né. Eu gostei muito de fazer o papel de Jesus, de lavar os pés dos apóstolos, como sinal de que ele perdoou quem tinha enganado ele. E depois reparti o pão e o vinho, assim como Ele dividiu com os amigos dele na Santa Ceia”, declara Miria.

André Henrique Cesari, de 21 anos, também gostou bastante da experiência de contracenar com os colegas de sala. “Foi bem legal. Comemos pão e tomamos suco de uva, para fazer de conta que era vinho”, explica o aluno.

E a satisfação não foi sentida apenas por quem subiu no palco, mas principalmente, por quem assistiu ao teatro. “Eu achei muito bonito. Até chorei de emoção, porque a história de Cristo é muito tocante. O tempo de Páscoa nos faz refletir sobre muitas coisas, principalmente, o perdão”, considera Sandra Sani.

A diretora executiva da APAE Brusque, Rosecler Ceratti Foletto, destaca que a entidade quer diversificar os trabalhos que são desenvolvidos com os alunos e sempre tem buscado a opinião deles. “Muitas coisas que acontecem são fruto de propostas apresentadas e que eles escolhem fazer. Queremos que vivenciem experiências diferentes, que sejam boas para eles, para a vida, para o desenvolvimento deles, e que faça sentido. Alguns se descobrem nessas atividades e a equipe também começa a perceber o quanto mais se pode progredir na atuação junto a eles. Neste caso do teatro, eles encararam os papéis com responsabilidade e muita alegria. Estamos sempre buscando demonstrar o potencial que eles têm. O público que assistiu à apresentação ficou atento, concentrado, em silêncio e respeitou do início ao fim. E esse reconhecimento é muito bacana. Ao longo do ano, vamos ter outras oportunidades, que certamente, irão enriquecer o dia a dia dos usuários e da instituição. Estamos planejando para o segundo semestre uma mostra dos trabalhos desenvolvidos, para então trazer as famílias para conhecer e prestigiar”, observa Rose.

Leia +18/04/2019

Prestação de contas referente a 4ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria Municipal de Saúde de Brusque.

Leia +15/04/2019

Unidos pela Síndrome de Down

No dia 21 de março, é celebrado anualmente, o Dia Internacional da Síndrome de Down, com o objetivo de chamar atenção para a importância dos direitos igualitários, do bem-estar e da inclusão social. Não se trata de uma doença, a síndrome de down é uma alteração do material genético, quando as células do embrião são formadas com 47 cromossomos, ao invés de 46. Em Brusque, a APAE é uma das entidades que nasceu e vem cumprindo seu propósito de acolher e orientar famílias, ajudar no diagnóstico e proporcionar o desenvolvimento de pessoas com síndrome de down.
A menina Eloisa Westarb Bernardo, de 9 anos, é uma das crianças, beneficiadas com o trabalho realizado pela APAE, há mais de 60 anos. Dos quatro meses aos seis anos de idade, a mãe Rosana Westarb Bernardo frequentou a entidade junto com a filha. “A Eloisa é a caçula de quatro irmãos. Quando ela nasceu, e o médico nos disse que ela era uma criança especial, foi um susto, mas aos poucos fomos vencendo os desafios. O apoio da APAE foi fundamental e o trabalho de estimulação realizado fez toda a diferença. Eu tinha muito medo e me questionava se a Eloisa iria andar, iria falar, e fazer tantas outras coisas. E hoje vejo o resultado. Foram anos de luta, muito cansativos, mas eu não desisti e tenho muito orgulho da minha filha. Ela é uma menina inteligente, alegre, carinhosa, tem muitos amigos e gosta de estudar”, descreve a mãe.
Após ter concluído o trabalho de estimulação na APAE, Eloisa continua fazendo outras atividades, como fonoaudiologia e natação, que ajudam no seu desenvolvimento. Atualmente, ela frequenta o quarto ano, na Escola Anna Otília Schlindwein, no bairro Guabiruba Sul, onde a família reside. De acordo com Rosana, a menina leva uma vida normal. “A questão da inclusão já foi mais difícil. Hoje não tem mais tanto preconceito, pelo menos com a Eloisa. Ela está alfabetizada e adora ir para a escola. A única coisa que precisa avançar, é o fato de a educação regular não garantir o acompanhamento dela por uma professora especialista. O que se oferece hoje é um cuidador, porém, o nome já diz, um cuidador dentro da sala de aula, só ajuda a cuidar, mas não está preparado para auxiliar nas atividades didáticas, e principalmente, possibilitar que a criança aprenda dentro das suas necessidades, utilizando métodos específicos para tal. Não adianta só a família buscar recursos e arregaçar as mangas, se não temos esse tipo de suporte. Eu gostaria muito que a Eloisa tivesse um professor para ela. Eu sonho em vê-la cursando e se formando numa faculdade”, salienta a mãe.

O amor supera tudo
O exemplo de que com amor, tudo se supera, se repete na família do pequeno João Isaac de Oliveira, de oito meses. O segundo filho de Ana Paula Reis de Oliveira, nasceu prematuro e logo nas primeiras horas de vida foi diagnosticado com Cardiopatia e suspeita de Síndrome de Down, o que veio a se confirmar dias depois. “No início foi um choque, mas com o passar do tempo, vamos aprendendo e percebendo que para tudo tem solução. Desde o diagnóstico recebemos o apoio da APAE e estou disposta a fazer tudo o que for necessário para ver meu filho bem. Atualmente o que mais nos preocupa é a questão da Cardiopatia, já que o João está aguardando para fazer uma cirurgia do coração. Mas estamos na luta e cada conquista dele é uma alegria para toda a família. Ele veio ao mundo para nos ensinar que o amor supera tudo”, garante Ana Paula.
O zelo e dedicação aos filhos, demonstrados pelas famílias de Eloisa e João Isaac, representam um grande ganho no desenvolvimento das crianças com síndrome de Down. A coordenadora da Clínica Uni Duni Tê, Valdete Battisti Archer, observa que cada família acolhe a notícia da Síndrome de maneira diferente, e nem todas assumem o compromisso de buscar o desenvolvimento dos filhos. “Cada vez mais, temos tido muitos avanços nessa área. Hoje a sobrevida da pessoa com Síndrome de Down é bem maior que anos atrás e os estudos vêm evoluindo significativamente. Outro ponto importante, é que desde o ano passado, foi possibilitado aos pediatras que acompanham os partos, fazerem o encaminhamento de exames para confirmação do diagnóstico da Síndrome, nos casos de suspeita. Então, os hospitais aqui de Brusque já conseguem agilizar esse processo e dentro de 40 a 60 dias, as famílias já recebem esse parecer. E quanto mais cedo se inicia a estimulação dessas crianças, maiores serão os benefícios para o desenvolvimento delas”, explica a profissional.
Valdete destaca que o objetivo da APAE, através dos serviços prestados pela Clínica Uni Duni Tê, é garantir que as pessoas com Síndrome de Down, possam estar incluídas na sociedade, sem distinções. “Nosso trabalho visa explorar todo o potencial de cada criança. A estimulação permite minimizar ou até mesmo, extinguir atrasos, representando maior autonomia no dia a dia. Tem muitas crianças que passaram por aqui, que estão cursando o ensino regular, juntamente com colegas da mesma idade, e conseguem ter um bom desempenho. É claro, que muitas famílias, buscam também outros recursos paralelo à APAE, e tudo que for possível agregar, fará diferença no desenvolvimento da criança. E nesse sentido, a atenção e envolvimento da família, também faz muita diferença. É preciso primeiramente acreditar, para oportunizar e abrir os caminhos para o desenvolvimento. Nós, da Clínica Uni Duni Tê, acreditamos, oportunizamos, abrimos espaço e damos apoio para as famílias e seus filhos. Essa é a nossa missão diária”, ressalta a coordenadora.

Leia +21/03/2019

Prestação de contas referente ao Termo de Fomento nº 006/2018 - Assistência Social de Botuverá

Leia +12/03/2019

APAE Brusque inicia atividades com seus usuários nesta quinta-feira

Aproximadamente 50 educadores que atuam na APAE de Brusque, foram recepcionados com um café da manhã, nesta segunda-feira, 25 de fevereiro. O presidente da entidade, Sebastião Ernani Poia, a diretora secretária Maria Tereza Moritz Montibeller e a diretora executiva, Rosecler Ceratti Foletto, deram as boas-vindas aos professores e desejaram um bom ano letivo, destacando o quanto os profissionais são importantes para a APAE.
“Praticamente todos os professores que estavam ano passado, retornaram esse ano, e isso é muito bom. Temos quatro professoras novas, e desejo que se sintam bem acolhidas em nossa equipe. Não tenho dúvida de que teremos um ano maravilhoso e que realizaremos muitas coisas boas com nossos educandos. Estamos muito felizes em recebê-los. Gostaríamos de ter iniciado as atividades antes, mas temos que seguir o calendário estipulado pela Fundação Catarinense de Educação Especial”, declarou Poia.
Os educadores irão participar de três dias de formação, antes de iniciarem as atividades com os usuários do Instituto Santa Inês e Centro de Convivência Ruth de Sá, que serão recepcionados na quinta-feira, 28 de fevereiro, nos períodos matutino, das 7h30 às 11h30, e vespertino, das 13h às 17h. Já na Clínica Uni Duni Tê, os atendimentos de estimulação precoce serão retomados no dia 6 de março. Novos usuários interessados em realizar matrícula, devem entrar em contato pelo telefone (47) 3351-2482.

Formação
O primeiro dia de formação, contou com a participação do filósofo e educador Rodrigo Cesari, que conversou com os professores, sobre a necessidade de amar o que se faz. “Para se viver uma vida feliz é preciso saber qual a sua praia. Ser educador não é para qualquer um. O que os professores da APAE fazem, não é qualquer profissional que faz. Exige muito empenho, amor e dedicação. Estar aqui é muito mais que profissão. É vocação, é missão de vida. Lidar com a educação regular já é um desafio muito grande, mas trabalhar com educação especial, exige mais, não conhecimento técnico apenas, mas muito mais amor. Paulo Freire dizia que ‘Não tem como falar de educação, sem falar de amor’. E amar é a capacidade de se colocar no lugar do outro e fazer por ele, o que gostaria que fizessem por você. Quando o profissional se dispõe a isso, certamente consegue trabalhar com o sentimento de que aqui é o seu lugar, e esse é o segredo para viver uma vida feliz”, salientou Rodrigo.
A professora Valdete de Carvalho Andrade, que é pedagoga há 15 anos, concorda que o educador precisa trabalhar por amor. “Quando a gente trabalha na APAE, a gente esquece do mundo. Os alunos que frequentam a entidade, não vêm só em busca de conteúdo, mas atrás de um laço de afeto. E temos que ter a sensibilidade de entender o que eles nos transmitem através de um olhar, de um sorriso, e de pequenos gestos. É um processo lento, mas temos sempre que buscar fazer o melhor pelo aluno, fazer a diferença na vida dele, nos colocando no lugar dele e de sua família. Muito da essência deles, tem um pouco de nós. Eles são reflexo das nossas atitudes”, refletiu Valdete.
Atualmente, a APAE Brusque conta com 45 professores cedidos pelo Governo do Estado. De acordo com a diretora executiva, Rosecler Ceratti Foletto, a entidade pretende desenvolver novas propostas pedagógicas neste ano, que devem ser combinadas com ações capazes de demonstrar e chamar a atenção da sociedade de Brusque, para o potencial e necessidades do público atendido pela APAE, dando início a um processo para se pensar novos espaços para sua integração.
Leia +26/02/2019

APAE Brusque adquire novo equipamento para Teste da Orelhinha

Neste início de 2019, a Clínica Uni Duni Tê passou a utilizar um novo equipamento para realizar os Testes da Orelhinha. O exame que deve ser feito por todos os bebês nos primeiros dias de vida, para identificar problemas auditivos, é realizado de forma gratuita, em todas as crianças recém-nascidas que residem nos municípios de Brusque, Guabiruba e Botuverá, em parceria com a Secretaria de Saúde.
A diretora executiva da APAE Brusque, Rosecler Ceratti Foletto explica que o aparelho utilizado anteriormente, deixou de ser fabricado e diante da preocupação de o equipamento vir a precisar de alguma manutenção ou troca de peça, e não haver mais conserto, foi solicitado à Vara Criminal, recursos para a compra de um novo aparelho. “Encaminhamos um projeto ao Fórum e fomos contemplados com o recurso de R$ 39.500,00 para a aquisição do novo equipamento”, declara Rose.
Um dos grandes diferenciais observados pela fonoaudióloga da APAE de Brusque, Nathaly Thalita Soares, é a precisão durante o exame. “Esse equipamento dá maior segurança ao profissional, pois ele avisa se foi possível realizar o teste com eficácia ou não. O equipamento aponta possíveis interferências que impedem a continuidade do exame, evitando que sejam encaminhadas crianças desnecessariamente para investigação diagnóstica. Lembrando que crianças que apresentam falha na triagem são encaminhadas para o Centro de Referência Auditiva em Florianópolis”, detalha Nathaly.
A coordenadora da Clínica Uni Duni Tê, Valdete Battisti Archer, salienta o compromisso da entidade em oferecer à comunidade de Brusque, Guabiruba e Botuverá, serviços de qualidade que visam a prevenção de doenças, diagnóstico e desenvolvimento infantil de crianças, desde o nascimento, até os cinco anos e onze meses, de forma gratuita. “No caso do Teste da Orelhinha, são realizados em média, 170 atendimentos por mês. Vale observar, que o equipamento antigo fazia os mesmos testes que o novo faz, porém ele já tinha oito anos de uso e a substituição por um novo, proporciona mais tecnologia, agilidade e segurança”, descreve Valdete.

Leia +17/02/2019

APAE de Brusque é beneficiada com micro-ônibus adaptado

Veículo foi cedido à entidade através de um termo de cessão de uso por cinco anos

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Brusque (APAE) recebeu na tarde de sexta-feira, 8 de fevereiro, a concessão de uso de um micro-ônibus escolar para a instituição. O repasse foi feito através da Secretaria de Assistência Social e Habitação do município, que recebeu o micro-ônibus por meio de uma subvenção parlamentar do deputado federal Rogério Mendonça (Peninha) e do senador Dário Berger. Com isso, a partir de agora, pelos próximos cinco anos o veículo foi cedido para a APAE de Brusque para o transporte dos alunos atendidos pela entidade.
O ato do repasse, realizado na sede da instituição contou com a presença do presidente da APAE, Sebastião Ernani Póia, diretorias da entidade, do deputado federal Rogério Mendonça (Peninha), do prefeito de Brusque, Jonas Oscar Paegle, do vice-prefeito, José Ari Vequi, do secretário de Assistência Social e Habitação, Deivis Silva, do presidente da Câmara de Vereadores de Brusque, José Zancanaro, além de demais vereadores.
O micro-ônibus possui 24 lugares e é totalmente adaptado para cadeirantes. A APAE de Brusque já possuía um micro-ônibus para o transporte dos alunos, adquirido em 2005, entretanto sem acessibilidade. “O outro ônibus que tínhamos está com 14 anos de uso, sem adaptação e há anos estávamos pleiteando algo melhor para a nossa entidade. Fizemos a solicitação em 2017 e hoje recebemos esse grande presente. Estamos muito felizes e agradecemos pela colaboração de todos que foram sensíveis às causadas da APAE de Brusque, em prol da melhoria e qualidade de vida dos nossos 280 alunos”, declarou o presidente da APAE.
O veículo cedido será utilizado a partir do início das aulas da instituição este ano, no dia 28 de fevereiro.

Auxílio
O secretário de Assistência Social e Habitação de Brusque esclareceu a necessidade da assinatura do termo de cessão de uso, exigido pela legislação vigente, que não permite o repasse diretamente às instituições. “Precisamos fazer essa cessão pois dessa forma o veículo, provindo da emenda parlamentar, pode atender a APAE. Brusque está sendo bem vista pelo governo federal, através dessa doação, já que recebemos outro micro-ônibus, igual a este e mais um veículo, que serão destinados para as atividades da pasta, em especial o traslado de idosos em atividades recorrentes”, explicou Deivis.
Da mesma forma o deputado federal, presente no evento, enalteceu a importância do veículo no dia a dia da instituição, bem como o trabalho realizado pela APAE de Brusque, que é a primeira do estado de Santa Catarina e a segunda fundada no país. “Vi a atenção da instituição em atender seus alunos e depois de uma visita aqui, em 2017, me sensibilizei também para atender esse pedido. Felizmente os veículos solicitados ao Ministério de Desenvolvimento Social, também pelo próprio Dr. Jonas e Ari Vequi que estiveram em Brasília, foram atendidos e hoje concluímos esse pedido. Agradeço à prefeitura de Brusque que cedeu esse ônibus para a entidade, e percebemos a alegria de todos aqui, pois sem dúvida é algo que vem para suprir uma grande necessidade”, declarou.
Segundo o deputado, após o término do período de concessão de uso, exigido pela legislação será possível fazer com que a prefeitura de Brusque envie um projeto de Lei para a aprovação da Câmara de Vereadores, para que o veículo possa ser repassado de forma definitiva para a entidade.

A APAE de Brusque
Fundada em 14 de setembro de 1955, a APAE de Brusque é a primeira APAE formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado após o nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz. Em 2019 a entidade completa 64 anos, e Pierre é um dos seus alunos. Com ele, cerca de 300 alunos recebem atendimento diário.
Ao longo da trajetória da APAE, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A APAE Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.

Leia +11/02/2019

Prestação de contas referente a 2ª parcela do Termo de Colaboração Nº 001/2018/FIA/CMDCA da Prefeitura Municipal de Brusque

Leia +01/02/2019

Prestação de contas referente a 4ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura Municipal de Brusque.

Leia +19/12/2018

Prestação de contas referente a 3ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria Municipal de Saúde de Brusque.

Leia +19/12/2018

Projeto ‘Eu Ajudo na Lata’ contempla 9ª pessoa com cadeira de rodas

Wellington Guilherme Dias Silva de 9 anos foi o beneficiado

Para a maioria das crianças de 9 anos a lista de pedidos de presentes de Natal, nesta época do ano, é enorme, desde brinquedos, eletroeletrônicos, livros, até viagens e passeios em parques de diversão. Entretanto para o pequeno Wellington Guilherme Dias Silva, o presente de Natal já chegou antecipado e vai render muitos sorrisos a partir de agora. Isso porque ele foi o nono contemplado com uma cadeira de rodas adaptada, através do projeto ‘Eu Ajudo na Lata’.
A doação, realizada na tarde de quarta-feira, 19 de dezembro, foi ainda mais especial, já que esta é a primeira cadeira de rodas de Wellington, que até então dependia de outros utensílios para sentar, descansar ou se locomover, como um carrinho e cadeiras de praias.
Wellington nasceu prematuro, com 28 semanas e teve paralisia cerebral. Desde então os pais Wesla Daiane Lima Silva e Francisco Genilson Dias Silva dedicaram suas vidas em prol do bem estar e da qualidade de vida do filho, que agora permitirá melhores condições de saúde e de vida para toda a família. “A cadeira vai ajudar na postura dele, na coluna, já que ele está com desvio, e sem dúvida só trará melhorias. Para nós vai ser muito mais fácil a partir de agora, não vamos mais depender de outras cadeiras que adaptávamos, vamos poder sair com ele, passear. Por ser uma cadeira de custo muito alto não conseguiríamos comprar. Sem dúvida foi o melhor presente de Natal que poderíamos ter. Estamos muito felizes e agradecemos a todos que contribuíram para a campanha”, comentou a mãe, bastante emocionada.

Pequeno gesto, grande resultado
A campanha ‘Eu Ajudo na Lata’ é realizada desde 2014 pela Unimed Brusque em parceria com a Associação Empresarial de Brusque (ACIBr) e já contemplou nove pessoas com necessidades especiais, transformando a vida tanto dos beneficiados e das famílias. Para a aquisição da cadeira de Wellingtonforam necessários 695 kg de lacres, que totalizaram R$ 2.781,00.
Durante a entrega da cadeira, que ocorreu na Apae de Brusque, o vice-presidente da instituição, Renato Roda destacou a satisfação em ver mais um aluno ser contemplado, por meio de ações de toda a comunidade. “É uma atitude simples que pode mover muita gente. E o engajamento de toda a comunidade nessa campanha foi o que possibilitou a arrecadação dos recursos e garantiu o presente de Natal, e a alegria e emoção dessa família, e isso é algo que não tem preço”, declarou.
Da mesma forma a coordenadora da área de Responsabilidade Social da Unimed Brusque, Camile Rebeca Bruns destacou a importância da doação pela necessidade da família e que agora terá melhores condições de lidar com o pequeno Wellington. “Fechamos 2018 da melhor forma e hoje entendemos a emoção dos pais em terem sido contemplados, pois vimos de perto a realidade deles e quanto eles se esforçavam para adaptar carrinhos e outras cadeiras para o filho. Esperamos que mais pessoas e entidades possam se envolver em 2019 nessa campanha, para beneficiar ainda mais aqueles que não têm condições de adquirir uma cadeira dessas”, frisou.
A coordenadora administrativa da ACIBr, Bernadete Loos Moritz também frisou a importância das doações, que mesmo em pequenas quantidades contribuem de forma significativa para a campanha e transformam vidas. “Esse momento da entrega é sempre uma enorme satisfação. Cada ano entregamos mais cadeiras de rodas, fruto das vendas dos lacres, e essa é a nossa maior conquista e alegria, ver o empenho de todos que fazem esse projeto acontecer e dar certo”, completou.

Como colaborar
Para participar é necessário levar a doação dos lacres de latinhas de alumínio em algum dos postos de coleta da campanha, disponíveis na ACIBr, Unimed, CDL, Apae, e em demais entidades apoiadoras do projeto. Não é necessário doar um grande volume de lacres, qualquer quantidade é valida e já ajuda o projeto.
Os lacres são pesados, vendidos e o valor arrecadado é voltado para a aquisição das cadeiras adaptadas.

Saiba mais
Desde 2014 a campanha ‘Eu ajudo na Lata’ é realizada em Brusque e até dezembro de 2018, foram arrecadados mais de 7 mil kg de lacres.
As cadeiras de rodas adaptadas, adquiridas através da campanha já beneficiaram as seguintes pessoas com deficiência: Edson Francisco Furquim (24 anos), Marise Poli (24 anos), Nayane Monteiro dos Santos (4 anos), Daiane Cardoso Ribeiro (17 anos), Daniela Lessa Antunes (28 anos), Cauã Cesário dos Passos (11 anos), Richard Gustavo Teske (18 anos), Davi Matulle Cesaro (5 anos) e desta vez Wellington Guilherme Dias Silva (9 anos).
Todos eles são alunos das Apaes de Brusque, Guabiruba ou da Escola Charlotte. A escolha do beneficiado leva em consideração a necessidade do aluno e da família e a compra da cadeira envolve diversos profissionais para que a doação seja útil e adequada para cada tipo de deficiência.
São apoiadores da campanha: as Apaes de Brusque e Guabiruba, Escola Charlotte, Rotary, Lions Clube de Brusque Berço da Fiação, Rede Feminina de Combate ao Câncer, CDL Brusque, Unifebe, além de escolas particulares e instituições públicas de ensino.

Doação de lacres
Na última semana, a Escola de Ensino Fundamental Professora Georgina de Carvalho Ramos da Luz, fez a doação de cerca de 50 garrafas pets de dois litros cheias de lacres de latinhas de refrigerante. O montante foi destinado ao projeto “Eu ajudo na lata”, mantido desde 2014 pela Unimed Brusque, em parceria com a Associação Empresarial de Brusque (ACIBr).
“Todos os anos nós realizamos na escola a Gincana da Primavera. O evento reúne mais de 400 estudantes e a gente sempre trabalha com conceitos de reciclagem. Em 2018 lembramos do projeto que vende lacres de latinhas de refrigerante para a compra e doação de cadeira de rodas e decidimos ajudar com uma prova específica na gincana”, conta a diretora da escola, Maria Gorete Galassini Fantini.
Segundo ela, o desafio da gincana superou expectativas e a intenção é que a prova permaneça no cronograma do evento para o próximo ano. “É um material simples de recolher e que, possivelmente, iria para o lixo. Assim, temos a possibilidade de ajudar quem precisa”, avalia.
Para a gestora de Responsabilidade Social da Unimed Brusque, Camile Rebeca Bruns, as gincanas escolares são grandes parceiras do projeto “Eu ajudo na lata”. “Cada vez mais registramos esta participação das escolas através da doação do material. A comunidade também é engajada e deixa os lacres em garrafas ou potinhos aqui na Unimed, na sede da ACIBr ou mesmo na Apae”, detalha.

Leia +19/12/2018

Horários de atendimento da Clínica Uni Duni Tê para Teste do Pezinho

A APAE Brusque informa que a Clínica Uni Duni Tê estará realizando Teste do Pezinho até o dia 20 de dezembro (quinta-feira), das 13h às 16h. Na próxima semana, o atendimento será do dia 26 a 28 de dezembro (de quarta a sexta-feira) das 13h às 16h, e na primeira semana de janeiro, o Teste do Pezinho será feito nos dias 2 e 3 de janeiro (quarta e quinta-feira), das 13h às 16h.
Não haverá atendimento entre os dias 21 e 25 de dezembro e de 29 de dezembro a 1º de janeiro. A partir do dia 7 de janeiro de 2019, o Teste volta a ser feito de segunda a quinta-feira, das 13h às 16h. Para realizar o Teste do Pezinho, é preciso apresentar Certidão de Nascimento ou Declaração de Nascido Vivo (Folha Amarela), Caderneta de Saúde do Bebê, Cartão do SUS da mãe ou do pai, cópia do comprovante de residência e documento pessoal dos pais.
Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (47) 3351-2482 (Ramal 5) e (47) 98424-0617.


Horários de atendimento para Teste do Pezinho

17 a 20 de dezembro, das 13h às 16h
26 a 28 de dezembro, das 13h às 16h
2 e 3 de janeiro, das 13h às 16h
7 a 10 de janeiro, das 13h às 16h

*Não haverá atendimento entre os dias 21 e 25 de dezembro e de 29 de dezembro a 1º de janeiro.

Leia +17/12/2018

Um dia para se divertir e recordar

Enquanto no termômetro, a temperatura chegava a quase 40ºC, usuários do Centro de Convivência Ruth de Sá, da APAE Brusque, aproveitavam a quinta-feira, 13 de dezembro, para fazer um passeio de lazer e se refrescar nas piscinas do Mineral Água Park.
Cerca de 60 usuários, acompanhados de 30 profissionais da APAE, vivenciaram um dia diferente no complexo aquático, regado a muito sol, água, protetor solar e diversão. Elisete Noldin, de 56 anos, não conhecia o local e adorou a oportunidade. “É muito gostoso aqui. Pudemos nos refrescar nas piscinas e foi um passeio muito legal”, avalia.
Para João Carlos Cervi, de 49 anos, o dia no Mineral Água Park também foi especial. “Eu adoro tomar banho de piscina. Já tinha vindo aqui, mas é a primeira vez que venho com meus amigos da APAE e nos divertimos muito. Mergulhei e nadei bastante. Foi muito bom”, garante João.
Ao longo do dia, o grupo de amigos do Centro de Convivência, pode sair da rotina, confraternizar e interagir com outras pessoas que passeavam no parque. De acordo com a coordenadora do CECON, Ana Paula Schramm, a ideia era promover um passeio que pudesse integrar todos os usuários, independentemente, do nível de funcionalidade de cada um. “Pensamos em algumas opções de lugares e surgiu a oportunidade de virmos ao parque aquático. Muitos nunca tinham participado de um passeio assim e foi muito gratificante ver a alegria e entusiasmo deles em vivenciar essa experiência diferente, de socialização e diversão”, salienta Ana Paula.
O psicólogo Helton Horner, também enaltece os pontos altos da atividade. “Essa foi a primeira vez que conseguimos realizar um passeio desse porte com todos os usuários, incluindo os cadeirantes, e outros com baixo nível de funcionalidade. Por isso, foi um dia de lazer muito significativo. Alguns não quiseram entrar na piscina, mas quem entrou curtiu bastante. Para os usuários com alto índice de apoio, a água traz uma certa independência para deslocar o corpo, se mover e se divertir. Também foi importante para fortalecer a relação entre usuários e a equipe. Apesar de ser um desafio, diante da questão da acessibilidade, alcançamos o objetivo de proporcionar uma experiência diferente a esse grupo do CECON. Ver a felicidade deles é a maior recompensa. E esse tipo de atividade, nos ajuda ainda, a pensar com muito mais intensidade a ideia de inclusão e de essas pessoas frequentarem mais os espaços públicos. É preciso insistir e investir nisso. Eles têm o direito e devem estar presentes em todos os espaços possíveis, seja um parque aquático, num jogo de futebol, num teatro,... E a comunidade precisa despertar para isso, e cada vez mais, dar condições para isso acontecer”, destaca Helton.
Leia +14/12/2018

Alunos da Apae de Brusque fazem apresentação musical

Alunos do Instituto de Educação Santa Inês (ISI) da Apae de Brusque participaram na tarde de sábado 1º de dezembro de um evento especial. Na oportunidade 12 deles fizeram uma bela apresentação musical durante um evento com diversas atrações de Natal promovido pelo Shopping Gracher. A apresentação contou com músicas do Jota Quest e Tim Maia, interpretada pelos alunos, coordenada pelo assistente social da Apae, Juliano Ferreira, pelo psicólogo da entidade, Helton Horner, com participação especial de Marcelo Gomes. A música faz parte de diversas atividades proporcionadas a todos os alunos da Apae. Os ensaios do grupo para a apresentação iniciaram há mais de um mês e, após o desempenho dos alunos a ideia é dar continuidade ao projeto e formar um Coral. A Apae de Brusque agradece o convite do Shopping Gracher e parabeniza todos os alunos pela linda apresentação que encantou dezenas de pessoas na oportunidade!ather Assessoria e Comércio Internacional.
Leia +01/12/2018

Alunos Apae de Brusque se formam em cursos profissionalizantes

Alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque viveram um momento especial na noite de quinta-feira, 22 de novembro. Isso porque oito deles tiveram a oportunidade de receber certificados de conclusão de Cursos Profissionalizantes.
A cerimônia de entrega, realizada no Instituto Federal Catarinense (IFC) Campus Brusque, teve como objetivo ressaltar a importância da capacitação profissional de pessoas com deficiência intelectual e a sua valorização enquanto sujeito de direitos. O evento foi emocionante e de extrema importância já que é a primeira formatura do gênero para alunos da Apae de Brusque que, em sua maioria, nunca haviam vivenciado esta experiência de formação.
Receberam os diplomas os alunos: Camila da Silva Esser; Henrique Joaquim Vatte; Leomar Pacheco Mello; Luís Carlos Alves Fernandes; Marcelo Antônio Knhis Mafra; Rodrigo Lima de Oliveira; Sebastião Gomes Neto; e Sergio Antônio Schork. O evento contou com a participação dos formandos, de professores, representantes das entidades parceiras, convidados, amigos e familiares.

Parcerias
Os cursos profissionalizantes totalizaram 68h e foram voltados pessoas com deficiência intelectual. Ao todo, foram três capacitações: Informática Básica adaptada, em parceria com o Centro Municipal de Inclusão Digital (CMID); ciclo de Oficinas Sobre o Mundo do Trabalho, em parceria com o Centro de Integração Empresa e Escola (CIEE); e o curso ‘Espaço Geográfico de em Transformação: espaço vivido e as práticas espaciais – contribuição para inserção social’, em parceria com o IFC Campus Brusque.
“Todos os conteúdos foram apresentados de forma lúdica, onde buscamos nos aproximar da realidade dos alunos, e em proporcionar a eles vivência, debates, informação, formação de opinião e principalmente estimular o protagonismo, a independência e o potencial de cada um. Além de ensinar aprendemos com cada um e ficamos felizes com o aprendizado e evolução deles”, descreveu a assistente social do Centro de Integração Empresa e Escola (CIEE), Ana Paula Carvalho.
O vice-presidente da Apae de Brusque, Renato Roda destacou na oportunidade a importância da formatura e das parcerias que tornaram as capacitações possíveis, bem como o trabalho que deve ter continuidade para formar cada vez mais alunos. “Um dos objetivos da Apae é o de inclusão e socialização dos alunos, mas também é mostrar para a sociedade do que eles são capazes de fazer, pois muitas vezes desconhecemos o potencial de cada um. E através das oportunidades que conseguimos dar a eles, com as parcerias que fizemos, foi possível essa conquista. Sem dúvida é o início de um processo que será repetido e aprimorado”, destacou.
O secretário de Assistência Social e Habitação de Brusque, Deivis Silva também presente na solenidade falou sobre a validade dos diplomas entregues na ocasião, que tem um significado ainda maior para as pessoas com deficiência, já que comprovaram ainda mais as suas capacidades de aprendizado.
A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Comdef) de Brusque também ressaltou na solenidade a importância do ato, que transformou na prática o verdadeiro significado da palavra inclusão após a capacitação dos alunos que agora estão aptos para o mercado de trabalho. “Ainda há muito a ser feito, mas o olhar atendo às mais amplas necessidades da pessoa com deficiências nos motiva a continuar buscando e trabalhando por seus direitos. Parabéns a Apae e a todos os parceiros que possibilitaram isso”, frisou Liliane.
O diretor do IFC Campus Brusque, Hélio Maciel Gomes em seu discurso falou sobre o momento de superação e da importância da instituição em ensinar e também aprender com os jovens. “Foi um desafio e uma emoção muito grande ver o crescimento dos alunos. O IFC é uma instituição de ensino pública, que tem como objetivo formar pessoas, desde que elas aprendam com o coração. Estamos em Brusque para mudar a vida das pessoas através da educação e é uma grande alegria participarmos desse processo e desse momento de superação”, comentou.

Exemplo de superação
A solenidade de entrega de diplomas contou ainda com a presença do fisioterapeuta, fundador da Associação dos Deficientes Visuais de Brusque e região (ADVB) e criador da Central de à Pessoa com Deficiência de Brusque (CEPED), Sidnei Pavesi.
Em sua palestra, Pavesi falou da importância da busca pela capacitação das pessoas com deficiência, que deve ser contínua e resistir às tantas barreiras que surgem ao longo desse processo. Também contou a sua própria trajetória e sua luta para conquistar independência, bem como a necessidade do apoio familiar que é indispensável para o incentivo e crescimento das pessoas com deficiência. “O ser humano só é completo e pleno quando consegue contribuir para a sociedade. E todos nós temos e podemos oferecer algo à sociedade, por isso esse momento hoje é tão importante. Acredito que esses certificados são um motivo de orgulho e dignidade a essas pessoas, que começam a experimentar a plena cidadania, por meio do mercado de trabalho”, complementou.

Sonho realizado
Com direito a entrada no auditório e música personalizada, os oito alunos, um por um, receberam os diplomatas dos cursos e não escondiam a euforia do grande passo conquistado. Na plateia, amigos e familiares vibraram e se emocionaram com o ato. “Para nós, toda conquista deles é muito grande, pois para eles é tudo mais difícil. Agradeço muito a Apae que proporciona novas descobertas e novos limites para serem ultrapassados. Para o Marcelo foi algo grandioso e o sorriso no semblante dele, é nosso maior presente enquanto família. Esse foi o primeiro passo: eles saberem que podem e que daqui pra frente, tudo o que seja proposto, eles tenham a iniciativa de querer fazer. Tenho certeza que eles vão querer muito mais”, descreveu Magnólia Knihs Mafra, mãe do formando Marcelo Antônio Knhis Mafra.
A alegria também tomou conta das professoras da Apae de Brusque, Sandra Sapelli de Almeida Waldrigues e Joice Vilma Borinelli Diegoli, que se emocionaram ao ver a evolução de cada um dos alunos. Para elas, a experiência aprimorou não só o lado profissional de cada um dos formandos, mas pessoal também, já que eles puderam ter contato com demais jovens de outras instituições. “Foi muito interessante, pois todos os cursos que já tivemos sempre foram realizados dentro da Apae. E hoje acreditamos que esses alunos precisam estar em outros locais, mais próximos do mercado de trabalho. Quando temos parcerias, podemos criar redes e eles passam a conhecer o mundo aqui fora, a enxergar, participar, e idealizar sonhos cada vez mais. Que possamos abrir cada vez mais leques de possibilidades, em termos de vivência e convivência com outros jovens da mesma idade deles, e isso é inclusão”, declararam.

Leia +26/11/2018

Cantor Carlos Magrão se torna embaixador da APAE Brusque

O cenário montado no palco da escola, tinha um motivo especial na manhã de terça-feira, 20 de novembro. Onze alunos da turma de Iniciação Para o Trabalho aguardavam ansiosos para apresentar uma encenação baseada na música 'Adeus Mariana'. Na plateia, além de colegas e professores da entidade, estava um convidado especial, o cantor Carlos Magrão.
A apresentação já havia sido gravada em forma de clipe e enviada para Magrão com o objetivo de homenageá-lo e ao mesmo tempo, convidá-lo a conhecer a APAE de Brusque. O cantor conta que ficou emocionado com o belo trabalho realizado pelos alunos da entidade e com o carinho manifestado por eles. “Agradeço a Deus pela oportunidade de estar aqui. A música possibilita chegar a um grande número de pessoas e é essa magia da música que me permitiu estar aqui hoje”, comentou.
Durante a visita à entidade, Magrão foi recebido pelo presidente Sebastião Ernani Poia, que o convidou a ser o embaixador da APAE de Brusque. “Fico muito feliz e honrado ao ser condecorado como o embaixador da APAE de Brusque. Podem contar comigo no que eu puder colaborar. Unidos somos sempre mais fortes. Desejo que Deus continue abençoando as pessoas que trabalham aqui, todos os voluntários e usuários, e que a APAE prossiga com esse trabalho maravilhoso”, declarou o cantor.
Poia manifestou-se bastante contente em nome da entidade. “Ficamos muito felizes por ele ter aceito o convite que fizemos. Hoje ele teve oportunidade de conhecer um pouco da APAE, interagiu e se emocionou com nossos alunos. E o convite para ser nosso embaixador é pela pessoa que ele é, pela família e religiosidade que tem. Então, assim como a APAE Nacional tem um embaixador, que é o Daniel, o cantor Carlos Magrão, passa a nos ajudar a partir de agora, a divulgar a APAE de Brusque”, destacou Poia.

Clipe
A professora Joice Borinelli Diegoli foi quem coordenou o trabalho de montagem do clipe da música 'Adeus Mariana' e contou com a ajuda do psicólogo Helton Horner, que fez as imagens e a edição do vídeo. “Foram quatro semanas de atividades, desde o estudo e interpretação da letra da música, a montagem das cenas, ensaios e gravações. Todos os alunos passaram por todos os papeis para ver quem se encaixava melhor em qual e os próprios alunos votaram em quem encenou melhor as personagens principais, como a Mariana e o marido dela. Foi uma atividade muito gratificante, e foi visível a evolução gradativa dessa turma que tem muito potencial. Além de o clipe ter sido feito como uma forma de homenagem ao Carlos Magrão, ajudou muito os alunos a superar desafios e a aprender novas práticas”, descreveu Joice.
Kauane Irineo Caetano, de 14 anos, interpretou Mariana e juntamente com os companheiros de turma, arrancou aplausos do público. “Foi muito legal fazer esse teatro. Fiquei até famosa. Ensaiamos bastante e acho que todo mundo gostou. Primeiro fizemos o vídeo e agora a apresentação no palco”, explica a jovem.
O aluno Richard Nicolas Colares Gordo, de 20 anos, representou o marido de Mariana, que é quem narra a história dentro da canção. “Essa foi a primeira vez que participei de um teatro. Foi um pouco difícil, mas gostei bastante. Eu adoro música e essa atividade me ajudou a trabalhar minha insegurança”, conta.
Com o sentimento de missão cumprida, agora a turma segue confiante e ansiosa pelo próximo desafio.



Carlos Magrão

Carlos Eugênio Knop nasceu em agosto de 1960, na cidade de Campo Novo – RS. nspirado pelo pai e pelas canções que ouvia, aos 8 anos de idade começou a cantar e a tocar acordeon. Aos 19 anos, já em Passo Fundo – RS, participou do grupo “Reflexo Som” até o dia em que conheceu Oswaldir, no bar “Recanto Nativo”. Foram cinco anos até a gravação do primeiro disco da dupla “Oswaldir e Carlos Magrão”.
Sucesso não só no Rio Grande do Sul, mas em todo o Brasil e em países da América do Sul, a dupla “Oswaldir e Carlos Magrão” agradou gerações em seus 32 anos de parceria. Foram 17 trabalhos, entre discos, CDs e DVD, que renderam à dupla prêmios importantes, como o disco de ouro. A música de maior destaque foi a conhecida “Querência Amada”, de autoria do cantor e compositor Teixeirinha.
Um marco na vida de Carlos Magrão foi a perda repentina de seu pai, em 1992, falecido por conta de um grave acidente. Nesta época, Magrão escreveu um diário que, mais tarde, motivou uma de suas primeiras canções autorais, a música “Quero Meu Pai”.
Em 2007, conheceu a Igreja Luterana (IELB). A proximidade com Deus lhe ajudou a superar a perda do pai e lhe despertou uma grande vontade de agradecer pelos dons recebidos. Foi quando gravou seu primeiro CD Gospel, “Vamos falar com Deus”. Até hoje mantém este trabalho, conciliando-o com shows de música gaúcha e brasileira.
Ao longo destes anos, Carlos Magrão, tornou-se um grande cantor, intérprete, compositor e instrumentista reconhecido, aclamado e premiado. Conquistou inúmeros fãs e grandes amigos pelo seu talento, simpatia e carisma. Junto com sua esposa Vivian, construiu uma linda família, com 6 filhos (um in memoriam) que são seu porto seguro, motivação e grande inspiração. E foi buscando mais tempo com a família e maior liberdade de fazer suas próprias escolhas, que Carlos Magrão tomou a decisão de, oficialmente em outubro de 2017, seguir carreira solo. Há três anos, deixou o Rio Grande do Sul para residir no litoral catarinense e atualmente, reside com a família na cidade de Itajaí – SC.
Leia +22/11/2018

Prestação de contas referente a 3ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura Municipal de Brusque.

Leia +21/11/2018

APAE Brusque divulga ganhadores da rifa da entidade

A APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Brusque, divulgou os nomes dos ganhadores de sua tradicional rifa, cujo sorteio foi feito pela Loteria Federal do dia 10 de novembro. A abertura dos canhotos dos blocos e a identificação dos sorteados foi realizada na noite de segunda-feira, 12 de novembro, na presença de voluntários, colaboradores e membros da diretoria da entidade.
O presidente Sebastião Ernani Poia agradeceu a todos que colaboraram com a venda da rifa, a todos que compraram, colaboradores, voluntários e demais pessoas que participaram da festa. “É com muita alegria que hoje divulgamos os ganhadores dos prêmios e o balanço financeiro da rifa e da festa. Com a festa tivemos uma receita líquida de R$ 62.329,95 e com a rifa R$ 250.115,00, somando um lucro de R$ 312.444,95. Esse é um valor muito significativo para a entidade, e que vai trazer uma tranquilidade neste final de ano, para pagar despesas com folha de pagamento e décimo terceiro. Também no início do ano, sempre precisamos de uma reserva, pois os repasses de convênios começam a ser feitos em março ou abril. Portanto, só temos a agradecer a toda a comunidade que sempre colabora com a APAE Brusque”, declarou Poia.
Logo após a divulgação do resultado da rifa, foi feito contato telefônico com os sorteados e os ganhadores do primeiro e segundo prêmios, foram até a APAE para receber o automóvel Renault Kwid e a moto CG 125i, respectivamente. O presidente da entidade, Sebastião Poia, juntamente com o representante da empresa Bóca Mafra Automóveis, Gerson Luis Fischer, fez a entrega da chave do carro para Abrãao Souza e Silva, que é colaborador da empresa HJ Malhas, e da chave da motocicleta para Carolina de Oliveira.
Ambos manifestaram-se muito felizes com a possibilidade de colaborar com a entidade, e ainda sair com um prêmio da rifa. “Foi uma agradável surpresa. A empresa sempre faz questão de ajudar e é uma grande satisfação ser premiado com o automóvel, que amanhã estará exposto no pátio da empresa”, disse Abraão.
“É uma grande alegria ser sorteada. Vale muito a pena participar para ajudar a entidade e ainda levar um prêmio pra casa”, completou Carolina.

Ganhadores dos Prêmios da Rifa
(Sorteio pela Loteria Federal do dia 10/11/2018)

1º Prêmio (Nº 04.787) – Renault Kwid 0Km: HJ Malhas
2º Prêmio (Nº 84.432) – Moto CG 125i Fan 0Km: Carolina de Oliveira
3º Prêmio (Nº 90.419) – Fogão/Depurador/Forno Fischer: Dinara D. W. Crespi
4º Prêmio (Nº 16.128) – TV 32” Led: Jorge Luis Battisti Archer
5º Prêmio (Nº 06.401) – TV 32” Led: Tecelagem Nuno
Leia +12/11/2018

Um café de solidariedade

“Amigos para sempre é o que nós iremos ser. Na primavera ou em qualquer das estações. Nas horas tristes, nos momentos de prazer. Amigos para sempre”. Segurando o microfone, a folha de papel branco com a letra da música ou simplesmente endossando o coro afinado, havia emoção na voz das voluntárias do Clube de Mães da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. Logo à frente estavam as mesas, ornamentadas com uma variedade de doces e salgados. E, um pouco mais distante, um mar de amigos que acreditam neste trabalho.
Na tarde desta terça-feira, 6 de novembro, mais de 400 pessoas prestigiaram o Café Especial de Natal, realizado pelo Clube de Mães da Apae Brusque, na sede da entidade. Voluntária há mais de 30 anos, Lucimar da Silva Mafra comemorou o resultado.
“Isso só é possível porque temos uma equipe maravilhosa. Somos em 30 voluntárias e nos reunimos toda terça-feira, das 13h às 17h, para bordar, costurar e fazer o que for necessário para arrecadar fundos em prol da instituição”, conta Lucimar, que há duas décadas é a coordenadora do Clube de Mães da ApaeBrusque.
Segundo ela, todos os meses são realizadas partidas de bingo que reúnem até 100 pessoas. Da mesma forma, o valor arrecadado se transforma em recurso para os usuários da instituição. “Apenas uma ou duas mães que participam do nosso clube têm filhos especiais. Isso acontece porque a maioria delas precisa trabalhar e a gente se sente feliz em dizer que na Apae seus filhos estão bem cuidados. Estas mães podem trabalhar tranquilas, porque aqui o atendimento é digno e cheio de amor”, garante Lucimar.
Para o presidente da Apae Brusque, Sebastião Ernani Poia, é fundamental enaltecer o trabalho desenvolvido ao longo do ano pelo Clube de Mães. “É fantástico este apoio e esta doação, porque tudo é em benefício dos alunos. Às vezes é preciso uma consulta mais complexa e a família não tem dinheiro, então é o Clube quem paga. E toda terça-feira nós encontramos as voluntárias aqui, felizes em ajudar. Isso é o que nos move e nos dá alegria para continuar em frente, trabalhando por esta entidade maravilhosa”, avalia o presidente da Apae Brusque, Sebastião Ernani Poia.
Outra característica do Clube de Mães, citada pelo presidente da entidade, é esta capacidade de envolver a comunidade, sempre solícita aos convites de café e eventos. “É um comprometimento reconhecido pela nossa sociedade, que se faz presente porque acredita neste trabalho”, pontua Poia.
E, depois do Café de Natal, o foco agora se direciona para a tradicional rifa da entidade, com sorteio neste final de semana pela Loteria Federal. “Neste ano conseguimos driblar um monte de situações difíceis e felizmente já temos recurso para o pagamento do 13º Salário e Férias dos nossos colaboradores. Isto nos dá tranquilidade para trabalhar, na certeza de que todos vão passar um final de ano bem”, enfatiza Poia.

Gratidão
O pároco da Paróquia São Luís Gonzaga, padre Magnos José Baron Caneppele, participou do Café Especial de Natal da Apae Brusque e trouxe palavras de fé e ânimo aos presentes. “Percebemos que aqui é feito um trabalho humano de acolhimento de crianças, jovens e adultos com necessidades especiais. E a famíliaApae tem a oportunidade de transformar o mundo! Como é bonito quando se consegue abrir os braços e acolher uma pessoa com necessidade especial. E hoje, quando chegamos na Apae e vimos este lugar bonito e bem estruturado, podemos ter certeza de que é fruto desta participação e envolvimento comunitário”, afirma padre Magnos.

De acordo com o religioso, o amor transforma a vida das pessoas. “E é por esta razão que queremos exaltar e louvar à Deus pelas pessoas que ajudam na manutenção deste espaço e pelos colaboradores que trabalham aqui. É graças ao empenho de todos que as dificuldades são superadas”, observa.
O pastor da Comunidade Luterana Bom Pastor, Cláudio Schaefer, também participou desde momento ecumênico de fé e exaltou o trabalho desenvolvido no local. “Representando a nossa União Paroquial, gostaria de dizer que nos emociona quando vemos um gesto de tanto amor ao próximo e de tanta solidariedade. Sabemos que a motivação desta festa são as crianças, jovens, adultos e idosos com necessidades especiais que todos os dias são assistidos pela equipe bem preparada da Apae Brusque. Deixo a seguinte mensagem: é bom participar! Quando a gente participa a vida tem mais graça e mais sentido. Também é quando fazemos exatamente o que Deus nos pede, vivendo em uma grande comunhão entre irmãos e irmãs”, ressalta pastor Cláudio.

Leia +08/11/2018

Prestação de contas referente a 2ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria Municipal de Saúde de Brusque.

Leia +08/11/2018

PROCESSO LICITATÓRIO 001/2018 MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL

Encontra-se aberta na APAE de Brusque/SC, o Processo Licitatório 001/2018, na modalidade de Pregão Presencial, para aquisição de APARELHO PARA REALIZAÇÃO DE EMISSÕES OTOACÚSTICAS TE + ABR (TRIAGEM). A abertura dos envelopes dar-se-á no dia 06 de novembro de 2018, às 09:00 horas.
O edital em inteiro teor estará à disposição dos interessados junto a ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS DE BRUSQUE, com sede na Avenida Augusto Bauer, nº. 350 - Bairro: Jardim Maluche, Brusque/SC,
Quaisquer informações poderão ser obtidas no endereço acima, também através do e-mail captacao@apaebrusque.org.br ou pelo telefone 47 3351-2482.
Leia +24/10/2018

Prestação de contas referente a 2ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura Municipal de Brusque.

Leia +11/10/2018

Campanha ‘Eu Ajudo na Lata’ beneficia menino de cinco anos

O menino Davi Matulle Cesaro, de cinco anos, foi a oitava pessoa beneficiada com a Campanha ‘Eu Ajudo na Lata’, realizada pela Unimed Brusque em parceria com a ACIBr – Associação Empresarial de Brusque. O aluno da APAE de Brusque possui deficiência múltipla e ganhou uma cadeira de rodas adaptada na manhã desta segunda-feira, 8 de outubro. De acordo com a mãe de Davi, Tais Matulle, o menino fazia uso de um carrinho de bebê pois nunca teve uma cadeira de rodas. “Estou muito feliz pelo Davi ter ganho a cadeira pois eu não tinha condições de comprar e vai ser muito bom para a saúde dele. Ele ficava muito tempo deitado ou no colo. Para fazer as refeições também tinha que segurar ele no colo e a cadeira vai ajudar muito em tudo”, salienta a mãe.
O gerente geral da Unimed Brusque, Guilherme Gamba, destacou que o ponto alto do projeto é a data de entrega da cadeira. “É para isso que trabalhamos e é com esse objetivo que existe a parceria entre as entidades, para arrecadarmos o maior número possível de lacres e conseguir cada vez mais, entregar cadeiras a quem realmente precisa. É um momento de muita felicidade. Essas cadeiras entregues são personalizadas, feitas de acordo com a necessidade da pessoa. Não são cadeiras de rodas comuns e por isso, é necessário um número maior de lacres para aquisição das mesmas. Desta vez, o Davi foi contemplado, e notamos que além da pessoa que recebe a cadeira, a família também é beneficiada. São famílias carentes, que não possuem recursos para adquirir uma cadeira desse tipo, e representa uma grande diferença no dia a dia do pequeno Davi, como na qualidade de vida da família em si, que se dedica aos cuidados do menino. Para a Unimed Brusque e demais entidades, é motivo de muito orgulho participar desse projeto, que começou em 2014 e vem crescendo a cada ano”, declarou Guilherme.
O presidente da APAE de Brusque, Sebastião Poia, observa que o envolvimento das entidades em prol da campanha é um grande exemplo para a sociedade. “É um trabalho de formiguinha, mas que traz muitos resultados positivos. Poder ver a felicidade da família do Davi ao receber a cadeira, não tem preço. Esperamos que essa captação dos lacres de latinhas se torne cada vez maior para que outras famílias venham a ser beneficiadas. Só temos a agradecer a todos que participam. As pessoas que recolhem os lacres, que doam, e as entidades que fazem a comercializam do material e aquisição das cadeiras. É um trabalho em conjunto muito bonito que conta com o apoio da APAE”, destacou Poia.
Para o diretor do Colégio Cônsul, Otto Hermann Grimm, é uma grande satisfação mobilizar a comunidade em prol do bem comum. “Vivemos num mundo muito individualista e a solidariedade deve estar incutida na nossa forma de ser, como pessoa ou como grupo, onde possamos estar ajudando pessoas que não têm a mesma condição que nós. Nos sentimos com o dever cumprido e comprometidos em mobilizar e fazer que nossas crianças tenham a consciência de que precisam fazer a sua parte. Uma pessoa sozinha não tem condições de arrecadar tantos lacres para aquisição de uma cadeira, mas juntos, podemos somar forças e já conseguimos oito cadeiras, com a certeza de que outras mais virão”, considerou Otto.
A coordenadora administrativa da ACIBr, Bernadete Loos Moritz, explica que as cadeiras doadas por meio da Campanha ‘Eu Ajudo na Lata’, são encomendadas e feitas sob medida, conforme a necessidade da pessoa escolhida, após avaliação de assistentes sociais. “Se fossemos comprar cadeiras simples, daria para comprar uma quantidade maior, mas como as cadeiras que doamos são especiais, é preciso um investimento maior. Para a compra da cadeira do Davi foram necessárias 648 garrafas pet cheias de lacres, que equivale a cerca de R$ 2.250,00. Conforme vamos arrecadando lacres, vamos guardando e quando alcançamos a quantidade ideal, vendemos para adquirir uma nova cadeira. Qualquer quantidade de lacre é bem-vinda e pode ser entregue na ACIBr, na Unimed, na APAE e em outras entidades parceiras do projeto”, descreveu Bernadete.
Desde o início da campanha até o dia 2 de agosto de 2018, foram arrecadados 6.604 quilos de lacres, que foram vendidos para a empresa Ferro Velho Torrezani, ao valor de R$ 3,50 o quilo, totalizando R$ 23.114,00. Esse recurso possibilitou a compra de oito cadeiras que beneficiaram as seguintes pessoas com deficiência: Edson Francisco Furquim, Marise Poli, Nayane Monteiro dos Santos, Daiane Cardoso Ribeiro, Daniela Lessa Antunes, Cauã Cesário dos Passos, Richard Gustavo Teske e Davi Matulle Cesaro.
A campanha idealizada pela Unimed Brusque em parceria com a ACIBr conta com o apoio das APAEs de Brusque e Guabiruba, Rede Feminina de Combate ao Câncer, CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas de Brusque, Rotary Clube, Lions Berço da Fiação de Brusque, Unifebe e Escola Charlote.
Leia +10/10/2018

Prestação de contas referente a 1ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria Municipal de Saúde de Brusque.

Leia +08/10/2018

APAE promove palestra sobre Currículo Funcional Natural

A educadora Graziela Dalcastagner, que trabalha na APAE de Guabiruba, foi uma das participantes do evento promovido pela APAE de Brusque, na manhã de terça-feira, 2 de outubro, que contou com a palestra da Dra. Maryse Suplino, sobre Currículo Funcional Natural. Graziela conta que se interessou pela Educação Especial porque seu irmão mais novo tinha dificuldades de aprendizado e mesmo não possuindo nenhuma deficiência, não conseguia aprender através das abordagens da educação regular. “Isso me entristecia e passei a me interessar por outras formas didáticas que fossem mais atrativas para ele. A partir da Educação Especial fui entendendo que é preciso olhar o outro além da dificuldade e traçar estratégias para atingir as habilidades que sejam funcionais para a vida dele, tanto diárias, como para o mercado de trabalho, que é o público com quem eu trabalho. De manhã trabalho numa escola privada, e as vezes ao me deparar com um aluno com dificuldade, consigo enxergar além disso. Ele não possui nenhuma deficiência, mas muitas vezes o aluno é rotulado porque nunca para quieto, porque não faz as atividades, ou porque não interage com a turma. São rótulos que a sociedade e a própria escola vão impondo e se o professor não tiver uma formação adequada e um bom preparo para lidar com isso, o aluno não vai conseguir desenvolver suas habilidades. E essa palestra chama atenção para isso, para esse olhar diferenciado, essa sensibilidade que o educador precisa ter. O que a Maryse falou vem de encontro ao que eu acredito. Temos que olhar a criança e o jovem como um ser humano, e não só a deficiência dele”, salienta Graziela.
A palestrante Dra. Maryse Suplino explica que a proposta do Currículo Funcional Cultural é transformar vidas. “É dar uma condição e uma oportunidade às pessoas com deficiência intelectual, autismo, ou deficiência múltipla de aprenderem habilidades que vão ser definitivamente importantes para a vida. E que a partir do domínio do conhecimento e aquisição dessas habilidades, possam ter uma possibilidade maior de inclusão no mundo. Desde a inclusão na própria casa, até a inclusão na comunidade, e em alguns casos, no mundo do trabalho. É um currículo que chega com a proposta de mudar mentalidades. A partir do momento que as pessoas começam a pensar através dessa metodologia, as mentalidades começam a se modificar e justamente esse olhar para o indivíduo, para a necessidade daquela pessoa, daquele determinado aluno, começa a ficar mais clara, e a prática do profissional começa a mudar. Ele começa a entender que não trabalha para um grupo, e sim para cada pessoa daquele grupo, que possui determinada necessidade que precisa ser respeitada, e esse é o papel da Educação Especial. O papel da escola toma uma nova amplitude e precisa trabalhar com um plano de ensino individual para aquele aluno. Tem que olhar para o indivíduo e perceber qual habilidade ele precisa saber, desenvolver. O currículo funcional significa algo que seja útil, que tenha significado no dia a dia daquela pessoa. Não existe um plano pronto. Ele precisa ser construído conforme a necessidade, pois muitas pessoas com deficiência intelectual ficam anos na escola, aprendendo coisas que não fazem nenhum sentido para elas”, descreve a educadora, observando ainda que muitos educadores têm caminhado para essa proposta. “Muitas instituições têm adotado o currículo funcional independente de ainda não ser uma proposta do Governo, pois está acontecendo um despertamento por parte dos profissionais de que é preciso trabalhar pela inclusão, e modificar a forma como vem sendo trabalhada essa educação”, destaca Dra. Maryse.
O presidente da APAE Brusque, Sebastião Ernani Poia, agradece o Poder Público Municipal e o Conselho Municipal da Criança e Adolescente, pela oportunidade de trazer a educadora para debater o assunto com profissionais de Brusque e região. “A APAE apresentou um projeto ao FIA (Fundo de Infância e Adolescência), que foi aprovado pelo Conselho Municipal da Criança e Adolescente, e possibilitou não só aos profissionais da APAE Brusque, mas de outras APAES da região, de escolas regulares do município, e a pessoas que trabalham com crianças e adolescentes especiais, aprender um pouco mais sobre essa proposta do Currículo Funcional Natural, no qual está inserida a Dra. Maryse Suplino, que é uma profissional referência no assunto. Queremos cada vez mais, estar com nossos profissionais capacitados e preparados para entender as necessidades dessas crianças e jovens. Cerca de 180 educadores participaram do evento e esperamos que haja um despertar maior da importância de termos uma equipe preparada para trabalhar corretamente com nossas crianças e jovens especiais”, declara Poia.
Leia +03/10/2018

Apae realiza tradicional festa

Na noite de sexta-feira e sábado, 21 e 22 de setembro, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, realizou sua tradicional festa que, este ano, chegou a 38ª edição. O evento foi marcado pelo encontro da comunidade, em um ambiente que privilegia o diálogo e oferece completo serviço de bar e cozinha, além de divertimentos para toda a família.
Logo na entrada, havia o espaço para pintura facial e a pescaria, disputada pelas crianças que prestigiaram o evento. As rodas-da-fortuna também reuniram um grande público pela qualidade dos presentes sorteados, com ênfase nas roupas de cama e brinquedos. Entre as atrações gastronômicas se destacaram a polenta com galinha na sexta-feira e o churrasco da festa, nos dois dias de evento. O cachorro-quente exclusivo com duas salsichas também foi apreciado por quem passou pelo local, bem como a barraca dos doces, com bolos e guloseimas.
“É um ambiente maravilhoso. As famílias esperam pela nossa festa exatamente pelo clima que mantemos aqui. Há segurança para as crianças brincarem e um sistema de som mais tranquilo, porque esperamos que as pessoas se reencontrem e conversem. Toda a diretoria da Apae está muito feliz com esta edição”, avalia o presidente da entidade, Sebastião Ernani Poia.
Uma das principais características da festa é a inclusão. E os usuários da Apae de Brusque estiveram envolvidos neste processo, desde a montagem e preparação do evento até sua própria execução. Com alegria, muitos deles recolhiam os pratos das mesas e auxiliavam na limpeza. Outros, apenas distribuíam sorrisos e abraços, sempre dispostos a aparecer nas fotos quando solicitados.
De acordo com Poia, o resultado da festa será destinado para a manutenção da entidade. Por 2018 se tratar de um ano político, há sempre certa insegurança com o destino do Brasil, especialmente em políticas públicas que tratam da pessoa com deficiência. “Esperamos que o resultado das eleições não prejudiquem as instituições filantrópicas que precisam de recursos para permanecer em atividade. Infelizmente, só teremos esta certeza nos próximos dias e, especificamente, a partir de 2019”, pontua.
A festa da Apae é sempre realizada no mês de setembro, uma época na qual se antecipam as despesas extras de final de ano, como o 13º Salário e as férias dos colaboradores. Alguns convênios mantidos com o setor público também encerram em novembro e, dependendo da renovação, voltam a ser praticados apenas em abril do ano seguinte. Ou seja, é preciso planejamento para administrar a entidade, de modo que a prestação de serviço continue.
“Temos 280 usuários matriculados e 37 profissionais pagos pela instituição. Hoje, 85% das nossas despesas são de recursos humanos. O que esperamos para 2019 são o andamento e realização de projetos desenvolvidos, sobretudo a troca de veículos”, detalha Poia.
Além da festa, toda a comunidade é convidada a contribuir com a Apae, através de doação na conta de energia elétrica ou pela emissão de carnês que podem ser pagos em qualquer banco. Da mesma forma, a entidade permanece de portas abertas e se alegra sempre que recebe visitas. “Fazemos questão de receber as pessoas para que possam ter a noção de que aqui é um lugar de amor, carinho e trabalho. Quem vem, sai daqui diferente. Vê que os usuários progridem graças ao empenho de pessoas motivadas, de profissionais que tem habilidade. Deixo aqui este convite e o desafio para conhecer a Apae Brusque”, completa Poia.
O resultado final da festa será divulgado no decorrer desta semana, para acompanhamento da comunidade.
Leia +24/09/2018

Prestação de contas referente a 1ª parcela do Convênio firmado com a Secretaria de Assistência Social da Prefeitura Municipal de Brusque.

Leia +05/09/2018

Clínica Uni Duni Tê realiza o projeto “Momento só meu”

Cuidar de quem cuida. Esta foi a proposta do projeto “Momento Só Meu”, realizado pela Clínica Uni Duni Tê, na noite de sexta-feira, 31 de abril e destinado para mães que participam do Programa de Estimulação Precoce na entidade, mantida pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. Cerca de 30 mulheres prestigiaram o evento, recepcionadas por música ao vivo produzida pelos professores da instituição. A ação também contou com uma palestra sobre saúde da mulher e cuidados íntimos, além de serviços de cabeleireira, manicure e massagem.
“O projeto nasceu em 2016 e ainda não havia sido executado. O objetivo era criar um momento para homenagear as mulheres, amigas e companheiras que protegem, acolhem e que fazem tudo pelo seu filho. Todas elas têm uma característica muito comum e de valor imensurável, que é viver em doação constante. E nós, Equipe Uni Duni Tê, realizamos este projeto para reconhecer a importância destas mulheres no desenvolvimento de seus filhos”, explica a orientadora pedagógica do Programa de Estimulação Precoce, Juliana Silva do Nascimento.
A palestra com o tema de saúde da mulher foi ministrada pela enfermeira Gisele Becker. Ela deu dicas sobre o cuidado e higiene com o próprio corpo e detalhes importantes para se estar atenta no sentindo de minimizar os riscos de doenças. Também respondeu a diversas dúvidas, já que as mães estão sempre tão preocupadas com o bem-estar dos filhos que se esquecem de olhar para si mesmas e para suas questões.
Logo depois foram oferecidos gratuitamente atendimentos com a equipe de cabeleireiros de Marina Baron, através de corte, escova e manicure. A professora da Clínica Uni Duni Tê, Carina Adriana Vogel, complementou o trabalho, com maquiagem e design de sobrancelha. Por fim, Bernadete e Adriana Costa ofereceram massagens nas costas e nos pés.
“Para ampliar este momento, estimulamos rodas de conversas e servimos deliciosos lanches, ao som de música descontraída e estimulante”, completa Juliana.

Agradecimentos
Salão de Beleza – Equipe Marina Baron
Massagistas – Bernadete e Adriana Costa Masera
Gisele Becker - Enfermeira
Helton Hörner – Psicólogo Marcelo da Silva Gomes – Músico e Professor
Carina Adriana Vogel – Professora
Equipe Uni Duni Tê: Ana Paula Santos – Psicóloga, Caroline Leoni Schaefer – Professora, Juliana Silva do Nascimento – Orientadora Pedagógica, Marilene Stofella – Professora, Paula Caroline Camper – Professora, Soraia Buraseska Reis – Professora, Stela Pereira – Professora, Sabrina Luciane Maçaneiro Minatti – Professora, Tatiana Costa Masera – Professora, Valdete Battisti Archer – Coordenadora Uni Duni Tê.

Leia +04/09/2018

38ª Festa da APAE Brusque será nos dias 21 e 22 de setembro

O vice-presidente da APAE Renato Roda, juntamente com o diretor social Marcio Belli, a diretora secretária Maria Tereza Moritz Montibeller, o diretor financeiro Haroldo Tormena, e os alunos Gustavo Sartor e Richard Gordo, receberam a imprensa na manhã desta terça-feira, 4 de setembro, para lançar a 38ª edição da Festa da APAE Brusque. O evento que anualmente, oportuniza um momento de confraternização entre alunos, usuários, professores, funcionários, diretoria, voluntários e a comunidade em geral, vai ser realizada nos dias 21 e 22 de setembro, na sede da entidade.
O público poderá degustar uma polenta com galinha ou churrasco, entre outras delícias, como cachorro-quente com duas linguiças, bolo com café e docinhos. Haverá também roda da fortuna, pescaria, bazar, barraca dos alunos e barraca do Clube de Mães. A polenta com galinha será servida apenas na noite de sexta-feira, ao valor de R$ 20. O cartão do churrasco terá o custo de R$ 35 e o cachorro-quente R$ 3,50. Na primeira noite, os festejos iniciam às 19h, com apresentação do cantor Gabriel Zambiazzi. Já no sábado, a comunidade está convidada para participar do Culto Ecumênico, que será realizado às 18h, e em seguida, sobem ao palco para animar o público, a dupla Laís e Lucas.
Além de promover uma grande confraternização entre a comunidade apaeana e o público em geral, a Festa da APAE objetiva arrecadar recursos para ajudar no custeio das atividades e manutenção da entidade, assim como, sua tradicional rifa. O diretor social Marcio Belli destaca a importância da realização do evento. “Temos uma grande oportunidade de mostrar para a comunidade o que existe e é feito aqui, e a disponibilidade e a compaixão dos alunos, o quanto eles se sentem agradecidos com toda a comunidade que ajuda e colabora. Para eles é motivo de uma grande espera todos os anos, pois é uma grande festa que reúne muitos amigos e os deixa muito felizes”, observa Belli.
Para que a festa aconteça, tanto na sexta quanto no sábado à noite, a instituição conta com o apoio de muitos voluntários, e são para eles que a APAE faz um pedido especial este ano. “Quem puder colaborar conosco como voluntário pode ligar para a instituição e conversar com nossos atendentes para saber em qual atividade pode ajudar. Precisamos de ajuda tanto para organizar o espaço para a festa durante a semana, como durante os festejos”, explica o diretor Social.
Para o vice-presidente Renato Roda, a festa é especial para a instituição, porque os alunos fazem questão de participar, cada um à sua maneira, no intuito de fazer o evento acontecer. “Os alunos sabem que o evento é importante não só para o entretenimento, mas também para o congraçamento da comunidade que está sempre nos auxiliando, como também professores, alunos, diretoria e a grande equipe de voluntários que nos auxilia para que esta festa seja cada ano melhor”, comenta Roda.
Atualmente, a despesa mensal da entidade, para atender aproximadamente 300 usuários gira em torno de R$ 150 mil para pagamento de profissionais e manutenção da entidade. “A gente sempre busca melhorar os serviços. Hoje já é uma dificuldade manter, mas há uma luta constante para se ampliar todo o atendimento que é dado aos alunos, que são a razão de viver da APAE”, destaca o vice-presidente.
Ao final da entrevista coletiva, os alunos Gustavo e Richard reforçaram o convite para toda a comunidade participar da festa e também colaborar com a rifa, cujo sorteio será realizado no dia 10 de novembro, pela Loteria Federal. Blocos com cinco, dez ou vinte bilhetes podem ser adquiridos com festeiros ou na secretaria da instituição. O valor do bilhete é de R$ 5, e oportuniza concorrer a cinco prêmios, que são um automóvel Renault Kwid Zen 0Km; uma moto CG 125i Fan 0Km; um depurador de ambiente, um forno elétrico e um fogão cooktop; e duas TVs 32” LED. Mais informações pelo telefone (47) 3351-2482.
Leia +04/09/2018

Apae Brusque realiza 1ª Mostra de Trabalhos

Para celebrar a Semana da Pessoa com Deficiência (21 a 28 de agosto), a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, realiza na tarde desta segunda-feira, 27, e na manhã de terça, 28 de agosto, a 1ª Mostra de Trabalhos do Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI). O evento, que reúne projetos desenvolvidos pelos usuários da entidade com a supervisão de professores, é aberto à comunidade.
“Hoje estamos recebendo a visita de algumas escolas e de autoridades do município. Basta estar aqui para sentir a dedicação, o carinho e o amor aplicado em cada trabalho, cujo resultado é maravilho. Fica difícil até de mensurar a beleza dos projetos, nos quais se evidencia a criatividade, a percepção e a inteligência que nossos alunos têm. Talvez as pessoas não saibam o quanto eles são capazes, ativos e maravilhosos”, destaca o presidente da Apae Brusque, Sebastião Ernani Póia.
Apesar do cronograma curtinho do evento, o presidente da Apae Brusque enfatiza que a instituição está sempre aberta à visita das pessoas que desejam conhecer mais sobre o trabalho desenvolvido no local. “Temos as oficinas de tapeçaria e papel reciclado, que vendem produtos à comunidade. O recurso é revertido para os próprios alunos e, no final de cada ano, eles fazem compras de Natal e passeios. Quem nos visita e conhece esta atividade, fica encantado”, garante Póia.
A orientadora pedagógica da Apae Brusque, Anelyn Pinheiro, explica que diversas ações foram programadas para a Semana da Pessoa com Deficiência. Os usuários da Apae participaram de alguns passeios e atividades de lazer, encerrando agora com a Mostra de Trabalhos. “É o fechamento do nosso projeto, quando rompemos os muros da instituição e nos aproximamos ainda mais da comunidade”, diz Anelyn.
Segundo ela, na Mostra é possível conhecer serviços pedagógicos específicos, como o currículo funcional natural. “Temos também uma sala sensorial, onde é desenvolvido o trabalho com alunos que tem um comprometimento maior, além da apresentação das atividades profissionalizantes”, ressalta Anelyn.
A 1ª Mostra de Trabalhos do Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI) encerra nesta terça-feira, 28 de agosto, na sede da instituição.

Trabalho especial
Quanta destreza no manuseio da tesoura sem ponta. É preciso firmeza nas mãos para recortar as pequenas abelhas do papel colorido que, logo mais, serão coladas como detalhes em cartões comemorativos.
É assim que Angela Hoffmann, 41 anos, passa as suas tardes na Apae. “Gosto muito de estar aqui. Faço artesanato com os papéis reciclados e dou o acabamento aos tapetes. É bem difícil, cada dia tem um novo desafio”, garante ela, usuária do ISI.
Na mesma sala, Eduardo Torrezani trabalha compenetrado na criação de um tapete. Só faz uma pausa no ofício ao posar para a foto. “De manhã fico em casa e não tenho nada para fazer. Prefiro estar aqui, onde venho todas as tardes. Com a venda de nosso trabalho compramos presentes de Natal”, relata Eduardo, orgulhoso.
A professora Marilde Staack lembra que a partir deste ano, além de tapetes e papéis reciclados, a turma também está produzindo pequenos vasos decorativos com concreto.
André Schmitz e Miria Burini são responsáveis pela apresentação do trabalho em uma das salas que recebe a Mostra, coordenados pela professora Patrícia Schaefer. Eles falam sobre a economia de água gerada à partir da ideia de encher suas garrafinhas só pela metade. Antes disso, principalmente no verão, os alunos enchiam suas garrafinhas por completo e, com o passar do tempo, a água aquecia e era descartada. Hoje, na Apae, todos enchem suas garrafinhas pela metade. Quem precisar de mais, basta repor no decorrer da aula.
“O que mais gostei de aprender foi sobre as cáries. Antes disso, pensava que escovar os dentes uma vez por dia já era suficiente”, fala Miria.
Pertinho dali, as professoras Fernanda Torresani e Inara Cristina Bononomi Belli, lançavam a síntese do livro que acabaram de escrever “Brincando e aprendendo com jogos de baixo custo”. A criatividade não parecia ter limites nesse espaço cheio de tampinhas, potinhos, figuras coloridas e materiais alternativos. Tudo simples, acessível e pedagogicamente divertido.
“São materiais que usamos em sala e que foram desenvolvidos ao longo dos anos. Nem todas as famílias têm condições de comprar um brinquedo assim. Por isso, mostramos que é possível fazer a partir de produtos que já se tem em casa”, explica Fernanda.
Você já brincou com um jogo da memória sonoro? E que tal um jogo da memória tátil? Diversão garantida com peças de dominós feitas a partir de caixas de leite. E, claro, não poderia faltar um tapete formado por diferentes texturas.
Leia +28/08/2018

Brusque conquista Bronze no Basquete das Olimpíadas das APAEs de SC

Alunos da APAE Brusque participaram nesta semana, na cidade de Gaspar, da XXI Olimpíada das APAEs de Santa Catarina, que reuniu cerca de duas mil pessoas, entre atletas, dirigentes, árbitros e equipes de apoio. Usuários da APAE de Brusque e de Guabiruba representaram a região do Médio Vale competindo nas modalidades de basquete masculino e natação feminina.
Houveram também disputas no atletismo, futsal, handebol, tênis de mesa, bocha Rafa, bocha Paraolímpica e capoeira mista, entre os dias 5 e 9 de agosto. A Olimpíada é realizada a cada três anos e visa além da promoção do esporte, um momento de integração e desenvolvimento da autoestima dos participantes e de seus familiares.
A professora Joice Diegoli esteve entre os quatro profissionais que acompanharam os alunos da APAE Brusque. Durante as competições, o grupo ficou alojado em um sítio da Família Jönk, no bairro Bateas. “A participação de nossos alunos foi muito importante pois proporciona uma experiência diferente. Não é apenas o aprendizado que o esporte traz mas possibilita maior autonomia deles, confiança e uma certa independência. Em relação aos jogos, o time de basquete iniciou perdendo, o que deixou os alunos tristes. Mas a conquista da medalha de bronze deixou eles bem contentes. Já na natação, devido a problemas de registro da atleta Maria Cristina Cuchiki, não foi possível chegar a etapa final, porém fica a lição de que nem sempre saímos campeões e o que vale é participar”, descreve a educadora.
Richard Nicolas Colares Gordo, de 20 anos, participou das Olimpíadas pela primeira vez e certamente vai sempre lembrar da primeira experiência fora de casa. “Fiquei muito feliz. No início, fiquei um pouco nervoso nos jogos. Fiquei triste quando perdemos, mas depois ganhamos a medalha e aí comemorei. É a primeira vez que dormi fora de casa e foi muito legal”, destaca o aluno da APAE Brusque.
Rodrigo Lima de Oliveira já havia participado das Olimpíadas há três anos e comemorou mais uma medalha. “Fiquei bastante nervoso e errei muitas cestas nos primeiros jogos, mas estou satisfeito com a terceira colocação e porque consegui fazer muitos pontos no último jogo”, declara o atleta.
Além de Richard e Rodrigo, integraram também o time, os alunos Jhones da Silva Bueno, André Henrique Cesari, Maikol Charles da Silva, Henrique Joaquim Vatte, Luiz Carlos Alves, Ciro Marciel dos Santos, Jacosinho Zimmermann e Adelmo Moraes Rezendo.
Leia +09/08/2018

APAE Brusque inicia venda de sua tradicional rifa

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE Brusque iniciou a venda de sua tradicional rifa, cujo sorteio será realizado no dia 10 de novembro, pela Loteria Federal. Blocos com cinco, dez ou vinte bilhetes podem ser adquiridos com festeiros ou na secretaria da instituição. O valor do bilhete é de R$ 5.
Quem colaborar com a rifa estará concorrendo a cinco prêmios, que são um automóvel Renault Kwid Zen 0Km; uma moto CG 125i Fan 0Km; um depurador de ambiente, um forno elétrico e um fogão cooktop; e duas TVs 32” LED. Mais informações pelo telefone (47) 3351-2482.
Leia +08/08/2018

Autodefensores da Apae visitam a prefeitura de Brusque

Na tarde da última quarta-feira, 18 de julho, os Autodefensores da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, visitaram a prefeitura do município. João Carlos Cervi, Márcia Marcos, Jair Roque Parizotto e Marciana Ribeiro, acompanhados pelo psicólogo da entidade, Helton Horner, conversaram com o prefeito Jonas Oscar Paegle e com os responsáveis pelas secretarias de Saúde, Planejamento e Desenvolvimento Econômico.
O encontro estava pautado na Lei 16.327, de 20 de janeiro de 2014, que instituiu a Semana Estadual de Valorização e Promoção dos Autodefensores das Apaes, no Estado de Santa Catarina. Na última semana, os usuários da entidade em Brusque puderam refletir sobre mudanças no serviço público que podem melhorar a qualidade de vida das pessoas com deficiência. A síntese deste trabalho se transformou em um ofício de propostas, entregue nas mãos dos gestores públicos na tarde de ontem.
“Nossos Autodefensores vieram conhecer o espaço da prefeitura e apresentar suas demandas ao prefeito e secretários. São pedidos fundamentados no conhecimento das políticas públicas que, com certeza, vão melhorar o atendimento às pessoas com deficiência na cidade”, explica o psicólogo da Apae Brusque, Helton Horner.
Segundo ele, um dos eixos identificados está relacionado ao transporte público e à oferta de novas linhas viárias, que facilitem o acesso dos usuários às entidades que prestam serviço nesta área. De segunda a sexta-feira, por exemplo, a Apae de Brusque é responsável pelo transporte de cerca de 40 pessoas, entre usuários e seus familiares, no trecho localizado entre o Terminal Urbano e a sede da entidade, no bairro Jardim Maluche. Isso é necessário pela falta de linhas de ônibus disponíveis para o local no horário de funcionamento da instituição.
“Também foi solicitado o atendimento prioritário na área da saúde e a ampliação na oferta de medicamentos, bem como a inclusão ao mercado de trabalho, desenvolvendo ações que gerem emprego e renda”, pontua Helton.
De acordo com o psicólogo, o encontro com os gestores públicos superou as expectativas. “Fomos atendidos com carinho e atenção. Os responsáveis ouviram nossas demandas e se comprometeram em nos dar um retorno sobre as possibilidades apresentadas”, acrescenta Helton.

Diálogo possível
O prefeito do município, Jonas Oscar Paegle, descreveu o encontro como um momento de alegria e satisfação. Ele teve a oportunidade de conhecer o fundador da entidade, Carlos Moritz, que também foi médico e prefeito de Brusque.
“Encontrava o Dr. Carlos no Hospital de Azambuja. Seu filho Pierre nasceu com necessidades especiais e ele montou a primeira Apae de Santa Catarina. Desde o começo foi uma entidade que se destacou, não apenas no Estado, mas creio que em todo o Brasil. A prefeitura sempre foi e continuará sendo parceria desta entidade, que é reconhecida pela comunidade pelo excelente trabalho que desenvolve”, afirma o prefeito.
Segundo ele, uma nova licitação do Transporte Público deve ser anunciada em breve e a expectativa é que o pedido da Apae seja atendido. “Receber os usuários aqui é algo que enobrece o nosso trabalho, porque podemos acompanhar o desenvolvimento que eles têm na entidade”, observa.
Já o secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, João Beuting, ficou emocionado com a visita e quer expandir a parceria com a entidade que começou em 2000, quando 14 usuários da Apae passaram a trabalhar no Horto Florestal e hoje ainda compõem o quadro de funcionários do poder público. “Eles atuam na plantação de mudas e flores, um trabalho muito relevante para a nossa cidade. A prefeitura não esta fazendo favor nenhum. São os usuários da Apae que tem muito para colaborar com o poder público de Brusque”, enfatiza.

Saiba mais
A autodefensoria é um processo de desenvolvimento de autonomia e participação de pessoas com deficiência na luta pela defesa de seus direitos, tomando suas próprias decisões a respeito de suas vidas, reivindicando voz e espaço para expressar suas ideias, desejos, expectativas e necessidades. A autodefensoria é, ao mesmo tempo, uma filosofia, um movimento político e um programa de suporte educacional.


Leia +25/07/2018

APAE Brusque promove Semana de Formação para colaboradores

Cada elo de uma corrente é essencial para mantê-la forte. Assim também é cada colaborador dentro de uma equipe. Se um não cumprir bem sua missão, pode prejudicar o desempenho coletivo. Foi utilizando uma corrente como exemplo, que o palestrante Ainor Francisco Lotério conversou com os colaboradores da APAE Brusque, sobre a importância de cada profissional dentro da entidade e do trabalho em equipe.
“A ideia foi propor a cada funcionário, que se enxergasse como um elo da corrente, que na hora em que é esticada e que requer força durante a execução do trabalho, pode se partir por causa de um elo que esteja fragilizado, e que precisa ser soldado. O trabalho em equipe é assim. É formado por uma soma, uma união de bons “eus” que devem estar mais do que juntos e conectados, formando um só corpo. Fizemos uma reflexão, abordando aspectos da fé, da psicologia, do direito, da vida prática, da agricultura e da própria natureza, onde formigas unidas vencem e leões individualistas já estão extintos”, descreveu o palestrante.
Ainor destacou que os colaboradores são a verdadeira essência e riqueza funcional, que se soma a outra essência formada pelos pais, familiares, apoiadores e alunos da APAE. “Todos formam uma comunidade verdadeira, e se nessa comunidade, a equipe de funcionários trabalha com pessoas, fazendo-as mais especiais e ricas para a sociedade, é preciso também fazer o mesmo internamente, para dizer aos colaboradores que eles são uma jóia interna e que devem com essa jóia, fazer os melhores anéis dessa corrente, chamada equipe de trabalho”, salientou o convidado.
A palestra motivacional com Ainor Lotério foi realizada na tarde de quinta-feira, 19 de julho, e integrou a programação da Semana de Formação promovida pela APAE Brusque, que reuniu cerca de 80 colaboradores da entidade. De acordo com a diretora executiva da APAE Brusque, Rosecler Ceratti Foletto, o objetivo era desenvolver atividades que possibilitassem a integração e valorização da equipe. “Realizamos uma programação variada, que contou com uma gincana e momentos de informação e partilha entre os profissionais. Além de motivar, buscamos enfatizar a importância do comprometimento de cada um no sentido de fortalecermos ainda mais nossa entidade. Temos uma equipe muito boa e ficamos contentes com a receptividade dos colaboradores ao longo da semana, diante da participação e envolvimento com as ações propostas, sempre voltadas à necessidade de o coletivo se sobressair”, explicou Rose.
Para a professora Maria Inês Tamanini Cardoso, que trabalha há 10 anos na APAE Brusque, a Semana de Formação foi muito proveitosa. “Tivemos atividades diferentes dos anos anteriores, onde me senti muito acolhida e estimulada enquanto membro da equipe. Acho muito importante esse momento de valorização que nos permite sair com as energias revigoradas e com mais disposição para seguir em frente”, avaliou a pedagoga.

Leia +25/07/2018

Prestação de contas da última parcela do Convênio com a Assistência Social de Botuverá

Leia +20/07/2018

Apae de Brusque recebe visita do juiz Dr. Edemar Leopoldo Schlösser

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recebeu na manhã de sexta-feira, 29 de junho, a visita do juiz de Direito da Vara Criminal da Comarca de Brusque, Dr. Edemar Leopoldo Schlösser. Na ocasião o magistrado visitou a sede da instituição bem como conheceu pessoalmente os resultados dos dois últimos projetos da entidade contemplados através de recursos de penas pecuniárias: a nova quadra esportiva da Apae de Brusque, com o valor total de R$ 86.291,95; e o projeto do Sistema Preventivo de Incêndio, teve o projeto no valor de R$ 81.103,68.

Ao longo da visita Dr. Edemar ressaltou a importância dos valores repassados a diversas entidades filantrópicas e a diferença que os projetos contemplados trazem para o dia a dia de diversas pessoas, como os alunos da Apae de Brusque. “A prestação de contas desses projetos já havia sido feita e homologada. Essa visita foi uma forma de vivenciarmos e vermos efetivamente os resultados positivos que esses projetos trouxeram para os alunos da Apae de Brusque. E este é um exemplo vivo de que realmente os valores foram muito bem aplicados e contribuiu bastante para estruturar ainda mais essa instituição”, comentou.


Estruturação
Na oportunidade o juiz também acompanhou algumas atividades dos alunos da Apae que participaram da Festa Junina e de uma gincana ao longo do dia, realizadas no novo espaço da instituição. “Hoje a Apae é uma das entidades mais equipada com essa questão preventiva de incêndio, graças a esse projeto. Da mesma forma a nossa quadra esportiva, que antes era pequena hoje é ampla, tem todos os equipamentos para a prática de basquete, vôlei, futebol de salão e demais atividades. É uma honra receber o Dr. Edemar aqui para ele pessoalmente ver os benefícios que esse projeto trouxe aos mais de 280 alunos da entidade”, reforçou na oportunidade o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia.

Ao final da visita a diretoria da Apae de Brusque realizou a entrega de uma placa em homenagem ao juiz, como forma de agradecimento pela contribuição que o magistrado tem feito às entidades filantrópicas de Brusque.
Participaram do encontro também o vice-presidente da Apae de Brusque, Renato Roda; o diretor da entidade, Cândido Horácio Godoy; a diretora Executiva da Apae, Rosecler Ceratti Foletto; e a coordenadora da Clínica UniDuniTê, Valdete Battisti Archer. Além disso, Alecir Marcos da Silva, da empresa DeltaCem Telemetria de Negócios, também esteve presente na visita.

Saiba mais
Sobre os recursos aplicados nos projetos, o juiz de Direito da Vara Criminal da Comarca de Brusque explica que eles são oriundos de penas pecuniárias, quando os réus pagam valores ao Judiciário por cometer algum crime. De acordo com Dr. Edemar, em algumas situações o réu pode ser beneficiado com a suspensão constitucional do processo, e entre as condições estabelecidas uma delas é a reparação do dano através da aplicação de uma prestação pecuniária em favor da comunidade. “Em outras situações, o réu é condenado criminalmente e por ser réu primário é possível que o juiz substitua a pena corporal dele por uma pecuniária.

Então essas penas pecuniárias são destinadas a uma conta vinculada ao poder Judiciário, onde ficam depositadas. E esse valor fica disponível para as entidades que preencherem os requisitos legais e se habilitarem através da proposta de projetos”, esclarece.

No mês de abril diversas entidades de Brusque participaram de uma reunião por conta de uma alteração na legislação e, com isso foi criado um processo administrativo, onde todos os pedidos das entidades habilitadas passaram a englobar um único processo. “O segundo passo agora é a nomeação de uma Comissão, com cinco membros determinados por lei, que irá avaliar a habilitação e os projetos. Como os processos já passaram pelo Ministério Público, eles voltam para a análise do juiz, de quais podem ser atendidos”, completa.

Uma vez deferido o projeto, a entidade é contemplada, recebe os recursos e depois, dentro de um prazo estipulado, realiza a prestação de contas da aplicação dos recursos.

“Esses valores que recebemos das multas e prestações pecuniárias são de réus que cometeram algum crime perante a nossa sociedade. Por isso divulgamos para que as entidades se habilitem e façam seus projetos, para que possamos redistribuir esses valores. O dinheiro é oriundo de réus que cometeram crimes dentro da comunidade, e nada mais justo que esse dinheiro retornar em forma de projetos sociais”, complementa Dr. Edemar.

Leia +29/06/2018

Prestação de contas da última parcela Projeto FIA 2017

Leia +20/06/2018

APAE Brusque arrecada R$ 36.745,26 com pedágio

A temperatura na manhã de sábado, 9 de junho, estava baixa, mas a solidariedade aqueceu o coração das pessoas envolvidas no Pedágio da APAE Brusque. A ação foi realizada em treze pontos e contou com 190 voluntários e milhares de doadores, que possibilitaram a arrecadação de R$ 36.745,26 em prol da entidade, sendo R$ 34.676,16 em Brusque e R$ 2.069,10 em Boruverá.
O jovem Guilherme Kohler participou pela primeira vez do pedágio da APAE como voluntário. “Foi uma experiência incrível. É muito gratificante colaborar com uma entidade que realmente precisa. Acho que todo mundo deveria contribuir, com pelo menos uma moedinha. O mundo precisa de mais pessoas que ajudem umas às outras”, declarou.
A professora Suzane Becker foi voluntária pelo segundo ano e destaca a importância da APAE para a cidade. “É uma entidade que precisa muito do apoio da comunidade. A educação num todo precisa e o trabalho realizado pela APAE com crianças e outras pessoas especiais traz um grande retorno. É um serviço que não pode faltar e essa é minha forma de colaborar”, frisou.
Integrante do Clube de Mães da APAE há 15 anos, Marga Denise Barni faz questão de ser voluntária em todos os eventos promovidos pela instituição. “A gente sabe das necessidades que a entidade tem e da pouca ajuda que vem, e apesar de parecer que sou eu quem estou ajudando, na verdade é a APAE que está me dando a oportunidade de fazer o bem. Meu netos já usaram os serviços da Uni Duni Tê, que faz um trabalho muito bonito e importante para a sociedade, e sou grata por isso”, salientou Marga.
A colaboradora da APAE, Rosangela Regina de Modesti, também faz parte do time de voluntários que auxilia nos pedágios da entidade. “É uma alegria poder ajudar. Além de estar na companhia de amigos, ouvir palavras de carinho do público e arrecadar recursos em prol da entidade, é sempre um momento de aprendizado”, considera.
E quem é aluno também veste o colete amarelo que identifica os voluntários do pedágio, e fica feliz em participar. Luana Jesus Rodrigues começou a frequentar a instituição neste ano e ajudou a abordar os motoristas, na companhia da mãe. “Estou desde cedo aqui e essa doação é importante para ajudar as crianças”, descreveu a menina.
Em uma das abordagens, enquanto o semáforo fechava e o vidro do carro se abria, uma das voluntárias se deparou com Angélica Duque e seu filho Mário, que é aluno da APAE. De acordo com a mãe do usuário, o sentimento de satisfação em contribuir com o pedágio, quando se tem um familiar que frequenta a entidade, é ainda maior. “Nós amamos a APAE de Brusque. Viemos de São Paulo há oito anos e é a melhor que já conhecemos”, garante.
A motorista Jaqueline Gamba Jativa diz que sempre que tem oportunidade, colabora com os pedágios solidários. “Acho que todo mundo tem que estar preocupado com o próximo. Não vivemos neste mundo sozinhos, vivemos em interação, então quanto mais a gente puder participar disso, é muito positivo”, observou.
Seja na condição de voluntário ou doador, o sentimento é de gratidão por garantir que mais uma vez, o pedágio da APAE Brusque, fosse um sucesso. O presidente da entidade, Sebastião Ernani Póia, salienta que a ajuda da comunidade é fundamental para a manutenção dos serviços da entidade. “Agradecemos a todos que fizeram sua doação, aos voluntários que abraçaram com tanto amor essa causa e aos profissionais que organizaram mais essa ação. É um resultado gratificante que possibilitará um maior número de atendimentos em nossa APAE. Muito, muito obrigado!”, destacou Póia.
Leia +10/06/2018

Convocação para Assembleia Geral Ordinária

A APAE de Brusque convoca seus associados para participarem de Assembleia Geral Ordinária, a ser realizada no dia 28 de maio de 2018, às 19h, na sede da entidade localizada na Avenida Augusto Bauer, 350.
Na pauta da reunião, está a análise e votação do Relatório de Atividades e Contas da Diretoria Executiva, com base nos demonstrativos contábeis encerrados em 31 de dezembro de 2017.
Leia +17/05/2018

Balancete Prestação de Contas Assistência Social de Brusque

Balancete da Prestação de Contas referente a última parcela de 2017, repassada pela Assistência Social da Prefeitura Municipal de Brusque.
Leia +14/05/2018

Apae de Brusque é homenageada nos 50 anos da Fundação Catarinense de Educação Especial

Evento ocorreu em Florianópolis na última quinta-feira, 3. Apae de Brusque foi a primeira a ser fundada em Santa Catarina e a segunda do país

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recebeu uma homenagem especial no último dia 3 de maio, durante a solenidade de comemoração dos 50 anos da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE), em Florianópolis. O evento reuniu dezenas de pessoas, entre servidores e educandos da FCEE, autoridades civis e militares, representantes de diversas Apaes e de demais entidades do Estado conveniadas com a FCEE, além de convidados especiais, que marcaram a trajetória da instituição estadual.
A homenagem concedida à Apae de Brusque deu-se pela associação ter sido a primeira Apae criada no Estado, representando no ato todas as APAEs de Santa Catariana. O vice-presidente da entidade, Renato Roda, representou a entidade brusquense ao lado da aluna Angela Hoffmann.

Pioneirismo
A FCEE é a primeira instituição pública estadual do Brasil responsável pela definição e coordenação de políticas de Educação Especial. Criada em maio de 1968 e vinculada à Secretaria de Estado da Educação, beneficia milhares de pessoas em todo o Estado que dependem das políticas públicas para serem incluídas com qualidade de vida na sociedade. Tem a missão definir e coordenar a política de educação especial do Estado de Santa Catarina, fomentando, produzindo e disseminando o conhecimento científico e tecnológico desta área.
Para o presidente da FCEE, Joaquim Coelho Lemos, a parceria com a Federação das APAES e demais entidades que atuam em prol da inclusão e da educação especial no Estado foram essenciais ao longo dos últimos anos. “Sem dúvida as fronteiras da FCEE não se limitam mais ao perímetro do campus, mas se entendem por toda Santa Catarina”, afirmou na oportunidade em seu discurso.

Representado
Para o vice-presidente da Apae de Brusque, ver a entidade brusquense ser homenageada foi um grande privilégio, já que a mesma também representou as demais Apaes de Santa Catarina. “Esta é uma forma também de homenagear todos os voluntários que atuam em prol das crianças, jovens e adultos especiais. Santa Catarina é reconhecida com o estado do país que mais gera a inclusão, e a Fundação tem um papel fundamental na organização das políticas do segmento em Santa Catarina, orientando e buscando cada vez mais benefícios para centenas de pessoas. Parabéns a todos envolvidos nessa caminhada”, declarou Roda.
Da mesma forma a presidente da Federação das APAES de Santa Catarina (FEAPAES-SC), Lorena Starke Schmidt ressaltou a importância da celebração da FCEE, que marcou todo o movimento em prol da educação especial catarinense. “Ao longo desses 50 anos a parceria da Fundação com as Apaes e com a nossa Federação foi essencial, e nessa relação destacamos a Apae de Brusque, que é referência em nosso estado e país. Temos muito orgulho de poder fazer parte desse momento. Parabéns à Fundação e também a Apae de Brusque pela homenagem”, completou.

Demais homenagens
Além da Apae de Brusque, também foram homenageados: a Sociedade de Surdos de São José (SSSJ); a ex-servidora Ione Machado por suas contribuições na área de educação de surdos, tendo sido a primeira intérprete oficial de Libras da instituição; Maria Nilza Éckel por suas contribuições na área de educação profissional e na política de educação especial; Sonia Terezinha Serpa de Oliveira pela sua atuação no atendimento descentralizado desenvolvido como integradora de educação especial no estado; e Renata Abraham Peixoto por ser a educanda com mais tempo de atendimento na FCEE.
Ao longo do evento o público conferiu demais homenagens e diversas apresentações especiais, como dança e capoeira.

Também participaram da cerimônia de homenagem, a diretora Executiva da Apae de Brusque, Sandra Helena de Almeida;; e os colaboradores Jean Machado e Tatiana Schlindwein Godoy.

A Apae de Brusque
Fundada em 14 de setembro de 1955, a Apae de Brusque é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado após o nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz. Em 2018 a entidade completa 63 anos, e Pierre é um dos seus alunos. Com ele, mais 300 estudantes recebem atendimento diário.
Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.

(Informações complementares: Assessoria de Imprensa FCEE).
Leia +04/05/2018

APAE de Brusque contrata Assistente Social, Fisioterapeuta e Fonoaudióloga (o)

Vagas em aberto:


- ASSISTENTE SOCIAL
03 vagas de 30 horas semanais cada.
FORMAÇÃO e CRITÉRIOS PARA CONTRATAÇÃO:
• Graduação em Serviço Social
• Inscrição profissional no CRESS – Conselho Regional de Serviço Social
• Pós-graduação, especialização ou pratica comprovada de no mínimo um ano nas áreas de: Educação Especial, Gerontologia Social, Políticas Sociais e Saúde da Família ou Serviço Social na Saúde.

- FISIOTERAPEUTA
01 vaga de 30 horas semanais.
FORMAÇÃO e CRITÉRIOS PARA CONTRATAÇÃO:
• Graduação em Fisioterapia
• CREFITO -10- Ativo
• Especialização em Bobath
• Pós-Graduação em Fisioterapia Neurofuncional

- FONOAUDIÓLOGA (O)
01 vaga de 40 horas semanais
FORMAÇÃO e CRITÉRIOS PARA CONTRATAÇÃO:
• Graduação Superior em Fonoaudiologia
• Registro no CRFa – Conselho Regional de Fonoaudiologia
• Especialização, Pós-graduação ou experiência comprovada em Disfagia e Comunicação Alternativa

Interessados devem enviar Curriculum Vitae para e-mail: administrativo@apaebrusque.org.br
Leia +24/04/2018

Balancete prestação de Contas Assistência Social de Botuverá

Leia +24/04/2018

Balancete prestação de Contas do FIA

Leia +24/04/2018

Balancete Prestação de Contas Assistência Social de Brusque

Leia +24/04/2018

Balancete APAE

Leia +12/04/2018

Balancete

Leia +28/03/2018

Horário de atendimento para Teste do Pezinho

A APAE Brusque comunica que seu setor administrativo estará em recesso de 21 de dezembro a 9 de janeiro, retornando as atividades no dia 10 de janeiro de 2018 em horário comercial. Já o atendimento da Clínica Uni Duni Tê, para realização do Teste do Pezinho, segue normalmente durante as férias, de segunda a quinta-feira das 13h às 16h, com exceção dos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. Mais informações pelos telefones (47) 3351-2482 (ramal 5) e 98424-0617.
Leia +19/12/2017

Alunos da Apae Brusque ganham chester de Natal

A tarde de sábado, 9 de dezembro, foi mais feliz para a aposentada Neide Moraes da Silva. Ela, que é responsável pela criação dos netos Aline e Germano, agora já está com a ceia de Natal garantida. “É uma alegria muito grande para quem passa o ano lutando contra as dificuldades. O Germano nasceu prematuro, com seis meses, e por isso não fala e nem enxerga”, conta a avó.
Neide foi uma das 150 famílias beneficiadas pela doação de um chester, que pelo segundo ano consecutivo presenteou as famílias atendidas pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. O projeto acontece em todo o Brasil e é destinado para pessoas atendidas por entidades assistenciais e sem fins lucrativos.
“Cerca de três mil famílias vão receber o chester na nossa região. O objetivo do programa é o combate ao desperdício e a fome, ao mesmo tempo em que trata da segurança alimentar e nutricional. Nós não fazemos apenas a doação de alimentos, mas também ações educativas na parte de nutrição e serviço social, conforme a demanda de cada instituição”, explica a nutricionista do Programa Mesa Brasil de Blumenau, Caroline Trierweiler.
Ao todo, 285 famílias estavam cadastradas para receber o presente no sábado, mas apenas 150 compareceram na sede da Apae Brusque, onde foi feita a entrega. “Só podemos agradecer a BRF Perdigão e ao Programa Mesa Brasil que, com a doação do chester, vão deixar o Natal dos nossos usuários mais colorido, completo e feliz”, afirma o presidente da Apae Brusque, Sebastião Ernani Poia.

Mais sorrisos
Ivonete Pereira estava acompanhando a filha Jéssica, de 18 anos, no recebimento da ave de Natal. A jovem, que já foi atendida pela Apae em 2008, voltou a fazer o acompanhamento este ano e, por essa razão, foi beneficiada pelo projeto. “Os médicos dizem que ela tem mentalidade precoce, entre cinco e sete anos. Mas quando ficou sabendo que iria receber o chester, me perguntava sobre isso todos os dias. Estamos felizes”, diz a mãe.
Cleonice da Silva trouxe a filha Camila, de 22 anos, para a entrega. “Ela vem na Apae desde os seis anos porque nasceu com microcefalia. E o presente de hoje foi maravilhoso, porque sempre compramos o chester para a ceia de Natal”, avalia.
Leia +13/12/2017

Alunos da Oficina de Tapetes vão às compras na Loja Adriano

Roupas, calçados, eletrônicos, acessórios, brinquedos, itens de papelaria, guloseimas. Os mais diversos produtos estavam na lista de compras dos alunos da Oficina de Tapetes da APAE, que foram às compras na manhã de segunda-feira, 11 de dezembro, na Loja Adriano, no bairro Paquetá.
O dia é esperado com ansiedade durante todo o ano, já que os usuários têm a oportunidade de utilizar o dinheiro que arrecadam com a venda dos tapetes confeccionados por eles, para comprar o que quiserem. De acordo com a professora Vanessa Tatiane Capelatti, o fato de ir às compras além de proporcionar um momento de autonomia, trabalha a questão da responsabilidade, e mostra a importância deles se dedicarem à confecção dos tapetes ou de qualquer outra atividade. “Todo recurso arrecadado com a venda de tapetes, é dividido entre os 21 usuários que frequentam a Oficina. Neste ano, fizemos um passeio para Florianópolis, onde ficamos hospedados no Hotel Sesc Cacupé e agora, viemos fazer compras. Cada aluno já faz uma lista das coisas que gostaria de comprar e recebe um envelope com a quantia que pode gastar. E aqui eles têm a oportunidade de ver as coisas e escolher o que querem levar. Eles ficam muito felizes e orgulhosos de poder fazer compras com o dinheiro que trabalharam para conseguir”, explica Vanessa.
Antes mesmo de chegar na loja, Eduardo Torrezani já estava decidido do que iria comprar. “Eu gosto muito de ouvir música e comprei um rádio e um pen drive com várias músicas sertanejas”, destaca o aluno.
Rochelle Weiss da Silva também fez sua lista e comprou roupa e calçado. “Adoro quando viemos aqui na Loja Adriano fazer compras. Tem coisas muito bonitas e eu comprei um vestido e uma rasteira”, comemora Rochelle.
O passeio marcou o último dia de aula da turma, que foi recepcionada com um café da manhã pela equipe da Loja Adriano. “É sempre muito gratificante receber esse grupo da APAE. Já é praxe todo final de ano, eles virem fazer compras aqui e neste dia, temos cinco vendedoras escaladas especialmente para atendê-los e dar toda atenção que eles precisam”, observa o empresário Jair Adriano.
Para a vendedora Sandra Aparecida Colombi Salvador, é gratificante atender os alunos da instituição. “Ficamos muito felizes com a vinda deles aqui. Sabemos que para a maioria deles, não é comum ter essa autonomia de ir a uma loja e comprar o que quiser. Então, é muito bom poder ajudá-los a encontrar o que querem e ver a felicidade deles em adquirir uma roupa nova, um calçado ou um equipamento eletrônico”, considera Sandra.
Ao final da manhã, todos já estavam com suas cestas de compras completas e com a sensação de que o trabalho junto a Oficina de Tapetes rendeu bons presentes.
Leia +11/12/2017

Sexta-feira tem Aulão de Zumba beneficente na APAE Brusque

Alunos, pais, professores, voluntários e a comunidade em geral, estão convidados para participar de um Aulão de Zumba beneficente, na APAE Brusque, na sexta-feira, 17 de novembro.
Oito professores de Brusque e de Salvador, irão coordenar a atividade que inicia às 19h30, na quadra da entidade.
Qualquer pessoa pode participar e a entrada é um produto de limpeza (sabão em pó, alvejante, desinfetante, detergente, papel higiênico,...), em prol da APAE.



Leia +12/11/2017

Apae de Brusque recebe visita do prefeito

Jonas Oscar Paegle e o vereador Gerson Luís Morelli (Kéka) visitaram a entidade na manhã de terça-feira, 31

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recebeu na manhã de terça-feira, 31 de outubro, a visita do prefeito de Brusque, Jonas Oscar Paegle e também do vereador Gerson Luís Morelli (Kéka). Na oportunidade eles conheceram as instalações da entidade e os trabalhos e serviços prestados aos mais de 300 alunos que são atendidos diariamente pela instituição.
Acompanhados de integrantes da diretoria da Apae, o prefeito e o vereador conheceram a estrutura do Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI) e as ações desenvolvidas com os adultos e adolescentes da entidade, como as Oficinas de Tapeçaria e Papel Reciclado, e o Laboratório de Informática. Em seguida, estiveram no Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecom), onde acompanharam o trabalho realizado com os alunos em fase de envelhecimento e algumas atividades ocupacionais que promovem qualidade de vida aos mesmos.
Por fim, os representantes dos poderes públicos municipais estiveram nas instalações da Clínica UniDuniTê, onde conferiram os serviços oferecidos para a comunidade da região, como o Teste do Pezinho e o Teste da Orelhinha para crianças nascidas em Brusque, Guabiruba e Botuverá, bem como o atendimento especializado na prevenção de deficiências, através da estimulação precoce, que ultrapassa dois mil atendimentos por mês.

Solicitação
Ao longo da visita, também foram discutidas as necessidades da entidade, tanto de recursos financeiros que possam ser repassados para a manutenção da mesma, como de mais profissionais especializados, que possam atender da melhor forma os alunos da instituição e a população de Brusque região.
Na oportunidade o presidente da Apae, Sebastião Ernani Póia entregou ao prefeito dois ofícios com as solicitações de auxílio da prefeitura, sendo que o pedido de repasse financeiro seria a partir do valor oriundo da economia da Câmara de Vereadores que é devolvida ao município.
“Agradecemos ao vereador Kéka, que solicitou a visita do prefeito. Esperamos que essa visita sensibilize o prefeito, para que ele possa ajudar a instituição, pelo que foi visto aqui hoje. Esperamos que com os ofícios apresentados, que mostram a necessidade da entidade, a prefeitura possa contribuir de alguma forma: ou com profissionais ou com repasse de valores. Precisamos melhorar cada vez mais o trabalho prestado aos nossos alunos, que são a nossa preocupação. Temos outras necessidades para melhorar e ampliar os serviços da Apae e isso é fundamental e só podemos fazer se tivermos apoio da prefeitura. Esperamos poder ser atendidos”, ressaltou na oportunidade Póia.
“Nossa preocupação sr Prefeito, que possa ocorrer, Crianças com Algum Tipo de Deficiência Intelectual e nos não podermos atender por falta de recursos e encaminhá-las para a Secretaria de Saude em busca de recursos, hoje não é o caso”

Para o prefeito, conhecer de perto as instalações e estrutura oferecida pela entidade foi muito positivo. “Sempre acompanhei o trabalho da Apae e hoje vimos de perto todo o atendimento especializado que é feito às crianças e pessoas com deficiência, desde aparelhos, equipamentos e estimulação. Foi uma visita importante, recebemos as solicitações e vamos encaminhar para as Secretarias de Saúde e de Educação para vermos o que poderá ser feito”, esclareceu.

A visita foi acompanhado pelo presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, pelo vice-presidente, Renato Roda, pelo conselheiro fiscal da entidade, Candido Horácio Godoy,
pela diretora Executiva da entidade, Sandra Helena de Almeida, pela a coordenadora de captação de Recursos da Apae de Brusque, Rosecler Ceratti Foletto e pela a coordenadora da Clínica Uni Duni Tê, Valdete Battisti Archer.

A Apae de Brusque
Fundada em 14 de setembro de 1955, a Apae de Brusque é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado após o nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz. Em 2017 a entidade completou 62 anos, e Pierre é um dos seus alunos. Com ele, mais 322 estudantes recebem atendimento diário.
Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.
.
Leia +01/11/2017

Clube de Mães da APAE promove Café de Natal

O Clube de Mães da APAE Brusque realiza seu último café com bingo, na terça-feira, 7 de novembro, a partir das 14h, na APAE. O tradicional Café de Natal será um pouco diferente dos demais cafés promovidos ao longo do ano. Das 14h às 15h haverá bingo, das 15h às 15h45 terá roda da fortuna e às 16h será servido o café.
O valor por pessoa é R$ 20 e dá direito a duas cartelas de bingo. Quem quiser também pode contribuir com brindes. Mais informações com Lucimar, pelo telefone 3355-2700 ou Clara – 3355-0691. Grupos com mais de dez pessoas, devem ligar para reservar lugares.

Leia +01/11/2017

APAE Brusque divulga nomes dos ganhadores da rifa da entidade

Os prêmios da tradicional rifa da APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Brusque, foram sorteados no último sábado, 28 de outubro, pela loteria federal, e na noite de segunda-feira, 30 de outubro, a entidade fez a abertura das urnas com os canhotos dos blocos de rifas, para divulgar os nomes dos vencedores.
Na presença de alguns festeiros e voluntários que ajudaram na realização da festa de setembro, e na venda da rifa, colaboradores e membros da diretoria da APAE, anunciaram os ganhadores, sendo que neste ano, a pessoa premiada com o automóvel, estava presente no momento do anúncio e ficou sem reação ao receber a notícia. “Uau! Não sei nem o que dizer, mas estou muito feliz”, disse Carolina Karsten Tamanini, de 12 anos.
O pai da menina, Marcio Tamanini é voluntário da APAE e estava junto com a filha acompanhando a divulgação do resultado da rifa, na noite de segunda-feira, na sede da APAE. “Colaboro com a APAE há mais de 20 anos. Nossa família está sempre envolvida nas atividades, além de ajudar a vender a rifa, participamos como festeiros todos os anos, vamos revezando entre a família e neste ano, a Carolina foi festeira e ajudou na barraca do bolo. Fazemos parte do grupo apaeano porque sabemos da necessidade e que todo valor é muito bem empregado pela entidade, que reverte os investimentos em evolução para as pessoas atendidas aqui. Acompanhamos o quanto as crianças se desenvolvem, e quanto os usuários conseguem adquirir mais qualidade de vida e entusiasmo ao frequentar a APAE. Todos deveriam se doar um pouquinho, é isso que a gente faz, com grande amor e carinho e nunca esperando algum tipo de recompensa, mas desta vez, minha filha foi contemplada com o primeiro prêmio da rifa, que nos deixou muito felizes. É realmente muito gratificante”, declarou Tamanini.

Gratidão
O vice-presidente da entidade, Renato Roda fez a entrega das chaves do carro para Carolina e em nome da APAE agradeceu a todas as pessoas que ajudaram na venda dos bilhetes e que compraram a rifa. “Nós só temos a agradecer a todos que colaboraram, pois arrecadamos quase R$ 200 mil com a rifa e esse valor vai nos ajudar muito neste final de ano, uma época em que temos despesas extras como décimo terceiro e férias. Foi uma alegria maior ainda, ter a ganhadora Carolina aqui presente durante a apuração dos nomes. Não posso deixar de agradecer também a parceria com o Bóca Mafra Automóveis, que nos doa o carro e a moto, e com a empresa Irmãos Fischer, que doa os eletrodomésticos. Essa colaboração mostra o apreço que a comunidade brusquense tem pela APAE. Nunca encontramos uma porta fechada e isso é essencial, já que a entidade vive de doação. São poucos os recursos vindos do poder público e essa ajuda é muito significativa”, descreveu Renato.
A entidade divulgou ainda o balanço geral da festa com a rifa, que juntas tiveram uma receita de R$ 327.825,59, despesas no montante de R$ 65.731,08, e lucro líquido de R$ 262.094,51.

BOX
Ganhadores da Rifa da APAE Brusque
1º Prêmio (Nº 12.808) – Automóvel UP 1.0 0km: Carolina Karsten Tamanini
2º Prêmio (Nº 11.438) – Moto CG Fan 125 0km: Confecções Tharog
3º Prêmio (Nº 84.925) – Conjunto Depurador de ambiente, forno elétrico e fogão Fischer: Paulo Henrique Chaves
4º Prêmio (Nº 86.651) – Televisão LCD 32”: Germano Alberto Kohler
5º Prêmio (Nº 73.515) – Playstation 4: Andrigo Martins

Leia +01/11/2017

Alunos da APAE Brusque são recebidos por estudantes da Escola Dr. Carlos Moritz

Usuários da APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Brusque, foram recebidos na manhã de sexta-feira, 20 de outubro, por estudantes da Escola de Ensino Fundamental Dr. Carlos Moritz, no Zantão.
O encontro além de promover a interação entre os alunos das duas instituições educacionais, contou com a apresentação dos trabalhos realizados pelos usuários da APAE e a entrega de lacres para a Campanha ‘Eu ajudo na lata’. “É comum trabalharmos questões relacionadas ao meio ambiente e também à cidadania e então foi proposto aos alunos, fazermos uma campanha entre as turmas, para arrecadar a maior quantidade de lacres possível, para doar à APAE, a fim de que esse material, possa auxiliar na compra de cadeiras de rodas adaptadas. Por meio dessa atividade, transformamos a teoria em prática e realizamos uma ação concreta”, observa a coordenadora da Escola Itamara Paulini.
Luis Antônio do Amaral, de 7 anos, é um dos alunos da escola que se esforçou para juntar lacres. “Estava pensando comigo mesmo, que foi muito legal participar dessa campanha, pois vai ajudar alguma pessoa que precisa de uma cadeira de rodas especial, e essas cadeiras são muito caras. Eu gostei muito de participar. Pedi ajuda para a minha família e um amigo do meu pai também ajudou a guardar lacres. Estou muito feliz”, revela o menino, que é aluno do 1º ano.
A professora de hora atividade, Vitória Elena Werner Staack, explica que a iniciativa entre os alunos teve início em março e encerrou em outubro. “Inicialmente explicamos sobre a Campanha ‘Eu ajudo na lata’ e motivamos os estudantes de todas as turmas a arrecadar os lacres. Depois foi colocada uma garrafa pet em cada sala de aula, onde os alunos iam depositando o material e à medida que as garrafas ficavam completas, íamos trocando por outras. Ao todo, foram arrecadadas 32 garrafas de lacres e a turma que mais contribuiu foi o primeiro ano, que ganhou como prêmio, um passeio com piquenique no Parque das Esculturas”, descreve a professora.
Para o diretor da Escola, Nelson Frener, a campanha que arrecadou lacres é resultado de um trabalho coletivo. “Essa ação é fruto da contribuição de toda a equipe e ficamos muito felizes em receber os alunos da APAE aqui na escola que leva o nome do Dr. Carlos Moritz, que foi quem fundou a entidade em Brusque”, destaca Frener.
O presidente da APAE, Sebastião Ernani Póia, avalia o encontro realizado na manhã de sexta-feira, como recompensador. “A iniciativa da Escola em convidar nossos alunos para vir fazer essa visita e a entrega desses lacres é extremamente positiva. É um trabalho de formiguinha, cada um vai arrecadando um pouco e graças à colaboração de cada um já foi possível entregar seis cadeiras de rodas a pessoas carentes que necessitam de uma cadeira adaptada. Essa oportunidade de os usuários da APAE virem, interagirem com outras pessoas e mostrarem seus trabalhos é muito bacana”, declara Póia.
A Campanha ‘Eu ajudo na lata’ é promovida desde 2014, pela Unimed Brusque em parceria com a ACIBr, e conta com o apoio das APAEs de Brusque e Guabiruba, Rotary Club, Lions Clube de Brusque Berço da Fiação, Rede Feminina de Combate ao Câncer, CDL Brusque e Unifebe. Ela consiste em arrecadar lacres de alumínio para serem trocados por cadeiras de rodas adaptadas, que são entregues a portadores de deficiência carentes.
Leia +23/10/2017

APAE Brusque recebe visita do deputado Peninha

A APAE Brusque recebeu na última sexta-feira, 6 de outubro, a visita do deputado federal Rogério Mendonça (Peninha), que esteve acompanhado pelos vereadores Deivis da Silva e Joaquim Costa (Manico).

Durante a conversa com o diretor presidente da entidade, Sebastião Ernani Póia, foi entregue ao deputado, um Ofício com duas solicitações de recursos financeiros, para o custeio de projetos que objetivam maior segurança, organização e qualidade de vida aos usuários da APAE.

Um dos projetos diz respeito a obras na área externa: pavimentação, estacionamento, instalação de portaria de acesso, construção de parque com arborização, equipamentos para prática de atividades físicas, brinquedos e outros recursos para promover dinâmicas de trabalhos com os usuários.

Já a segunda solicitação se refere à necessidade de aquisição de uma Van, em substituição a atual, que está em condições precárias e demanda custos em manutenção, situação que a instituição não consegue manter.

Peninha se comprometeu a pleitear os recursos no montante de R$ 130 mil, que de acordo com a legislação atual, devem ser repassados à Prefeitura, para que esta faça a aquisição do veículo e o transfira em forma de comodato para a APAE.

Ao término da visita, o deputado e os vereadores assistiram ao vídeo institucional da APAE.




Leia +10/10/2017

APAE Brusque arrecada R$ 61.772,42 com festa de setembro

Após a realização da 37ª Festa da APAE Brusque, nos dias 15 e 16 de setembro, a entidade presta contas da receita, despesas e lucro líquido do evento. A festa gerou uma arrecadação bruta de R$ 122.689,60, teve despesas no montante de R$ 60.917,18, e resultou num lucro de R$ 61.772,42.
“Tivemos um bom resultado e estamos muito contentes. O valor ficou bem próximo do que arrecadamos em 2016 e neste ano, percebemos que houve um aumento no número de pessoas que prestigiou a festa. Por outro lado, o consumo de bebidas foi menor que nos outros anos, mas vendemos mais churrascos e o prato quente também foi bastante procurado. É um recurso favorável que vai ajudar significativamente a instituição. E também conseguimos fazer nossa confraternização entre toda a comunidade, funcionários, professores, alunos e todos os voluntários que auxiliaram neste evento. Esse é um dos grandes motivos da nossa festa. E quero deixar um agradecimento especial a todas as pessoas que se envolveram, aos voluntários que há tantos anos nos ajudam e também àqueles que participaram pela primeira vez e já garantiram presença no próximo ano”, salienta o diretor de Promoção e Eventos da APAE Brusque, Michel Belli.
Michel observa ainda que a entidade continua comercializando sua tradicional rifa, que será sorteada no dia 28 de outubro, pela Loteria Federal. “Temos mais algumas semanas para vender os bilhetes e blocos da rifa, que é outra forma importante de a APAE arrecadar recursos para auxiliar na manutenção da entidade. Por isso, agradeço de coração a todos os ‘apaexonados’ que abraçam essa causa”, completa o diretor.

Leia +10/10/2017

Tradicional Festa da APAE será nos dias 15 e 16 de setembro

Os preparativos para a tradicional Festa da APAE seguem a todo vapor. O evento que oportuniza um momento de confraternização entre alunos, usuários, professores, funcionários, diretoria, voluntários e a comunidade de Brusque e região, será realizado nos dias 15 e 16 de setembro.
Neste ano, uma das novidades gastronômicas, será o prato quente, que vai ser servido pela equipe Campi Buffet na noite de sexta-feira, 15. Com o objetivo de colaborar com a entidade, o empresário Oscar Campi vai doar todos os ingredientes e ficará responsável pelo preparo da comida que será servida em forma de buffet, sendo que as pessoas poderão se servir. Para quem preferir, também haverá marmitas prontas para levar para casa.
Além do prato quente, os participantes da festa, poderão degustar outras opções como churrasco, cachorro-quente com duas linguiças, bolo com café e docinhos. O cartão de prato quente terá o custo de R$ 20 e o churrasco, R$ 35. Haverá ainda roda da fortuna, pescaria, barraca dos alunos e barraca do Clube de Mães.
Na noite de sexta-feira, 15 de setembro, os festejos iniciam às 19h, com atração musical de Ronaldo Portoalegre e Trio. Já no sábado, 16 de setembro, será realizado um culto ecumênico às 18h e a partir das 20h30, sobem ao palco para agitar o público, Bolsoni e Trio Acústico.

Voluntários
Para auxiliar na festa, a APAE solicita a ajuda de voluntários, que podem fazer contato pelo telefone (47) 3351-2482 (falar com Milani ou Aline) ou pelo e-mail captacao@apaebrusque.com.br.
O diretor de Promoção e Eventos da APAE Brusque, Michel Belli, destaca a importância do evento para a entidade. “A festa tem três objetivos principais. Primeiramente o congraçamento e o momento de lazer entre a comunidade apaeana e o público em geral. Outra questão é a arrecadação de recursos com a venda de comidas e bebidas, que contribui muito para a parte administrativa da instituição, e o terceiro é a venda da rifa, já que aproveitamos a festa também para oferecer os bilhetes da rifa. Por isso, reforçamos o convite para a comunidade, que sempre participa e colabora com a APAE Brusque. Esperamos encontrar todos aqui, neste evento de confraternização e que ajuda muito a manter as atividades que atendem 300 usuários atualmente”, considera Michel.
Leia +31/08/2017

Rifa da 37ª Festa da Apae já está sendo vendida

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque já está comercializando a rifa de sua tradicional festa que, este ano, chega a 37ª edição e está marcada para os dias 15 e 16 de setembro, na sede da instituição. A rifa, no entanto, antecede o evento e é a principal fonte de arrecadação para as despesas de manutenção da entidade.
“A festa, assim como a rifa, tem a finalidade de arrecadar fundos para a manutenção da instituição. Nós estamos passando por uma dificuldade financeira importante e, por isso mesmo, dependemos dos recursos da venda da rifa”, afirma o diretor social da Apae Brusque, Márcio Belli.
Entre os prêmios da rifa estão um automóvel 0K, uma moto, um conjunto de depurador de ambiente, forno elétrico e fogão, uma televisão de 32´ e um Playstation. O bilhete com três números custa R$ 6 e o sorteio será realizado no dia 28 de outubro, pela Loteria Federal.
“As rifas podem ser adquiridas aqui na instituição, pelo telefone 3351-2482, com os nossos festeiros, voluntários e colaboradores. Também contamos com a solidariedade de vários empresários, que são envolvidos com a causa e pessoas de bem. Eles entendem que há necessidade de colaborar para que se mantenha o serviço prestado pela Apae para quem necessita. Todo ano nós enviamos determinado valor para as empresas. Em após o recolhimento, caso sobre alguns blocos, contamos mais uma vez com a colaboração”, enfatiza Belli.
A comissão responsável pela 37ª Festa da Apae também já se reuniu algumas vezes para planejar o evento. Estão definidas as atrações musicais e a substituição da Polenta com Galinha por um Buffet na noite de sexta-feira, com doação integral do empresário Oscar Campi.
“Quem ainda não conhece a Apae e quer contribuir com a rifa, deixamos o convite para que venha até a instituição conhecer o trabalho desenvolvido. E fica nosso agradecimento a todos que vão comprar a rifa, participar da festa ou ajudar com o serviço voluntário”, completa o diretor social.
Leia +11/08/2017

Apae de Brusque recebe doação da Federação das Apaes de Santa Catarina

Dois kits de PediaSuit foram dados para entidade brusquense

O presidente da Federação das Apaes de Santa Catarina (Feapaes-SC), Julio Cesar Aguiar esteve na última terça-feira, 25 de julho, na sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. A visita teve como objetivo a entrega de dois kits de PediaSuit, equipamento utilizado para a melhoria da coordenação motora e o desenvolvimento dos alunos da entidade.
A doação da Apae de Brusque é o resultado de uma parceria da Federação com o Ministério Público do Trabalho, que através do repasse de uma verba permitiu à Feapaes-SC a aquisição de 14 kits. Em todo o Estado serão distribuídos quase 90 kits, sendo 18 deles itinerantes. “Ou seja a Apae que não foi contemplada com algum equipamento irá recebê-lo por três ou quatro meses para o tratamento de seus alunos. Com isso esperamos que em um curto espaço de tempo 100% do Estado seja atendido”, completou Aguiar.
Segundo ele, a Apae de Brusque é referência no Estado e o PediaSuit era um equipamento que estava faltando para a melhoria no atendimento prestado pela entidade. “Esses kits vêm dar aos nossos alunos com deficiência motora melhores condições significativas, já que muitos que não andavam hoje andam. Todos os alunos que fazem esse protocolo, diariamente, por determinado período, têm resultados fantásticos, já que ele é responsável a estimular o aluno que não se locomove a andar. No Estado, são mais de 200 ex-cadeirantes, após o uso do protocolo”, explicou o presidente da Feapaes-SC .
Para o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia foi um privilégio para a entidade ser contemplada com os kits que podem diminuir sensivelmente a deficiência motora dos alunos. “É pleito que já tínhamos feito na Federação e temos certeza que irá beneficiar muito os alunos da nossa instituição. Vamos preparar a nossa equipe que fará os atendimentos e com certeza quem ganha com isso não são só os nossos alunos, mas toda a sociedade em si”, frisou Póia.

Saiba mais
O Protocolo Pediasuit é uma abordagem terapêutica para indivíduos com distúrbios neurológicos, como paralisia cerebral, atraso no desenvolvimento, lesões traumáticas cerebrais, autismo e outras condições que afetam o desenvolvimento motor e/ou as funções cognitivas.Trata-se de um programa de tratamento estabelecido com base nas necessidades individuais da criança, constituído por exercícios específicos e intensivos que ajudam a minimizar reflexos patológicos e fomentam o estabelecimento de novos padrões de movimentos corretos e funcionais.
O Suit consiste em colete, touca, calções, joelheiras, calçado e um sistema de elásticos ajustáveis, que desempenha um papel crucial na regulação do tónus muscular e na função sensorial vestibular (Informações adicionais: site da Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras).

A Apae de Brusque
Fundada em 14 de setembro de 1955, a Apae de Brusque é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado após o nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz. Em 2017 a entidade completa 62 anos, e Pierre ainda é um dos seus alunos. Com ele, mais 322 estudantes recebem atendimento diário.
Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.
Leia +27/07/2017

Apae divulga resultado do Bazar Solidário

Nesta quarta-feira, 11 de julho, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, divulgou a receita do seu Bazar Solidário, com mercadorias apreendidas pela Receita Federal. O evento, realizado nos dias 7, 8 e 9 de julho, comercializou mais de 90% dos produtos disponíveis, totalizando uma receita de R$ 207.726,00.
“Emitimos 944 recibos, o que nos dá uma média de compra de R$ 220,04 por pessoa. Vale ressaltar que na última semana nós recebemos a doação de blusas de um empresário da região. Ele sugeriu colocar os produtos à venda junto com as mercadorias da Receita Federal, o que nos trouxe um incremento nas vendas de pouco mais de R$ 20 mil. Então, ao todo, o resultado do bazar foi de R$ 207.726,00”, afirma o diretor social da entidade, Márcio Belli.
Segundo ele, a reunião de diretoria da entidade está marcada para a próxima segunda-feira, 17 de julho, quando serão analisados os orçamentos para dar sequência aos projetos pendentes na instituição. Entre eles se destacam a instalações do pára-raios, da caixa d´agua e rede de hidrantes e das câmeras de monitoramento eletrônico.
“Lamentamos que não foi possível atender a todos que aqui vieram. A quantidade de pessoas extrapolou, principalmente na sexta-feira. O método adotado é a distribuição de senhas por ordem de chegada e não foi possível acelerar o passo de quem fazia compras acompanhando por monitores. Nós conversamos com as pessoas, que acabaram entendendo. Queremos lembrar que a causa é nobre. Mais do que comprar uma mercadoria, vale a intenção de ajudar a Apae. Então fica o nosso agradecimento. A Apae está sempre aberta para receber a visita da comunidade. Geralmente, quem passa por aqui se sente mais fortalecido. Então deixo esse convite para que todos possam vivenciar esta experiência”, salienta Belli.
Leia +13/07/2017

Bazar da Apae de Brusque registra grande movimentação em seu primeiro dia

Evento organizado pela entidade, com produtos da Receita Federal, continua neste sábado e domingo

Na sexta-feira, 7 de julho, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, iniciou mais uma edição do bazar da entidade, com produtos apreendidos pela Receita Federal. Ao longo de todo o dia foi registrada grande movimentação na sede da entidade, de pessoas de Brusque e de demais cidades da região, que estiveram no primeiro dia do evento para os mais variados produtos disponíveis.
Desde as 14h da quinta-feira, 6, algumas pessoas já se dirigiram para a sede da entidade para a fila, onde aguardaram para a retirada das senhas. “Ficamos surpresos com o número de pessoas que vieram até o bazar nesse primeiro dia. O nosso estacionamento e as ruas ao redor da Apae ficaram lotados de veículos, parecia até a nossa Festa de setembro. Infelizmente não é possível atender a todos e distribuímos um número determinado de senhas, já que cada um leva algum tempo no bazar, para escolher os produtos”, comenta o diretor social da Apae Brusque, Márcio Belli.
Ao longo da sexta-feira, cerca de 180 pessoas foram atendidas somente no período da manhã. Até o final do dia foram cerca de 300 atendimentos. Além disso, o bazar conta com 20 monitores simultâneos que realizam o atendimento, para agilizar ainda mais o processo e orientar o público na escolha dos produtos.

Público satisfeito
A estudante Gisele Duarte dos Reis não perdeu a oportunidade de adquirir roupas, maquiagens e produtos eletrônicos, e veio de Blumenau para conferir os produtos do bazar.
“Valeu a pena ter vindo, sempre que tiver agora, quero vir de novo”, comentou ela que esteve pela primeira vez no evento.
Da mesma forma o pintor João Ponciano Wolff, morador do bairro Ponta Russa, de Brusque, também marcou presença no bazar, na sexta-feira, 7. Às 6h ele chegou na sede da entidade para a retirada da senha e saiu satisfeito com os 14 itens que levou, entre roupas e eletrônicos. “Consegui roupas para minha esposa, itens meu filho, enfim, para toda a família. Era o que eu procurava e valeu muito a pena ter vindo. A espera faz parte”, comentou.

Como participar
O bazar continua neste sábado, 8, e domingo, 9 de julho, das 8h às 17h, sem fechar para almoço, na sede da Apae de Brusque (av. Augusto Bauer,350 - Jardim Maluche). A partir das 7h acontece a distribuição das senhas. O limite de compra é de R$ 700 por pessoa e o pagamento pode ser feito à vista em dinheiro ou em até três vezes no cartão de crédito. Para fazer as compras é indispensável a apresentação de documentos pessoais, ou seja: CPF e RG.
São videogames, tablets, aparelhos de som, aviões e carros de controle remoto, cartões de memória para câmera fotográfica, pendrives, entre outros. Há, ainda, acessórios para pesca, uma variedade de perfumes e cremes importados, tapetes, roupa de cama, luminárias e brinquedos. Além disso, para os dias mais frios, estão disponíveis diversos modelos de casacos, alguns, inclusive, de lã batida.
“Estamos contentes e torcendo para que ao longo desses dias esses produtos possam ser adquiridos, para que não haja necessidade de fazermos mais uma edição do bazar ou que esses produtos sobrem. Agradecemos a todos que vieram e tiveram paciência em aguardar a sua vez, e esperamos quem deseja adquirir algum produto. Todos são convidados para conferirem os produtos neste sábado e domingo”, frisa Belli.


SERVIÇO
Bazar da Apae de Brusque
Na sede da entidade: av. Augusto Bauer,350 - Jardim Maluche
Sabádo, 8, e domingo, 9 de julho
Distribuição de senhas a partir das 7h
Atendimento das 8h às 17h (sem fechar para o almoço)
Limite de compra: R$ 700 por pessoa
Indispensável a apresentação de CPF e RG
Mais informações: (47) 3351-2482.
Leia +08/07/2017

Tudo pronto para o Bazar da APAE

Inicia nesta sexta-feira, 7 de julho, às 8h, na sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, mais uma edição do bazar com produtos apreendidos pela Receita Federal. Chama a atenção a quantidade de eletrônicos disponíveis para a venda por um valor mais acessível. São videogames, tablets, aparelhos de som, aviões e carros de controle remoto, cartões de memória para câmera fotográfica, pendrives, entre outros. Há, ainda, acessórios para pesca, uma variedade de perfumes e cremes importados, tapetes, roupa de cama, luminárias e brinquedos. Além disso, para os dias mais frios, estão disponíveis diversos modelos de casacos. Alguns, inclusive, de lã batida.
O bazar será realizado nesta sexta-feira, sábado e domingo, respectivamente dias 7, 8 e 9 de julho, das 8h às 17h, na sede da Apae. O limite de compra é de R$ 700 por pessoa e o pagamento pode ser feito à vista ou em até três vezes no cartão de crédito.
“Estamos esperançosos de que vamos conseguir fazer a venda destas mercadorias nos três dias previstos. Não são produtos que se destacam pela quantidade e, sim, pela qualidade. Recebemos muito eletrônico. Temos bastante variedade de produtos”, afirma o diretor social da Apae Brusque, Márcio Belli.
Segundo ele, a distribuição de senhas no local iniciará às 7h. Já o atendimento segue das 8h às 17h, sem fechar para o almoço. Para fazer as compras é indispensável a apresentação de documentos pessoais, ou seja, CPF e RG.
Com o valor angariado pelo bazar, a expectativa é terminar a instalação do para-raio e da rede de hidrantes da instituição. “Temos duas caixas de água colocadas, mas não instaladas. O para-raio é outra prioridade porque nos deixa sempre preocupados durante as trovoadas. Também pretendemos iniciar o monitoramento por câmeras, que é importante para a segurança dos alunos e como forma de fiscalizar o que está ocorrendo na instalação durante o expediente e, sobretudo, fora do horário. Este ano já tivemos duas tentativas de arrombamentos e isso é muito grave”, explica Belli.
De acordo com o diretor da Apae Brusque, pela própria movimentação de montagem e venda do bazar, bem como pelo uso da quadra interna para a realização do evento, as férias dos alunos do Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecom) foram adiantadas para esta semana. As aulas, no entanto, continuam mantidas na Clínica Uni Duni Tê e Instituto Santa Inês (ISI).
“Deixo nosso convite para que a comunidade se faça presente porque as mercadorias estarão com um preço muito bom. Não vamos ter a mesma quantidade de produtos do último bazar, pois recebemos praticamente a metade do último lote. Ainda assim, esperamos que todos possam fazer suas compras e que saiam daqui satisfeitos. A Apae agradece a colaboração de todos”, completa Belli.
Leia +05/07/2017

Apae realiza bazar com produtos apreendidos pela Receita Federal

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, realiza nos dias 7, 8 e 9 de julho, das 8h às 17h, na sede da entidade, mais um bazar com mercadorias apreendidas pela Receita Federal. O limite de compra é de R$ 700 por pessoa e o pagamento pode ser feito à vista ou em até três vezes no cartão de crédito.
“Estamos esperançosos de que vamos conseguir fazer a venda destas mercadorias nos três dias previstos. Não são produtos que se destacam pela quantidade e, sim, pela qualidade. Recebemos muito eletrônico, tablet... Temos bastante variedade de produtos”, afirma o diretor social da Apae Brusque, Márcio Belli.
Segundo ele, a distribuição de senhas no local iniciará às 7h. Já o atendimento segue das 8h às 17h, sem fechar para o almoço. Para fazer as compras é indispensável a apresentação de documentos pessoais, ou seja, CPF e RG.
Com o valor angariado pelo bazar, a expectativa é terminar a instalação do para-raio e da rede de hidrantes da instituição. “Temos duas caixas de água colocadas, mas não instaladas. O para-raio é outra prioridade porque nos deixa sempre preocupados durante as trovoadas. Também pretendemos iniciar o monitoramento por câmeras, que é importante para a segurança dos alunos e como forma de fiscalizar o que está ocorrendo na instalação durante o expediente e, sobretudo, fora do horário. Este ano já tivemos duas tentativas de arrombamentos e isso é muito grave”, explica Belli.
De acordo com o diretor da Apae Brusque, pela própria movimentação de montagem e venda do bazar, bem como pelo uso da quadra interna para a realização do evento, as férias dos alunos do Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecom) foram adiantadas para a semana do bazar. As aulas, no entanto, continuam mantidas na Clínica Uni Duni Tê e Instituto Santa Inês (ISI).
“Deixo nosso convite para que a comunidade se faça presente porque as mercadorias estarão com um preço muito bom. Não vamos ter a mesma quantidade de produtos do último bazar, pois recebemos praticamente a metade do último lote. Ainda assim, esperamos que todos possam fazer suas compras e que saiam daqui satisfeitos. A Apae agradece a colaboração de todos”, completa Belli.

Leia +26/06/2017

APAE Brusque recebe doação no valor de R$ 11 mil

A palestra beneficente “Navegando com sucesso”, ministrada por Vilfredo Schurmann, na noite do dia 8 de junho, no Centro Empresarial, teve sua renda revertida para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE Brusque. O evento foi promovido pela Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Brusque) e Toalhas Atlântica.
Durante quase duas horas de palestra, através de uma narrativa cheia de entusiasmo, foi possível embarcar com a Família Schurmann no veleiro Kat e entender como lições do alto mar podem ser proveitosas para ondas e tempestades enfrentadas por todos na vida pessoal e profissional. Aprendizados valiosos como o planejamento, trabalho em equipe, administração dos imprevistos e adaptação às novas realidades, investimento em tecnologias e as escolhas desmedidas em prol da sustentabilidade.
“São 32 anos de vivência no mar e três voltas ao mundo. Aprendi o valor da liderança e a necessidade do jogo de cintura. Nos momentos de tensão foi preciso serenidade para tocar o barco diante da tempestade. Porém, o mais importante é acreditar naquilo que se realiza. Sonho sem data marcada fica difícil de alcançar”, ensina Vilfredo.
A última aventura da Família Schurmann foi a “Expedição Oriente”, com partida e chegada no município de Itajaí, entre 21 de setembro de 2014 e 10 de dezembro de 2016. Neste momento, todo o planejamento da equipe está direcionado para uma nova missão que deve iniciar no segundo semestre do próximo ano.

A parceria
No início de 2017, os diretores da ACIBr e CDL realizaram uma visita na Apae de Brusque e ficaram comovidos com a qualidade dos serviços prestados diante da limitação de recursos. “Sentimos a necessidade de ajudar e pensamos em realizar um evento beneficente. Começamos a procurar palestrantes de renome nacional e, para nossa felicidade, a Toalhas Atlântica tinha o contato do Vilfredo Schurmann e, com este patrocínio, conseguimos organizar a ação desta noite. Ele fala sobre as lições do mar, o planejamento, as situações complicadas e como tudo isso se parece com a vivência empresarial. Assim, o assunto se torna interessante e mais fácil de ser absorvido. Há, também, a mensagem de otimismo e perseverança”, explica o presidente da ACIBr, Halisson Habitzreuter.
Já o presidente da CDL, Michel Belli, destaca esse caráter solidário do evento, concretizado pela união de duas entidades e uma empresa em prol da Apae. “A causa é nobre, você adquire conhecimento e sabe que o valor do ingresso será bem aplicado. A Apae precisa, ainda mais em um ano de crise, no qual é difícil arrecadar fundos para pagar professores e as demais despesas administrativas. Estamos satisfeitos com o resultado da palestra e agradecemos a todos que estiveram presentes e colaboraram”, observa.
A diretora da Toalhas Atlântica, Susymeri Ogliari, agradeceu à Família Schurmann pela oportunidade de ser parceira da “Expedição Oriente”. “Acreditando que suas palavras possam inspirar, motivar a outros e encorajar muitos empresários, cidadãos e famílias a ajustar as velas de sua vida, de sua empresa, de seus negócios, é que estendemos esta palestra para ACIBr e CDL. Temos que compartilhar boas ideias, histórias de vida em abundância em tempos onde tudo parece sem vida, sem cor e sem luz”, disse a empresária.
Ao final do evento foi entregue para a Apae um cheque simbólico no valor de R$ 11 mil, correspondente ao resultado integral da venda de ingressos. “Só posso agradecer pela sensibilidade que ACIBr, CDL e a Toalhas Atlântica demonstraram pelo trabalho que a Apae realiza. É um momento muito alegre para nós”, afirma o presidente da entidade, Sebastião Ernani Poia.

Diário de Bordo – Expedição Oriente
Soluções sustentáveis fizeram parte desta grande empreitada. Tratamento de efluentes, energia limpa, um compactador para diminuir o tamanho do lixo encontrado e recolhido pelo caminho. A embarcação, com 70 m², e tripulada por oito pessoas, tinha até um espaço para a horta, de onde se colhia salsa e manjericão frescos.
A tecnologia foi uma grande aliada. Permitiu a passagem pelo Cabo Horn (Chile), no encontro dos oceanos Atlântico e Pacífico, conhecido pela baixa pressão e ventos de até 220 km/h. Também evitou os ataques de piratas na China. Através da localização foi possível desviar de quem poderia colocar a tripulação em risco.
Durante a palestra, Vilfredo também lembrou do ex-governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira que, por três ocasiões, esteve com ele na Embaixada da China, intercedendo pela entrada da expedição no país. O Kat foi o primeiro veleiro brasileiro que chegou ao país.
“Na Polinésia Francesa fomos informados da presença de baleias. Fui conversar com um especialista, um biólogo marinho, que entendeu o projeto e nos levou até o local. Mergulhei e fiquei de frente com um filhote. Mamífero olhando para mamífero. A mamãe baleia estava perto. Foi uma experiência incrível, algo que nunca vou esquecer”, atesta o capitão.
Já o oceano índico trouxe a história de um vulcão em erupção. Com todo o local interditado em um raio de seis quilômetros, restou convencer as autoridades de que permitir o acesso da equipe se tratava de uma boa ideia. E deu certo. “Há momentos da vida que exigem decisões ousadas. Já estava a 50 metros do vulcão e queria me aproximar mais do rio de larvas. Com a autorização, ficamos cerca de cinco metros distante das larvas. A minha bota tinha cheiro de pneu furado e as imagens ficaram inacreditáveis”, relembra Vilfredo.
E o momento mais difícil da expedição foi enfrentado na Nova Zelândia, no meio de uma tempestade com ventos de 135 km/h. Com dois mastros caídos e sem autonomia para chegar ao destino, restava a opção de velejar contra a tormenta. O capitão, no entanto, tomou uma decisão difícil, fechou toda a embarcação e esperou a tempestade passar. Dois dias depois eles continuaram a viagem.
As aventuras da Família Schurmann podem ser acompanhadas todas as terças-feiras, às 22h30, no canal National Geographic.

Leia +14/06/2017

Pedágio da APAE Brusque arrecada R$ 32.073,07

Mesmo com o frio que fez na manhã de sábado, 10 de junho, a diarista Ana Maria Dalcegio levantou cedo para ajudar no pedágio da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE Brusque. A voluntária participa da ação há quatro anos e diz se sentir feliz em doar um pouco do seu tempo. “Eu adoro ajudar no pedágio. Participo sempre dos cafés promovidos pelo Grupo de Mães da APAE todos os meses e uma vez ao ano, ajudo no pedágio. É muito bom quando as pessoas contribuem de coração”, define Ana Maria.
A estudante Caroline Cesari Roncelli também esteve entre os voluntários e participou do pedágio pela primeira vez. “Conheço algumas meninas que sempre vêm ajudar e quando fiquei sabendo que a APAE estava precisando de pessoas, resolvi colaborar. A maioria das pessoas que abordamos são receptivas e colaboram com alegria. Foi muito bom participar”, declara Caroline.

Doação
Enquanto 180 voluntários se dividiram entre doze pontos de coleta, milhares de motoristas e até mesmo pedestres, também abraçaram a ação, e colaboraram por meio de doações em dinheiro. A advogada Fernanda do Nascimento baixou o vidro do carro e contribuiu com alegria. “Instituições como a APAE enfrentam tantas dificuldades financeiras, que esta é uma boa oportunidade de angariar mais recursos para continuar com o trabalho que tanto faz por nossa cidade. Por isso, ajudo com satisfação”, observa Fernanda.
O empresário Celso Meurer garante que sempre contribui no pedágio da APAE por ser uma causa nobre. “É uma instituição idônea que realiza um importante trabalho para a comunidade brusquense, de forma gratuita”, destaca.
Para o presidente da APAE Brusque, Sebastião Ernani Poia, a participação da comunidade é essencial para a manutenção da entidade. “Ficamos imensamente satisfeitos com o resultado do pedágio, que arrecadou R$ 32.073,07. Queremos agradecer todos os voluntários que se dedicaram imensamente para alcançar esse resultado, e também, a todas as pessoas que baixaram o vidro do carro e atenderam nosso pedido para contribuir. A APAE realmente precisa desses recursos e eles vêm num momento oportuno. Muito obrigado”, salienta Poia.
Na próxima quarta-feira, 14 de junho, a APAE realizará seu tradicional pedágio no município de Botuverá. A abordagem vai acontecer no Centro da cidade, das 7h30 às 13h.

Rifa
Paralelo ao pedágio, a APAE Brusque realizou no sábado, 10 de junho, o sorteio da rifa que tinha como prêmio, as camisas do Brusque e do Corinthians, doadas diante do jogo histórico entre os dois times, que ocorreu no Augusto Bauer, no dia 1° de março.
O número do bilhete foi sorteado por meio de bingo, com a ajuda de alunos da APAE e Maria Luiza Lana, foi a vencedora, com o bilhete número 120. Com a venda da rifa, a instituição conseguiu arrecadar aproximadamente R$ 6 mil.
Leia +12/06/2017

Clínica Uni Duni Tê comemora Dia Nacional do Teste do Pezinho

O Dia Nacional do Teste do Pezinho, celebrado em 6 de junho, tem razões para ser comemorado em Santa Catarina. No ano passado, por esta mesma ocasião, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), vinculado à Secretaria Estadual de Saúde, estava com falta de material para a realização do procedimento e as famílias precisaram buscar a alternativa de forma particular, através do envio da coleta para São Paulo. Em agosto de 2016, a Secretaria Estadual de Saúde de Santa Catarina firmou um convênio com a Secretaria Estadual de Saúde do Paraná e, desde então, as amostras colhidas nos recém-nascidos do Estado são enviadas para a Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional (Fepe).
“Estamos bastante contentes e avaliamos de forma bem positiva como está se organizando e dando sequência aos exames do Teste do Pezinho em Santa Catarina. O prazo está sendo respeitado, desde a coleta, preparação e envio das amostras. Os resultados são disponibilizados online, ou seja, a família nem precisa voltar na Clínica Uni Duni Tê para ter este acesso. Em geral, o resultado chega em até 15 dias após a realização do teste”, explica a coordenadora da Clínica Uni Duni Tê, Valdete Battisti Archer.
Diferente de outros municípios, no qual a responsabilidade de realização do Teste do Pezinho fica a cargo das unidades de saúde, em Brusque, Guabiruba e Botuverá este serviço vem sendo realizado pela Clínica Uni Duni Tê, que é mantida pela Apae.
“No final de 1991, início de 1992, quando iniciou a prática do Teste do Pezinho no Estado, a Clínica Uni Duni Tê já fazia o trabalho de acompanhamento e intervenções no desenvolvimento infantil. Por conta disso, a Secretaria Municipal de Saúde nos contatou para solicitar que o Teste do Pezinho pudesse ser agregado a todo este trabalho de prevenção que já era desenvolvido na entidade. Desde então, todas as crianças nascidas em Brusque, Guabiruba, Botuverá e cidades mais próximas, realizam o Teste do Pezinho aqui”, conta Valdete.
Com a adesão da Clínica Uni Duni Tê, a prestação do serviço na cidade se tornou mais efetiva, já que é necessário um monitoramento eficiente caso seja necessário uma segunda coleta. “Tem que ter controle e organização para fazer esta busca ativa e encaminhar a criança para o Centro de Referência, que funciona no Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis. No local o recém-nascido pode ser submetido a exames complementares ou ao acompanhamento médico quando persiste alguma alteração”, ressalta Valdete.

O prazo
O Teste do Pezinho é uma triagem neonatal gratuita que deve ser feita, especialmente, entre o terceiro e o quinto dia de vida da criança. Algumas doenças congênitas podem provocar alterações cerebrais, deficiência intelectual e até levar à morte. O perigo, no entanto, é silencioso. Nenhum médico ou exame clínico é capaz de identificar alguns tipos de doenças, ou seja, nada substitui o Teste do Pezinho.
“São doenças metabólicas, genéticas e infecciosas, que podem gerar graves complicações e até a morte. Então, o quanto mais precocemente for diagnosticada e tratada, melhor será o resultado para a saúde e o futuro da criança. Quando o Teste do Pezinho é realizado nos primeiros dias de vida, há mais tempo para ser repetido e, se for necessário, para iniciar o tratamento. O hipotireoidismo congênito, por exemplo, é indicado que a partir do 15º ao 20º dia de vida a criança já esteja em tratamento através da medicação adequada. Sem o remédio as sequelas são irreversíveis”, enfatiza Valdete.
A coordenadora da Clínica Uni Duni Tê informa que as crianças a partir do 30º dia de vida que não realizaram o teste do pezinho, além da coleta de sangue no papel filtro necessitarão realizar outro exame disponível em Florianópolis, exigindo o deslocamento do recém-nascido.
“Nós também realizamos o monitoramento das crianças nascidas através de parcerias com os Hospitais de Brusque, Unidades de saúde e Equipes de Estratégia de Saúde da Família dos três municípios, para garantir que todas as crianças nascidas em nossa cidade realizem o teste. Em 2016 o Teste do Pezinho na Clínica Uni Duni Tê foi realizado em 1.956 crianças e seis delas foram encaminhadas para exames complementares no Centro de Referência” detalha Valdete.
O teste do Pezinho é realizado na Clínica Uni Duni Tê de segunda a quinta-feira, das 13h às 16h, por ordem de chegada. O procedimento é gratuito.


Leia +04/06/2017

“Navegando com sucesso”

No mês de junho, a comunidade brusquense vai ter a oportunidade de assistir a palestra ‘Navegando com sucesso’, com o velejador e economista Vilfredo Schürmann. O evento que está sendo organizado pela Associação Empresarial de Brusque (Acibr) e Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL Brusque, em parceria com a Toalhas Atlântica, será realizado no dia 8 de junho, às 19h30, no Centro Empresarial Social e Cultura de Brusque (CESCB). Toda a verba angariada será revertida para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e os ingressos podem ser adquiridos na Acibr ou CDL ao valor de R$ 50.

Parceria
A parceria da Toalhas Atlântica com a Família Schürmann existe há quase três anos, desde quando a empresa brusquense literalmente embarcou na Expedição Oriente, a bordo do veleiro Kat, com itens de cama, mesa e banho, desenvolvidos exclusivamente para a ocasião. Desde então, a coragem e determinação da Família Schürmann, servem de exemplo e fazem a diferença no dia a dia da Atlântica e de seus colaboradores. “O projeto de montar um barco totalmente sustentável foi inspirador. Fomos considerados uma empresa com possibilidades de embarcar nessa expedição e nos orgulhamos demais por termos sido escolhidos. Nosso maior presente, sem dúvida, foi poder conviver com a família nos meses que antecederam a viagem e também ao longo dela, por meio das mensagens que eles sempre nos enviavam”, descreve a empresária Susy Ogliari.
De acordo com Susy, a Família Schürmann vive intensamente todas as ações e suas experiências de vida são motivadoras. “Vale a pena cada minuto que a gente possa estar perto deles, pois eles nos passam uma energia acima do limite. Existe um trabalho muito grande para uma expedição acontecer. Exige planejamento e muita determinação, e independentemente das dificuldades, eles nunca desistiram. A Família Schürmann serve de inspiração para a Toalhas Atlântica. Por isso, surgiu a ideia de proporcionar essa palestra para que a comunidade brusquense também possa se inspirar. Todas as pessoas que têm sonhos e desejam alcançar objetivos, devem participar desse evento e ouvir o que o senhor Vilfredo tem a falar”, salienta a empresária.

Solidariedade
A ideia de Susy veio de encontro ao propósito da Acibr e CDL, de promover um evento beneficente em prol da Apae Brusque. “No início do ano, a Acibr e seus diretores foram convidados para conhecer as instalações da Apae e o serviço que é prestado ali. Podemos verificar a excelência do trabalho e o empenho que a entidade tem no cuidado de crianças, jovens e adultos especiais. Eles também nos falaram da necessidade de recursos e a Acibr, juntamente com a CDL, sentiu a importância de ajudar, de fazer um pouco mais pela Apae. E essa proposta da Toalhas Atlântica veio no momento certo”, explica o presidente da Acibr, Halisson Habitzreuter.
O presidente da CDL Brusque, Michel Belli, manifesta satisfação com a parceria e reforça o caráter filantrópico do evento. “É uma palestra imperdível, que conta as aventuras da Família Schürmann. Já a renda é totalmente voltada para a Apae. Então, além de adquirir mais cultura, esta é uma oportunidade de ajudar uma instituição que tanto precisa”, afirma Belli.
Leia +30/05/2017

‘Apae nas empresas’

Uma roda de capoeira e muitas possibilidades. Se no dia a dia, alunos da Apae de Brusque e os colaboradores da empresa Arrazantty Fitness exercem rotinas diferentes, um encontro na tarde do dia 27 de abril, possibilitou que eles compartilhassem a mesma experiência, dividindo empatia e solidariedade e somando sorrisos e satisfação. Enquanto os alunos apresentavam como a capoeira é cooperativa, onde os jogadores, os músicos e o público são todos atores sociais que se alternam em seus papéis, os colaboradores da empresa, puderam refletir que é possível fazer parte dessa roda e ser colaborativo também.
A jovem Caroline da Silva Comandolli, de 19 anos, é prova disso. Praticante de capoeira desde os sete anos de idade, a funcionária da empresa Arrazantty Fitness entrou na roda, literalmente. “Essa oportunidade de interagir com os alunos da Apae foi muito bacana. É super importante mostrar que essas pessoas têm a capacidade de conseguir o que elas querem com determinação e que nós devemos sempre incentivá-las”, destaca.
O desempenho de Caroline na roda foi aprovado pela aluna da Apae, Viviane Aparecida Voss. “Foi muito legal jogar capoeira com a Carol. Já pratico há 15 anos e fico muito feliz quando podemos nos apresentar e jogar com outras pessoas”, comemora Viviane.

Projeto
A proposta de integrar a entidade com a iniciativa privada faz parte do projeto ‘Apae nas Empresas’, que objetiva buscar novas fontes de recursos para a sustentabilidade financeira da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). Depois de um breve contato, geralmente com o departamento de Recursos Humanos, é agendada uma data para que se apresente o trabalho filantrópico desenvolvido pela instituição à empresa contatada. Há, também, a possibilidade de alunos da Apae apresentarem uma atividade cultural durante este encontro, na hora de intervalo dos colaboradores, assim como, aconteceu na Arrazanty Fitness, uma das empresas a abrir as portas para a entidade.
“Estamos buscando novos parceiros e co-financiadores do trabalho que a Apae executa há 62 anos em Brusque, no âmbito de suas três unidades de atendimento que são o Instituto Santa Inês, o Centro de Convivência e a Clínica Uni Duni Tê. A entidade está preparada para receber gratuitamente toda a comunidade, através dos Testes do Pezinho e da Orelhinha, bem como do acompanhamento do desenvolvimento global das crianças entre zero e três anos”, explica a responsável pela captação de recursos da entidade, Rosecler Ceratti Foletto.
Segundo ela, o foco de trabalho da Apae é o desenvolvimento das pessoas e, como não se produz riqueza no local, a sustentabilidade depende exclusivamente do apoio do poder público, da comunidade, das empresas e entidades. “Este projeto é de suma importância para contribuir e colaborar com as despesas operacionais da instituição. Contas fixas, como água, luz, telefone, folha de pagamento. E despesas de suprimentos, alimentação, higiene e limpeza. Vale ressaltar que dispomos de uma equipe de colaboradores especializada e precisamos buscar recursos para manter e ampliar esse quadro, garantindo a continuidade dos serviços prestados”, acrescenta Rosecler.

Receptividade
Desde que o projeto foi colocado em prática, a responsável pela captação de recursos da Apae sente a imagem positiva que a entidade tem perante a comunidade. “Percebo o respeito e apreço pelo nome da Apae. Neste sentido, as empresas nos abrem às portas para levar essa proposta. Queremos conversar sobre todas as frentes de trabalho e como a empresa e seus colaboradores podem se tornar co-financiadora deste projeto”, detalha Rosecler.
Além de buscar novos contribuintes, físicos e privados, o ‘Apae nas Empresas’ também quer ser mais uma ferramenta de integração social. Por isso, caso exista abertura por parte das empresas, os alunos da Apae se sentem prestigiados com a oportunidade de apresentar uma roda de capoeira aos colaboradores. A atividade tem a duração de 15 minutos e envolve cerca de 20 pessoas. “Achamos a iniciativa maravilhosa. É sempre bom proporcionar esse tipo de interação, porque muitas vezes reclamamos sem motivos e essas pessoas servem de exemplo para motivar nossos colaboradores. Essa visita serviu para nos deixar uma lição de vida e nos fazer pensar de que forma podemos contribuir”, avalia Luana Toniolo, gerente administrativa da Arrazanty Fitness.

Recursos
Como as fontes de arrecadação de maneira geral sofreram uma redução significativa nos últimos dois anos, o repasse de verba pública para a manutenção da entidade também ficou comprometido. Em contraponto, o número de atendimentos de crianças, jovens e adultos acolhidos pela entidade aumentou. Em 2017, são mais de 300 alunos regularmente matriculados nas três unidades mantidas pela instituição. “Vivemos uma economia de guerra para não prejudicar a prestação de serviço e o atendimento especializado aos usuários. Trabalhamos neste momento em frentes de redução de custos e obtenção de novas fontes de recurso, como o projeto ‘Apae nas Empresas’”, ressalta Rosecler.
“Ninguém é uma ilha. A gente não vive isolado. Uma das maiores bênçãos do ser humano é contribuir com aquilo que for possível para melhorar ou garantir a continuidade de algum serviço, principalmente como o que a Apae desenvolve gratuitamente à toda a comunidade. Isso é um grande exemplo de solidariedade. A Apae precisa muito desta adesão e agradece toda a ajuda que recebe para continuar seu propósito”, completa Rosecler.
Leia +18/05/2017

Apae solicita voluntários para atuar no Pedágio da entidade

A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque realiza no dia 10 de junho mais uma edição do Pedágio da entidade. O evento acontece das 7h30 às 13h em 13 diferentes pontos do município e, para a realização do mesmo, a entidade solicita a participação de voluntários.

Para participar basta ter acima de 18 anos. Interessados devem entrar em contato com a entidade através do telefone: (47) 3351-2482 e falar com Milani ou Aline ou então acessar o link ‘Como contribuir’ neste site.

Leia +09/05/2017

Apae recebe doação de agasalhos da Unimed Brusque

Alunos do Instituto Santa Inês receberam a visita de uma equipe da Unimed Brusque na tarde de sexta-feira, 28 de abril, oportunidade em que receberam uma doação de agasalhos e cobertores. Os donativos foram arrecadados por participantes do programa Coração Saudável, que a cada mês, são desafiados a cumprir uma prova, além das atividades físicas semanais. “No mês de abril, o desafio era uma ação comunitária que visava a arrecadação de agasalhos para doar à alguma instituição e a Apae foi a entidade escolhida para receber esses donativos”, explica a enfermeira Jiceli Petró, da Unimed Brusque.

A aposentada Silvia Lorentino foi uma das participantes que se empenhou para conseguir arrecadar as 950 peças de roupas doadas. “Foi uma atividade bem bacana que integrou ainda mais o pessoal do programa Coração Saudável. Todos da nossa equipe se comprometeram em arrecadar o máximo possível e ficamos muito felizes em poder ajudar as pessoas que precisam, neste caso, alunos da Apae e seus familiares”, declara Silvia.

Para a secretária executiva da Apae Brusque, Milani Zunino, toda doação é bem-vinda. “Recebemos esses agasalhos com gratidão. Vamos separar as roupas por tamanhos e ver quais alunos necessitam dessa doação, bem como, os familiares que precisam”, salienta Milani.
Leia +02/05/2017

Protocolo que solicita repasse de R$ 100 mil é entregue à Apae

No dia 10 de abril, o presidente da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, Sebastião Ernani Poia, recebeu na sede da entidade a visita do vereador Leonardo Schmitz, acompanhado por Jones Bósio e pelo assessor de imprensa da Câmara Municipal, Rodrigo Cesari.
O objetivo do encontro era a entrega da documentação protocolada no Senado no final de 2016, quando foi solicitado ao senador Dário Berger uma emenda parlamentar no valor de R$ 100 mil para melhorias na entidade.
“A Apae de Brusque agradece a todos os políticos envolvidos neste projeto e espera que o repasse se concretize. Este ano temos mais de 300 alunos regulamente matriculados nas unidades mantidas pela Apae: Clínica Uni Duni Tê, Instituto Santa Inês e Centro de Convivência Ruth de Sá. Além disso, toda a comunidade é atendida gratuitamente para os testes do Pezinho e Orelhinha, além do acompanhamento do desenvolvimento global da criança, até os três anos”, explica o presidente da Apae Brusque, Sebastião Ernani Poia.

Leia +19/04/2017

Projeto de Páscoa da APAE promove integração entre alunos

Alunos das turmas de oficina terapêutica e iniciação para o trabalho do Instituto Santa Inês prepararam nesta semana, uma atividade diferente para as crianças acompanhadas pela Clínica Uni Duni Tê. Por meio do Projeto Páscoa, que visa estimular a independência e autonomia dos jovens e adultos, os alunos promoveram uma programação especial que contou com brincadeiras para os pequenos, como boca do coelho e pintura facial.
Franciele Haag, mãe da pequena Bárbara, de dois anos e meio, acompanhou a filha nas atividades e aprovou a iniciativa da APAE. “Minha filha começou a receber acompanhamento da Clínica Uni Duni Tê há poucos dias e esse projeto é muito interessante. Toda forma de interação e inclusão é muito boa e ensina as crianças desde cedo a respeitar e a enxergar as pessoas diferentes como iguais. Esse é um momento em que os pais também têm a oportunidade de brincar junto com os filhos, o que além de ser importante, é muito divertido”, define Franciele.

Autonomia e independência
De acordo com a professora Joice Borinelli Diegoli, o projeto é realizado pelo terceiro ano consecutivo e traz resultados significativos. “O objetivo é estimular os alunos a darem ideias e ajudarem a preparar esse momento de recreação e integração com as crianças. E eles realmente se envolvem. Durante as brincadeiras cada um fica responsável por um espaço e os professores ajudam a mediar. Neste ano, cada criança recebeu um ovo de chocolate e um pacote de amêndoas, que foram confeccionadas pelos alunos. Desde descascar o amendoim, assar no forno industrial, aprender o ponto da amêndoa, todos os processos foram trabalhados passo a passo e tiveram a participação e ajuda deles. Por outro lado, também tem a estimulação das crianças durante as atividades e principalmente, a interação entre os pequenos com os jovens e adultos”, salienta Joice.
Leonardo Celso Francisco Amâncio, de 21 anos, é um dos alunos que participa do projeto e orgulha-se do trabalho. “Nós preparamos várias atividades e estamos mostrando para as crianças, convidando elas para brincarem com a gente. É uma atividade de páscoa que envolve felicidade e paz”, declara Leonardo.
Lucas Pires Romão, de 16 anos, também arregaçou as mangas, literalmente, para ajudar na pintura facial. “Eu gosto muito de desenhar, mas é a primeira vez que estou ajudando a pintar carinhas de coelho e está sendo legal”, revela o jovem.
Leia +13/04/2017

Apae de Brusque lança rifa que irá sortear camisetas autografadas pelo jogadores do Brusque FC e Corinthians

No dia 10 de junho, torcedores dos times do Brusque Futebol Clube e também do Sport Club Corinthians Paulista terão a chance de ganhar as camisetas de ambos os times, autografadas pelos jogadores, que participaram do histórico jogo ocorrido em Brusque no dia 1º de março.
Isso porque as camisetas autografadas foram doadas para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque que lançou na última quarta-feira, 5 de abril, uma rifa para o sorteio das camisetas.
Ao todo estão sendo vendidos cem blocos da rifa, com dez bilhetes cada um. Cada bilhete tem o valor de R$ 25,00 e os blocos, R$ 250,00.
Inicialmente os blocos da rifa podem ser adquiridos na sede da Apae de Brusque, entretanto a ideia da entidade é que as torcidas organizadas dos dois times da cidade, e também a diretoria da Brusque FC, possam oferecer os blocos também. Além disso, demais entidades e organizações da cidade também serão convidadas pela Apae para serem pontos de venda dos blocos de rifa.

Sorteio
O sorteio da rifa acontece no dia 10 de junho, durante o Sábado Fácil, às 12h, na Praça Barão de Scheeburg, no Centro de Brusque. O ganhador da rifa será contemplado com as duas camisetas autografadas dos times. Todo o valor arrecadado será doado para a Apae de Brusque. “Foi um jogo histórico para a cidade e com certeza essa ação vem em momento muito importante para a instituição, que precisa da colaboração da comunidade para dar continuidade aos trabalhos. Esperamos vender todos os bilhetes até a data, bem como uma grande concentração de pessoas para acompanharem o sorteio”, comenta o diretor de Arrecadação e Eventos da Apae de Brusque, Michel Belli.
O presidente do Brusque FC, Danilo Rezini, também participou do lançamento da rifa e destacou a importância da ação, que une o esporte e dois times em prol do bem social.
“O pensamento que o Brusque tem sobre essa iniciativa foi a mesma que o Corinthians também teve. Sabemos que o time deles tem uma grande força no futebol brasileiro e até mundial, e o Brusque faz o seu trabalho aqui na região, sempre tentando fazer o melhor para a comunidade. Ficamos muito felizes em participar desse momento e esperamos angariar recursos para que a Apae de Brusque possa dar continuidade a esse importante trabalho na nossa região”, frisou Rezini.
Mais informações sobre a rifa, na Apae de Brusque (47) 3351-2482.

Saiba Mais
Fundada em 14 de setembro de 1955, a Apae de Brusque é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado após o nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz. Em 2017 a entidade completa 62 anos, e Pierre ainda é um dos seus alunos. Com ele, mais 322 estudantes recebem atendimento diário.
Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.
Leia +08/04/2017

Diagnóstico precoce favorece crianças autistas

“O amor e a paciência são as principais ferramentas contra o autismo”. A frase da mãe Francieli Borges dos Santos define a forma como ela lida com seu filho Lorenzo Henrique, o qual apresenta diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista. A percepção de que havia algo incomum no comportamento do menino veio no primeiro ano de vida, mas devido à falta de conhecimento dos pais, a suspeita de que Lorenzo poderia ser autista, só surgiu quando ele passou a frequentar um centro de educação infantil, com um ano e oito meses de idade.
A mãe conta que logo nos primeiros dias de aula, a professora orientou a família a procurar atendimento na Clínica Uni Duni Tê. “Essa educadora foi um anjo em nossas vidas, pois foi ela quem nos abriu o caminho para o diagnóstico, nos orientou e ajudou a iniciar as intervenções necessárias. Na época eu não conhecia esse transtorno e não imaginava o que meu filho poderia ter, pois nas consultas ao pediatra, alguns sinais como o atraso na fala e a restrição alimentar, eram considerados normais para a idade”, descreve Francieli.

Além de não falar e rejeitar a maioria dos alimentos, Lorenzo apresentava indiferença com as pessoas ao seu redor, falta de interesse em brincar e preferência por assistir televisão. “Se alguém conversasse ou chamasse, ele não olhava e não dava atenção, e se deixasse ele o dia todo em frente à TV, ele ficava e não demonstrava nenhuma necessidade como se alimentar. E também não se queixava se estava com a fralda suja. Com o tempo foi apresentando apego a um só brinquedo e passou a realizar movimentos repetitivos como girá-lo em frente aos olhos, e sentir desconforto para sons, passando a tapar os ouvidos diante de algum barulho alto e olhar de lado para a TV”, acrescenta a mãe.

ACEITAÇÃO
Com o início do trabalho de acompanhamento pela equipe multidisciplinar da Clínica Uni Duni Tê, a avaliação de um neuropediatra e a confirmação do diagnóstico, Francieli reconhece que foi difícil para a família, aceitar o autismo do filho. “Confesso que foi uma fase de muito medo e questionamentos. A aceitação é um processo delicado e requer ajuda profissional. E esse suporte eu recebi na Uni Duni Tê. Ao mesmo tempo que meu filho era assistido pelos profissionais e recebia os estímulos necessários, eu e meu marido também passamos a receber orientações e um suporte psicológico, para aprender a lidar com essa nova realidade em nossas vidas”.

Ciente da importância de Lorenzo receber estímulos diários, a mãe parou de trabalhar. “Mesmo frequentando a escolinha todos os dias e a clínica duas vezes na semana, fui orientada a proporcionar outros tipos de intervenções em casa e passei a me dedicar mais, fazendo jogos, dinâmicas, incluindo ele nas tarefas da casa. Enfim, fui aprendendo como interagir e a estimular um comportamento mais sociável. E com certeza, não tem dinheiro no mundo que pague essa experiência, pois os resultados são evidentes. Enfatizo muito o quanto ele é amado e querido por nós e o que recebemos em troca é um menino muito carinhoso e educado que vem se desenvolvendo diariamente”, orgulha-se Francieli.

DESENVOLVIMENTO
Em pouco mais de três anos recebendo intervenções específicas, os avanços alcançados por Lorenzo são sinônimos de alegria e satisfação. “Meu filho desenvolveu muito neste período. Não tenho palavras para expressar a melhora dele. É outra criança. Hoje ele fala, demonstra reação quando alguém conversa com ele, interage com as outras crianças, passou a compreender o significado das coisas, inclusive, no último Natal, ele ficou muito emocionado com o Papai Noel, que até então, era uma figura indiferente para ele. São pequenas mudanças diárias que representam grandes ganhos”, destaca.

A mãe salienta ainda que o trabalho de acompanhamento é fundamental. “É nítida a diferença entre crianças autistas que recebem intervenções desde cedo, e adultos autistas que não receberam os mesmos estímulos. Não é uma tarefa fácil, mas os pais precisam ter amor e paciência acima de tudo. Minha expectativa é de que o Lorenzo cresça feliz e com qualidade de vida. Não tenho dúvidas de que toda mãe e pai querem o melhor para o seu filho e estou lutando por isso”, conclui a incansável Francieli.

ACOMPANHAMENTO
A APAE, por meio de sua unidade Uni Duni Tê, oferece atendimento especializado gratuito para crianças com atraso global do desenvolvimento de zero a cinco anos e 11 meses de idade, e dentre as crianças que frequentam o programa de Estimulação Precoce, 47 apresentam Transtorno do Espectro Autista. De acordo com a pedagoga e coordenadora da Clínica, Valdete Battisti Archer, o trabalho de acompanhamento e intervenções é feito com o objetivo de ajudar no diagnóstico precoce e proporcionar maior qualidade de vida a essas crianças. “O desenvolvimento infantil é cumulativo e um atraso gera outros atrasos. Algumas crianças superam esses atrasos e outras não. Então, esse cuidado e preocupação nos primeiros anos de vida é fundamental, porque é onde o cérebro mais se desenvolve e cria conexões favorecendo o aprendizado”.

Quanto mais cedo for feita a intervenção, mais benéfica ela será. “O ideal é que o diagnóstico seja feito até um ano e meio de idade, mas temos casos de crianças que começaram a receber acompanhamento com dois anos e meio, e que agora aos cinco anos, demonstram avanços significativos em seu desenvolvimento, estão falando, compreendendo as solicitações, acompanhando as atividades na escola e seguindo o curso do desenvolvimento dentro de um quadro satisfatório. Portanto, as famílias devem ficar atentas e se perceberem alguma dificuldade no desenvolvimento do filho, buscar fazer uma avaliação o quanto antes. A Clínica Uni Duni Tê está de portas abertas para a comunidade. Nossa equipe é formada por profissionais de pedagogia, psicologia, fonoaudiologia e fisioterapia, e nos casos suspeitos, sugerimos sempre que as famílias consultem também um neuropediatra para confirmação do diagnóstico”, destaca Valdete.

AUTISMO
O último Manual de Saúde Mental (DSM-5) passou a classificar transtorno autista, transtorno desintegrativo da infância, transtorno generalizado do desenvolvimento não-especificado e Síndrome de Asperger, como Transtornos do Espectro Autista (TEA). A fonoaudióloga da Uni Duni Tê, Fabiane Francieli Santor, explica que o TEA (Transtorno do Espectro Autista) é uma condição do desenvolvimento neurológico, caracterizado por uma alteração da comunicação social e pela presença de comportamentos repetitivos e estereotipados. “Se trata de uma desordem no desenvolvimento, com intensidades diferentes, que pode ser observada desde os primeiros meses de vida ou ao longo do desenvolvimento. O diagnóstico é feito de forma clínica, por uma equipe multidisciplinar que observa a existência de fatores combinados, como contato visual pobre, dificuldade na interação, desinteresse por brincadeiras de faz de conta, andar na ponta dos pés, dificuldade de alimentação, ecolalia (repete a fala do outro sem função), atraso na aquisição da linguagem, ou linguagem formal para a idade, entre outros. Algumas crianças apresentam ainda dificuldade com o sono e problemas gastrointestinais”.

Fabiane revela que a maioria dos pais procura atendimento na Clínica, por perceber que a criança apresenta atraso na fala. “Em muitos casos, a queixa dos pais é pontual e quando começamos a acompanhar a criança, notamos outros sinais. E vale observar, que nos últimos anos, tivemos um avanço significativo quanto a participação de profissionais da educação infantil, nesse processo de detectar possíveis casos de autismo. Percebemos que estão atentos às características do Transtorno do Espectro Autista e isso também vêm contribuindo para a realização de intervenções mais precoces. Essa conscientização é fundamental não só dos profissionais da saúde e da educação, mas também para os pais e comunidade em geral. Desta forma, em 2008, a ONU instituiu o dia 2 de abril, como o Dia Mundial de Conscientização do Autismo, para chamar atenção e ajudar a propagar essas informações que fazem a diferença na vida de muitas famílias”, alerta a fonoaudióloga.



SINAIS DE AUTISMO

- A criança não se reconhece pelo nome. Os pais a chamam e ela não responde; (Como ela é capaz de identificar outros sons, não se trata de um problema de surdez)

- A criança prefere ficar sozinha. Quando deixada deitada no berço ela não reclama, parece preferir o berço ao colo dos pais;

- A criança não fala, não olha e mostra certa apatia. Têm uma fisionomia pouco expressiva e não interage com outras crianças; (Crianças sem autismo geralmente imitam os adultos e querem todas as atenções voltadas para ela, já as crianças com sinais de autismo não acompanham os acontecimentos a sua volta)

- Crianças de cerca de um ano com autismo vão de colo em colo e não estranham as pessoas, como seria esperado de uma criança nesta idade;

- Durante a amamentação, a criança com autismo não interage com a mãe;

- Os autistas muitas vezes separam os objetos por cor, tamanho, etc. mantendo comportamentos repetitivos e sem finalidade aparente;

- A criança fica horas fazendo o mesmo movimento, com o mesmo objeto. No início pode parecer apenas ser uma criança tranquila, mas isso pode ser um dos sinais da doença. Um dos movimentos mais comuns é ficar rodando um objeto;

- A criança pode apresentar movimentos corporais repetidos, como movimentos de balanço, às vezes, até de forma violenta;

- A criança utiliza as pessoas como instrumento. Pega na mão do adulto e o leva até o lugar onde quer que ele faça algo que ela deseja, ao invés de pedir o que quer na forma de uma solicitação verbal;

Fonte: Autismo e Realidade
Leia +01/04/2017

Alunos da Apae de Brusque se encantam com contação de histórias

A manhã do dia 7 de março foi especial para quatro turmas de alunos do Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI) e duas turmas de crianças atendidas pela Clínica Uni Duni Tê, da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. Isso porque eles foram presenteados com uma Contações de Histórias, ação realizada em parceria com o programa Mesa Brasil Sesc.
De forma lúdica e interativa, as histórias e músicas apresentadas encantaram as crianças e adolescentes da Apae, que em diversos momentos interagiram uma com as outras e também com o narrador, Emiliano Souza. “Durante a contação as crianças se permitem levar pela imaginação, interagir com as histórias e com os personagens. Foi um momento movido pela fantasia, aliado à musicalidade, que também permitiu que eles cantassem, dançassem e acompanhassem as melodias, o que foi muito especial”, comentou Souza.

Socializar
De acordo com a assistente social do programa Mesa Brasil Sesc, Thays Wayne Gonçalves, o projeto vai muito além da doação de alimentos e busca oferecer nas entidades contempladas atividades educativas. “O objetivo é o fortalecimento institucional. Atendemos todos os públicos e trazemos para essas crianças algo diferenciado, um pouco de entretenimento e cultura para esses alunos especiais”, comentou. “É sempre uma satisfação poder auxiliar às Apaes, e levar muito mais do que a doação de alimentos a essas entidade”, completou a nutricionista do Mesa Brasil Sesc, Caroline Trierweiler.
Para a orientadora pedagógica da Apae de Brusque, Anelyn Pinheiro, projetos e parcerias que envolvem crianças com alguma deficiência e que oportunizam a elas momentos de interação e
socialização, são enriquecedores. “Esses momentos trabalham com a imaginação da criança são maravilhosos. Além disso, durante as músicas, os alunos imitaram o contador nas coreografias e interagiram entre eles, o que promoveu a socialização, em especial em relação aos autistas, onde a música acaba acalmando muito esses alunos. Isso tudo acaba sendo um desafio para eles, feito de uma forma prazerosa e não imposta. Foi algo diferente e muito especial”, avaliou.

Saiba Mais
O Mesa Brasil Sesc é programa de segurança alimentar e nutricional, com foco na doação de alimentos e redução do desperdício. Desde outubro de 2016 foi realizada uma parceria com a Apae de Brusque, e outras duas entidades da região, que recebem a doação de alimentos. Algumas redes de supermercados do município são parcerias do projeto, onde os alimentos excedentes desses estabelecimentos são recolhidos e doados às instituições. Atualmente a Apae de Brusque recebe a distribuição de alimentos a cada 15 dias. Em dezembro de 2016 uma parceria entre o Mesa Brasil Sesc com a BRF Brasil, também realizou na entidade a campanha ‘Coração sempre cabe mais um’, com a doação de aves chesters para todos os 280 alunos da Apae de Brusque.
Leia +27/03/2017

Apae de Brusque recebe visita de Secretário da Saúde

Dr. Humberto Fornari conheceu a estrutura e projetos da entidade

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recebeu no dia 3 de março a visita do secretário da Saúde do município, Dr. Humberto Fornari e do diretor Administrativo da pasta, Andre Popelier. O encontro foi acompanhado pelo presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, pelo 1º Diretor Financeiro da entidade, Jose Ângelo Cunha Voltolini, pela diretora Executiva, Sandra Helena de Almeida, e a secretária Executiva, Milani Zunino.
A visita teve como objetivo conhecer a instituição, os serviços prestados pela entidade e verificar a possibilidade de um convênio que possa ser firmado com a Secretaria de Saúde.
Na oportunidade os representantes da pasta conheceram as instalações e serviços da Clínica UniDuniTê, que atende 140 alunos, o Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecon), com atendimento para 77 alunos, e Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI), que hoje conta com 105 alunos.

Saiba Mais
Fundada em 14 de setembro de 1955, a Apae de Brusque é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz. Em 2017 a entidade completa 62 anos, e Pierre ainda é um dos seus alunos. Com ele, mais 322 estudantes recebem atendimento diário.
Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.



Leia +13/03/2017

Juiz de Direito de Brusque e Presidente da Federação das Apaes do Estado visitam a Apae de Brusque

No último dia 17 de fevereiro, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recebeu a visita do Juiz de Direito, dr. Edemar Leopoldo Schlosser, da Vara Criminal do Fórum da Comarca de Brusque, e também do presidente da Federação Estadual das Apaes de Santa Catarina, Julio César de Aguiar.

Na oportunidade os visitantes conheceram as instalações da Clínica UniDuniTê e os serviços disponibilizados para a comunidade da região, como o Teste do Pezinho e o Teste da Orelhinha para crianças nascidas em Brusque, Guabiruba e Botuverá, bem como o atendimento especializado na prevenção de deficiências, através da estimulação precoce, que ultrapassa dois mil atendimentos por mês. O juiz já conhecia os trabalhos da Clínica, entretanto na época em que os serviços eram realizados ainda na rua Hercílio Luz.
Dr. Edemar e o presidente da Federação das Apaes também estiveram no Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecom), onde acompanharam o trabalho realizado com os alunos em fase de envelhecimento e algumas atividades ocupacionais que promovem qualidade de vida aos mesmos. Por fim, conheceram a estrutura do Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI) e as ações desenvolvidas com os adultos e adolescentes da entidade, como as Oficinas de Tapeçaria e Papel Reciclado, além de projetos como a Horta Comunitária.

Participaram do encontro o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, o vice-presidente da entidade, Renato Roda, o diretor Social, Márcio Belli, a diretora Executiva, Sandra Helena de Almeida, a 1ª diretora secretária, Angela Mendes Suavi, e pela 2ª diretora secretária, filha do fundador da Apae de Brusque e irmã do aluno mais velho da entidade, Maria Tereza Moritz Montibeller.
Ao longo da visita, também foram discutidas as necessidades da instituição. Dr. Edemar falou na oportunidade sobre o uso da Cartilha “Manual de Procedimentos para solicitação de recursos provenientes das penas pecuniárias para a elaboração de projetos” e esclareceu quem somente através de projetos seguindo as orientações dessa cartilha será possível conseguir recursos provenientes do Fórum, que possam contemplar a Apae de Brusque.
Além disso, Aguiar convidou o juiz de Brusque para fazer uma palestra para as demais Apaes do Estado sobre a captação de recursos, bem como solicitou autorização para utilizar a Cartilha desenvolvida pelo Fórum de Brusque para ser distribuída às demais Apaes do Estado.
“Em nome da Diretoria e dos alunos da Apae de Brusque agradecemos esta visita e com certeza a colaboração do Fórum será essencial para os projetos que a Apae desenvolve”, comentou Póia.

Saiba Mais
Fundada em 14 de setembro de 1955, a Apae de Brusque é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz. Em 2015 a entidade completou 60 anos, e Pierre ainda é um dos seus alunos. Com ele, mais 280 estudantes recebem atendimento diário. Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.
Leia +03/03/2017

Apae de Brusque recebe doação do Troco da Bondade do supermercado Angeloni

Campanha foi realizada em 2016 e reverteu mais de R$ 20 mil para a instituição

Na tarde do dia 16 de fevereiro, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recebeu a entrega das doações do ‘Troco da Bondade’, campanha realizada pela loja do supermercado Angeloni. Na oportunidade a Apae foi contemplada com um cheque no valor de R$ 20.733,78, montante arrecadado de setembro a dezembro de 2016.
A Apae de Brusque foi escolhida como primeira entidade do município a ser beneficiada pela campanha promovida pela rede, desde a inauguração da loja em Brusque, no dia 27 de julho do ano passado.
“O objetivo da campanha é incentivar a comunidade toda a contribuir com alguma instituição, a doar aquele pouquinho que sobra no final das compras. A ação é feita em todas as cidades que a rede tem sede e é uma satisfação muito grande podermos ajudar a Apae, que realiza um trabalho tão significativo em Brusque”, comentou no ato da entrega o gerente da loja de Brusque do Angeloni, Elvis Schneider.

Desempenho e dedicação
Além de integrantes da diretoria da Apae de Brusque, diversos alunos também compareceram ao ato para receber a doação e representar a instituição. Para o diretor Social da Apae de Brusque, Márcio Belli o valor doado irá contribuir para o atendimento das necessidades da instituição.”Já passamos dos 300 alunos matriculados para esse anos e com certeza esses recursos são fundamentais para suprir as nossas demandas e manter as ações da Apae”, comentou. Além disso, Belli destacou o empenho dos funcionários da loja, que não mediram esforços para que a campanha fosse divulgada. “É uma satisfação vermos o envolvimento dos colaboradores, que se dedicaram de um modo especial na divulgação da campanha, o que com certeza fez a diferença para a arrecadação dos valores. Esta forma é um gesto de solidariedade e que pode inspirar a outros grupos, ou outros empreendimentos, a realizarem ações assim”, acrescentou.

Saiba Mais
O ‘Troco da Bondade’ é uma promoção da Ação Social Angeloni (ASA) desde 1997 que conta com a participação da comunidade, que doa seu troco, onde o Angeloni acrescenta mais 5% do valor doado à entidade cadastrada. O objetivo da campanha é estimular a comunidade a participar na promoção de uma sociedade melhor e mais justa para todos.
Para participar do ‘Troco da Bondade’, o cliente diz ao atendente da farmácia ou ao operador de caixa do supermercado que quer doar seu troco. A doação eletrônica emite, junto com o cupom fiscal, um comprovante com o valor e o nome da instituição que o cliente está auxiliando. Atualmente os valores arrecadados serão doados para o Lar Menino Deus.

A Apae
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memoriam), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, com mais 280 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. Atualmente, três unidades integram entidade: a Clínica Uni Duni Tê, e o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI). Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados.
Leia +20/02/2017

Apae de Brusque recebe visita de vereador de secretária de Assistência Social

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recebeu na quarta-feira, 25 de janeiro, a visita do vereador de Brusque Deivis da Silva, da secretária de Assistência Social e Habitação, Mariana Martins da Silva, e a assistente social do município, Fabiane.

Na oportunidade eles conheceram as instalações da Clínica UniDuniTê e os serviços disponibilizados, como o Teste do Pezinho, o Teste da Orelhinha, além do atendimento especializado. Os visitantes estiveram também no Centro de Convivência Ruth de Sá, que trabalha com os alunos em fase de envelhecimento, e no Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI), que atende adultos e adolescentes da entidade e promove a capacitação dos mesmos através de várias atividades, como as oficinas de tapeçaria e papel reciclado.

A visita foi acompanhada pelo presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, a diretora Executiva da entidade, Sandra Helena de Almeida, a coordenadora de captação de Recursos da Apae de Brusque, Rosecler Ceratti Foletto, e a coordenadora da Clínica Uni Duni Tê, Valdete Battisti Archer.
A Apae de Brusque agradece imensamente pela visita e atenção dada durante o encontro!
Leia +26/01/2017

Apae de Brusque recebe doação de Troco Solidário do Sindilojas

O Sindicato do Comércio Varejista de Brusque, Guabiruba e Botuverá (Sindilojas) realizou na manhã de quarta-feira, 18 de janeiro, a entrega dos valores arrecadado ao longo do segundo semestre de 2016 pela campanha Troco Solidário. A primeira entidade contemplada foi a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque que recebeu a doação de R$ 3.141,07. A campanha foi realizada de 1º de julho, até dia 31 de dezembro de 2016 em cerca de 50 estabelecimentos.
Durante a entrega o presidente do Sindilojas, Marcelo Gevaerde falou da importância da campanha, que sensibiliza empresários do comércio, colaboradores e a população de forma geral. “É uma semente que foi plantada e esperamos que mais estabelecimentos possam participar, já que essa é uma forma da população de Brusque colaborar com essas instituições. As doações podem ter sido de valores pequenos, mas o volume de moedas que arrecadamos foi muito grande e resultou nesse valor entregue hoje. Agradecemos a todos que contribuíram para essa primeira etapa da campanha e esperamos que as pessoas continuem doando”, comentou.
As expectativas do sindicato são de que mais estabelecimentos possam participar, bem como que outras entidades representativas da cidade possam abraçar o projeto e aumentar o número de postos de coleta. “Queremos a participação de outras entidades de Brusque para ampliarmos os pontos de arrecadação. Por exemplo, podemos colocar as urnas de coletas nas empresas, indústrias, dos mais variados setores, onde os próprios colaboradores e clientes possam doar também. Que no futuro possamos ter a união de demais sindicatos e associações em prol dessa campanha”, ressaltou Gevaerd.
Além disso, outra intenção do Sindilojas é realizar a campanha nas cidades vizinhas, em Guabiruba e Botuverá, para que o valor arrecadado contemple as instituições sociais desses municípios.
Para o relações Públicas da Apae de Brusque, Márcio Belli, foi uma grande honra e alegria para a associação ser a primeira beneficiadas com os recursos arrecadados. “Começar o ano com essa doação e ver a contribuição da comunidade é muito gratificante. Foi uma alegria receber esses recursos e agradecemos a todos pela iniciativa, pelo engajamento e pela solidariedade das pessoas, que é o que mais importa para termos a continuidade nos nossos atendimentos”, comentou.

Troco em 2017
Na oportunidade também foi anunciada a segunda entidade que será contemplada pela campanha: o Lar Menino Deus. A partir de segunda-feira, 23, até o dia 30 de junho, o Troco Solidário estará nas lojas participantes da campanha no primeiro semestre de 2017. A população poderá participar no ato da compra, com a doação do troco ou de parte dele em uma das urnas, identificadas nos caixas das lojas que aderiram à ideia. Todo o dinheiro arrecadado no período será doado para o Lar Menino Deus.
Para a diretora e assistente social da instituição, Helena Dias essa será mais uma oportunidade de arrecadação de fundos que irá colaborar para a manutenção do Lar. “Estamos muito felizes de fazer parte dessa campanha ao longo dos próximo seis meses. É um projeto maravilhoso, ficamos muito honrados de participar e temos certeza que a população de Brusque vai colaborar, como sempre colaborou, pois são graças a essas doações que nos mantemos”, comentou. Em 2017 a instituição completa 21 anos e realiza atendimento 100% filantrópico.

Como participar
Estabelecimentos associados ao sindicato que tiverem interesse em participar do ‘Troco Solidário’ podem entrar em contato com o Sindilojas. Mais informações: (47) 3251-2508.

Confira os estabelecimentos já confirmados que irão participar do ‘Troco Solidário’ do Sindilojas no primeiro semestre de 2017:
ARADEFE
ARCHER MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
BC MALHAS
BREZZI CONFECCÇÕES
BRUSFER
LEMUS CALÇADOS
CALÇADOS GEVAERD
COMERCIAL ZENDRON
CONDOMINIO STOP SHOP
BRUSFER
EDINHO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
ELETRO PEÇAS REAL
ELO Z
ESTAÇÃO 253
IVONETE HORT
KOHLER JOALHERIA
LIVRARIA MOSIMANN
OCASIÃO BIJU
LOJA DO BEBÊ
NOVA CASA MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
MEGA MOTOS
MINI MERCADO DALMARCO
ÓTICA MODERNA
RAMATEX
RELOJOARIA STONFER
ROCCA TÊXTIL (LARSEN)
SANCRIS
SUELI BADO
TALINDA
TANIA
THELAVI (INE)
UNI DUNI TE
VANTEX
WARUSKY
FARMÁCIA LINDÓIA
ÓTICA BOA VISÃO
SASSIPAN
SESC
CINE GRACHER (Centro E Havan)
FARMÁCIA DEHON
CHICO MOTOS
SOLTEC PISCINAS
Leia +18/01/2017

Nota de Pesar - Nelson Loschner


É com grande pesar que a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque informa o falecimento de um de seus alunos, Nelson Loschner, nesta quinta-feira, 11 de janeiro.
Nelson era aluno do Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e frequentava a Apae de Brusque há anos.
O corpo será velado na Capela Mortuária do Centro, a partir das 14h desta quinta-feira. O culto será nesta sexta-feira, 13, às 9h, na Igreja Evangélica de Confissão Luterana de Brusque (Centro).
Nossos sinceros sentimentos a toda a família e amigos por essa grande perda!
Leia +12/01/2017

Nota de Pesar – Apae de Brusque

É com grande pesar que a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque informa o falecimento da Conselheira e ex-presidente da entidade, Maria de Lourdes Schulenburg, na manhã desta terça-feira, 3 de janeiro. Nossos sinceros sentimentos a toda a família e amigos por essa grande perda.

Conhecida pela família apaeana como ‘dona Lourdes’, ela sempre esteve associada às atividades voluntárias. Desde 1982 foi integradora da instituição e mesmo após a sua aposentadoria, em 2000, continuou a se dedicar para a Apae, onde atualmente exercia o cargo de conselheira da entidade, bem como estava à frente do Clube de Mães.
Sem compromisso ou obrigação formal, dona Lourdes sempre ouviu apenas a voz do seu coração na hora de decidir quando agir e seus sentimentos nobres e cristãos impulsionam o exercício do amor ao próximo, provocando sorrisos nos lábios de pessoas especiais e excepcionais.
“Foram várias funções na instituição, vários cargos na diretoria, onde inclusive foi duas vezes presidente. É uma enorme perda para todos que fazem parte da Apae e os que a conheceram, não só pela seu trabalho voluntário, mas pelo seu carinho e dedicação com que realizava todas as suas atividades”, comentou o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia.

Maria de Lourdes Schulenburg tinha 78 anos e deixa três filhas, três genros, cinco netos e quatro bisnetos.
O corpo será velado na Capela Mortuária do Centro, a partir das 17h desta terça-feira. O culto será nesta quarta-feira, 4, às 9h, na Igreja Evangélica de Confissão Luterana de Brusque (Centro). Logo após, será levado até o Crematório Vaticano, em Balneário Camboriú.



Leia +03/01/2017

Alunos da Apae de Brusque recebem doação campanha ‘Coração sempre cabe mais um’

Ação contemplou cada aluno da entidade com uma Ave Chester Perdigão

Na tarde de segunda-feira, 19 de dezembro, os quase 280 alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque estiveram na sede da entidade para receber um presente especial. Isso porque na cada um deles recebeu a doação de uma Ave Chester Perdigão, que deixará ainda mais gostosa a Ceia de Natal das ‘famílias apaeanas’. A ação foi realizada pela parceria do Mesa Brasil Sesc com a BRF Brasil, e pela primeira vez contemplou a Apae de Brusque. “A campanha ‘Coração sempre cabe mais um’ contempla 43 instituições na região de Blumenau. Para nós é uma grande satisfação poder realizar essa entrega e beneficiar tantas famílias”, declarou na oportunidade a nutricionista da Mesa Brasil Sesc, Caroline Trierweiler.
Além da doação de chesteres, desde o mês de outubro foi realizada uma parceria com a Apae de Brusque, e outras duas entidades da região, que recebem a doação de alimentos. “Temos algumas redes de supermercados daqui que são parcerias, onde recolhemos os alimentos excedentes ou fora do padrão de comercialização, que são doados para várias entidades, como a Apae de Brusque. Ficamos extremamente felizes em realizar essas entregas pois sabemos que tanto a entidade como as famílias precisam”, completou a nutricionista.

Satisfação
A professora Roberta Martins foi uma das mães que esteve na oportunidade para garantir a ave para Ceia de Natal. Acompanhada das filhas gêmeas, Jenifer e Jéssica, de 11 anos, ela declarou a satisfação em ser contemplada pela campanha. “É uma iniciativa bem bacana e acho que vai ajudar muitas famílias e fazer o Natal ainda mais especial”, comentou. Ao lado dela, a filha Jenifer, que é aluna da Apae de Brusque desde os primeiros meses de vida, não escondia a inquietação e alegria em receber o presente.
Para o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, esta foi mais uma importante parceria conquistada em 2016 e que só trouxe benefícios para os alunos da entidade. “Ficamos muito felizes a agradecemos em especial ao Sesc que nos procurou. Muitos dos nossos alunos são de famílias de baixa-renda, e nesta época em especial sabemos como é importante qualquer doação, para tornar o Natal dessas pessoas ainda mais alegre”, comentou.

Da mesma forma Póia agradeceu a todos que foram parceiros, voluntários e que de algum modo contribuíram para a continuidade dos trabalhos e atendimento aos alunos ao longo de 2016. “Foi um ano desafiador, mas vencemos uma a uma as dificuldades que surgiram. Queremos agradecer a todas as pessoas que tem colaborado com a Apae, que realizaram de várias formas doações para a instituição. Também recebemos ao longo do ano visitas de diversas entidades, como ACIBr e Sindilojas, e temos certeza que vamos colher muitos frutos dessas e de demais parcerias. Que todos tenham um Feliz Natal e um abençoado 2017 também”, acrescentou.
Leia +22/12/2016

Apae recebe placa e certificação de primeiro lugar em concurso Estadual

Na tarde desta quinta-feira, 8 de dezembro, foi realizada nas dependências da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, a entrega de placa e certificados de primeiro lugar no concurso estadual “Pesquisar e Conhecer para Combater o Aedes aegypti”. O evento contou com a presença do presidente da entidade, Sebastão Ernani Poia, das alunas premiadas Viviane Voss, Maria Cristina Cugiki e Naira Cristine Cirque, das professoras Graziela Boaszczyk Dalcastagner e Joice Vilma Borinelli Diegoli e demais estudantes da entidade.
“É uma semente que foi plantada no ano passado, quando já havia uma preocupação muito grande com o Aedes aegypti e isso estava na cabeça da equipe, em desenvolver um trabalho de conscientização dos alunos dentro da APAE. Esse ano, um concurso do Ministério da Educação também abordou o assunto e nossas alunas produziram um vídeo de um minuto falando desta problemática. Assim elas concorreram e venceram o concurso, primeiro na fase Estadual, que hoje recebem o certificado e, na fase Nacional, já premiadas em Brasília no mês de novembro” explica o presidente da entidade, Sebastião Ernani Poia.
Segundo ele, a intenção é não parar por aqui. “Ano que vem o objetivo é continuar o trabalho. Queremos ir às escolas e levar nossos alunos para fazer palestras sobre o combate ao Aedes aegypti. Queremos conscientizar outros alunos para que, em suas casas, possam também fazer a prevenção”, destaca Poia.
Para a professora Graziela Boaszczyk Dalcastagner, o sentimento de vencer o concurso do MEC na etapa estadual e nacional é de gratidão. “É o reconhecimento do nosso trabalho. O sentimento é de gratidão, alegria e de trabalho cumprido. O principal foi o aprendizado dos alunos sobre o combate ao mosquito. O conhecimento recebido em teoria na sala de aula se transformou em prática nas suas casas e comunidades”, avalia a professora.
Vale ressaltar que a Apae Brusque alcançou o primeiro lugar na categoria de Educação de Jovens e Adultos e foi a única escola especial inscrita no concurso. Nenhum outro concorrente tinha deficiência intelectual.
“Talvez por isso a gente sentiu tanto carinho dos vencedores das demais categorias. Fomos, com certeza, a escola mais aplaudida. Todos estavam felizes com a nossa presença e torceram pela nossa vitória”, acrescenta Graziela, que esta semana recebeu o certificado de “Educador Nota 10”, da Fundação Victor Civita e Fundação Roberto Marinho.
Leia +08/12/2016

APAE realiza Audiência Pública sobre a inclusão de adolescentes com deficiência intelectual no mercado de trabalho

“Eu sou um menino que quer ser cantor, tipo Wesley Safadão. Que deseja aprender a fazer continhas de matemática e ler”. O depoimento é de um dos 43 adolescentes que participaram este ano do projeto “Inclusão dos adolescentes com deficiência intelectual no mundo do trabalho”, realizado pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) Brusque, com recursos do Fundo para Infância e Adolescência (FIA).
O relatório final foi apresentado na noite desta quinta-feira, 24 de novembro, em Audiência Pública realizada na sede da Câmara Municipal. Com depoimentos reais e emocionantes, o trabalho mostrou toda a complexidade que envolve a inserção do adolescente com deficiência intelectual no mercado de trabalho.
“Foi a segunda etapa de um projeto que iniciou em 2015, também com recursos do FIA. No ano passado nosso objetivo foi encontrar os adolescentes com deficiência intelectual que não estavam participando dos serviços oferecidos pela APAE. Nossa pesquisa identificou 970 pessoas com deficiência intelectual em Brusque e, destes, 117 eram adolescentes. Localizamos 86 deles, mas conseguimos trabalhar apenas com 12, muito abaixo da nossa expectativa”, conta o psicólogo da APAE Brusque, Helton Hörner.
Inspirado por essa baixa adesão, o projeto continuou em 2017, mas com um novo foco: a proposta agora era conversar com as famílias, entender melhor a realidade na qual estão inseridos, os anseios que têm e as perspectivas sobre o mundo do trabalho.
“Iniciamos em março de 2016 e nossa trajetória foi de aproximação da família, com entrevista e oficinas. E mesmo que os resultados ainda não sejam tão impactantes, algumas pessoas conseguiram se empoderar e rever seus conceitos. Mudaram, inclusive, as ideias da família, enxergando o seu adolescente com deficiência intelectual como alguém capaz de ser inserido no mercado de trabalho”, explica a assistente social, contratada para o desenvolvimento do projeto, Flávia de Brito Souza.
Segundo ela, muitos pais ou responsáveis mantém uma visão de infantilização do filho e não conseguem enxergar habilidades para a convivência nos meios sociais. Além disso, foram recorrentes as histórias de preconceito que, consequentemente, desmotivam a família no avanço social.
“A gente percebeu que o preconceito é um grande dificultador deste processo e impede que a pessoa possa se sentir como parte da sociedade em que vivemos. O preconceito está presente em todos os meios sociais, principalmente nas escolas. As dificuldades de se relacionar com os outros se tornam maiores do que a dificuldade da deficiência intelectual”, salienta Flávia.
De acordo com a assistente social, os adolescentes precisam se qualificar e muitos já estão procurando por isso, através do trabalho desenvolvido pela APAE. Já para o empregador, mais do que simplesmente cumprir cotas, deve haver o compromisso verdadeiro de incluir, entendendo e se adequando às necessidades e limitações de cada um. Treinar as pessoas que vão receber esse adolescente no ambiente de trabalho também é indispensável para o sucesso da contratação.

“O que a gente quer é ser do mundo”
Com o coração quase saindo pela boca, em um depoimento cheio de amor, Viviane Voss, representando as pessoas com deficiência, fez o uso da palavra durante a Audiência Pública. Ela, mais do que ninguém, sente na pele o que é ser diferente em um mundo que dá valor excessivo ao igual.
“Eu acho que não estou aqui por acaso, estou aqui para ser vista. O que a gente quer é ser do mundo, ser reconhecido como pessoa. Porque a gente pode fazer tudo, mas, muitas vezes, a sociedade não deixa. Não é a gente eu não quer. E ainda tem o bendito preconceito. Até quando esse bendito preconceito vai existir contra nós? Eu não me sinto deficiente. Os meus amigos não são deficientes. Eu não vejo eles assim. A gente sabe fazer tudo. Por que não podemos fazer parte do meio social?”, questionou Viviane, bastante aplaudida pelas dezenas de pessoas presentes.
Para o presidente da APAE Brusque, Sebastião Ernani Poia, uma das principais contribuições do diagnóstico foi a elaboração de uma cartilha entregue às famílias, que listou os principais atendimentos e serviços prestados na cidade para as pessoas com deficiência. “Nossa equipe também está indo nas empresas e orientando sobre a maneira correta de receber esses adolescentes lá dentro. É uma quebra de paradigmas, diante de tanto preconceito”, ressalta Poia.

Leia +25/11/2016

APAE realiza audiência pública

Na próxima quinta-feira, 24 de novembro, a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque, realiza uma audiência pública às 19h, na Câmara de Vereadores. O evento, aberto ao público, vai apresentar um diagnóstico elaborado ao longo de 2016, que apresenta os desafios da inclusão dos deficientes intelectuais no mercado de trabalho.
O projeto foi executado com recursos do Fundo da Infância e Adolescência (FIA) e é uma continuidade do trabalho realizado em 2015. “Segundo dados estatísticos de 2010, existem 117 pessoas em Brusque, com deficiência intelectual e/ou outras deficiências associadas, na faixa de 12 a 17 anos. Através do Benefício de Prestação Continuada (BPC) nós conseguimos identificar 68 deles, mas apenas 12 aceitaram o convite para participar de oficinas no ano passado, de inclusão no mercado de trabalho. Apresentamos temas como comportamento organizacional, comunicação, inter-relação, escolha da profissão e família. Mas o número de participantes foi baixo diante do cenário que se tem”, explica o psicólogo da APAE Brusque, Helton Hörner.
Por essa razão, o projeto foi reformulado em 2016 com um novo enfoque: diagnosticar a condição de cada família e entender suas perspectivas, o que pensam e o que sabem sobre inclusão profissional. Nesta edição, dos 70 convites feitos, 43 foram aceitos e o projeto iniciou em março, com entrevistas individuais, seguido por quatro encontros coletivos.
“Falamos para as famílias sobre o desenvolvimento, os benefícios e as possibilidades da inclusão no mercado de trabalho. O objetivo era sensibilizar as pessoas para essa capacidade de atuação profissional do deficiente intelectual, ao mesmo tempo em que apresentamos a estrutura do Instituto Santa Inês (ISI), mantido pela APAE, que é o espaço para a formação da competência para o trabalho”, salienta Helton.
Segundo o profissional, na APAE Brusque é permanente o contato das empresas em busca de novos colaboradores para compor a força do trabalho. Já o número de candidatos ainda é pouco diante da demanda. Por essa razão, o diagnóstico proposto é importante, já que trata também dos anseios das famílias e, expondo novas perspectivas é possível que a distância entre as empresas e as pessoas com deficiência intelectual diminua.
“Nós convidamos toda a comunidade para estar presente, em especial os representantes de políticas públicas, conselhos de defesa e direito, empresários, centros educacionais, as famílias, representantes políticos, entidades educacionais, agências de emprego, institutos com preponderância de pessoas com deficiência intelectual e as entidades empresariais”, reforça Helton.

SERVIÇO

O QUE: Audiência pública para apresentação do diagnóstico sobre a relação de trabalho e a pessoa com deficiência intelectual

QUANDO: Dia 24 de novembro, quinta-feira, às 19h

ONDE: Câmara de Brusque

CONVIDADOS: Representantes de políticas públicas, conselhos de defesa e direito, empresários, centros educacionais, as famílias, representantes políticos, entidades educacionais, agências de emprego, institutos com preponderância de pessoas com deficiência intelectual, as entidades empresariais e a comunidade em geral
Leia +18/11/2016

​Legislativo presta homenagens em sessão solene

A Câmara Municipal de Brusque realizou sessão solene na noite desta quinta-feira, 10, para homenagear e reconhecer o trabalho de pessoas que se destacam pelo engajamento em prol de causas da sociedade brusquense e pela liderança em atividades diversas – educativas, culturais, esportivas, sociais - no município. Doze homenageados receberam uma Comenda do Mérito, de acordo com a área em que atuam.
O presidente do Legislativo, Roberto Pedro Prudêncio Neto (PSD), conduziu a solenidade de concessão das honrarias. Ele ressaltou que o objetivo da casa legislativa é “valorizar aqueles que vão um pouco além do necessário e brilham pelo altruísmo e profissionalismo”.
Guilherme Marchewsky (PMDB) falou em nome de todos os vereadores. “Este momento comemorativo é singular para as entidades que respeitosamente reconhecemos como as grandes mães do trabalho cultural, associativo, desportivo e assim por diante”, afirmou. “Fazemos isso para que vocês tenham alento na luta tão laboriosa do dia a dia, que é manter uma instituição de pé, muitas vezes sem recursos, buscando de alguma forma mantê-la financeiramente”, acrescentou.
Após receber a comenda, cada homenageado pôde se manifestar por até três minutos na tribuna do parlamento. De forma geral, eles destacaram aspectos ligados às suas respectivas atividades, conquistas, dificuldades e desafios das entidades, e agradeceram à Câmara de Vereadores pelo reconhecimento.
Também prestigiaram a sessão solene os vereadores Moacir Giraldi (DEM), o Moacir da Acapra, Marli Leandro (PT), Edson Rubem Müller (PP), o Pipoca, Ivan Martins (PSD) e Valmir Ludvig (PT), bem como, familiares, amigos e companheiros de trabalho dos homenageados. O desembargador Carlos Alberto Civinski também esteve presente.

Confira quem recebeu a Comenda do Mérito e as instituições que representam:

- Anete Hoffmann (proprietária da Reserva Particular do Patrimônio Natural Chácara Edith), representada pela Sra. Lígia Hoffmann Morelli e o Sr. Wilson Morelli - Comenda do Mérito de Proteção Ambiental.
- Germano Hoffmann Filho (Patrão do Grupo de Tradições Gaúchas CTG Laço do Bom Vaqueiro) - Comenda do Mérito Cultural.
- Jefferson de Goes (Professor da Associação Brusquense de Boxe) - Comenda do Mérito Esportivo.
- João Paulo Walendowsky (Presidente da Fundação José Walendowsky) - Comenda do Mérito Cultural.
- Lilian Dressel (Presidente da Associação Brusquense de Proteção aos Animais - ACAPRA) - Comenda do Mérito Institucional.
- Márcio Fumagalli (Presidente do Circolo Italiano Di Brusque) - Comenda do Mérito Cultural.
- Romilda Stoltenberg (Presidente do Grupo Amigo de Canto Alemão), acompanhada do Sr. Valter Stoltenberg - Comenda do Mérito Cultural.
- Sebastião Ernani Poia (Presidente da APAE/Uni Duni Tê) - Comenda do Mérito Institucional.
- Sérgio Kuchenbecker (Presidente da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Brusque) - Comenda do Mérito Cultural.
- Valberto Dellantonia (Presidente do Instituto Catarinense Anjos do Peito), representado pela Sra. Angelina Tarter - Comenda do Mérito Assistencial.
- Valdete Gianesini (Presidente do Circolo Trentino Di Brusque) - Comenda do Mérito Cultural.
- Wilmar Domicio de Sousa (Membro da Diretoria do Grupo de Futsal do Clube Guarani) - Comenda do Mérito Esportivo.

Rosenildo Eustáquio da Silva Santos, presidente da Associação dos Migrantes Amigos de Brusque, que receberia a Comenda do Mérito Cultural, e o padre Vicente Paula Neto, presidente da Comunidade Bethânia, que seria homenageado com a Comenda do Mérito Assistencial, não puderam comparecer à solenidade.
Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal de Brusque
Leia +16/11/2016

APAE de Brusque recebe premiação nacional em Brasília

Entre os dias 7 e 9 de novembro, as alunas da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque, Viviane Voss, Maria Cristina Cugiki e Naira Cristine Cirque, acompanhadas pelas professoras Graziela Boaszczyk Dalcastagner e Joice Vilma Borinelli Diegoli, estiveram em Brasília (DF), para receber o prêmio de primeiro lugar no concurso “Pesquisar e conhecer para combater o Aedes aegypti”, realizado pelo Ministério da Educação. Elas se classificaram na categoria de Educação para Jovens e Adultos, com um vídeo de pouco mais de um minuto, no qual compartilhavam aprendizados sobre o combate ao mosquito da dengue.
“Foi uma experiência maravilhosa, uma sensação de que a gente pode, de que a gente consegue”, afirma a estudante da APAE, Viviane Voss.
Durante o vôo até Brasília, as professoras orientaram as três jovens para não criar muitas expectativas sobre a premiação. “Passamos a viagem brincando, dizendo que seríamos recepcionadas por motoboys. Rimos muito. Desembarcamos na maior festa, com a bandeira da APAE. E, para a nossa surpresa, ali no aeroporto já haviam equipes de reportagens posicionadas, nos esperando. Foi incrível”, conta a professora Joice Vilma Borinelli Diegoli.
Na terça-feira de manhã elas acompanharam os demais vencedores do concurso em um passeio por alguns dos pontos turísticos de Brasília. No início da tarde visitaram o estádio Mané Garrincha, onde participaram do lançamento de um aplicativo que estimula o combate ao Aedes aegypti, disponível para download a partir do dia 22 de novembro. Na sequência, veio o momento mais esperado da viagem: a solenidade de premiação na sede do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (INEP).
“A nossa professora Graziela foi uma das três educadoras escolhidas para falar em nome de todos os docentes que estiveram envolvidos com o projeto. E foi difícil não se emocionar. Ela falou sobre o nosso trabalho, feito sempre com o coração, nessa busca permanente de unir a teoria com a prática. Fomos, com certeza, a escola mais aplaudida. Éramos as “diferentonas” da educação especial”, lembra a professora Joice.
Ainda na terça-feira, pouco antes da cerimônia, as professoras perceberam que uma de suas alunas não estava muito bem. Depois de algumas insistidas para entender o que estava acontecendo, Naira Cristine Cirque abriu o jogo. Estava com muita saudade do filho Kaike, de cinco anos. Era a primeira vez que ela passou tanto tempo longe do menino. “Estava com saudades. Amo o meu filho muito, demais! Mas era importante estar ali, receber o prêmio e mostrar para ele que eu consegui. Espero que algum dia ele mostre aos meus netos”, explica Naira, que depois do desabafo e de chorar um pouquinho, voltou a aproveitar com alegria o restante da viagem.

Reconhecimento
Para a professora Graziela Boaszczyk Dalcastagner, o reconhecimento foi merecido. Muita atenta aos concursos nacionais, ela destaca que nem todos os projetos educacionais permitem a inscrição de alunos da educação especial. “Tinha certeza que elas dariam conta. E foi importante levar as meninas até lá para que todos vejam que elas conseguem, que elas sabem. Queria mostrar que, apesar de diferente, nossa turma tem muito potencial. Precisamos de mais oportunidades e que nos abram, pelo menos, a possibilidade para participar”, observa.
Ainda em Brasília, alunas e professoras da APAE foram recebidas pelo ministro da Educação, Mendonça Filho e, por onde passaram, deixaram sinais de alegria, força de vontade e superação. “Nós fizemos esse trabalho com suor e somos merecedoras do reconhecimento”, avalia a aluna Maria Cristina Cugiki.
Já no aeroporto de Brasília, aguardando a volta para casa, um pequeno susto: por alguns instantes Naira sumiu dos olhares das professoras. Depois de algum tempo lá voltou ela, muito tranquila. Foi comprar um livro de desenho como lembrança da viagem para o filho. Diante da nobreza de atitude, as professoras até dispensaram a merecida bronca por não avisar onde foi.

O concurso
O concurso “Pesquisar e Conhecer Para Combater o Aedes aegypti” foi voltado a todo o sistema educacional brasileiro. Esta iniciativa objetiva originar ações que promovam o combate ao mosquito Aedes aegypti e suas consequências, principalmente o Zika Vírus. O concurso recebeu vídeos de até 90 segundos que apresentavam de forma criativa o trabalho desenvolvido nas escolas brasileiras.
Havia duas formas de avaliação. A primeira era por júri popular, através de votos em rede social ou no endereço eletrônico do concurso. Nessa categoria a APAE ficou em segundo lugar, com 1712 votos, 60 a menos do que a primeira colocada. Mas elas venceram através da segunda avaliação, que passou pelo crivo de um júri técnico.
Leia +10/11/2016

Mais de 400 pessoas prestigiam o Café de Natal do Clube de Mães da APAE Brusque

O primeiro giro da Roda da Fortuna trouxe sorte para Miriam Woitena, 58 anos. Ao lado da amiga Marina Montibeller, ela ganhou um presente durante o Café de Natal, realizado pelo Clube de Mães da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque, na tarde desta terça-feira, 8 de novembro, nas dependências da entidade.
“Nós participamos todo mês do tradicional bingo da APAE, então não poderíamos perder o Café de Natal. O que nos motiva é mesmo a consciência de ajudar, fazer a nossa parte. E, claro, aqui a gente encontra os amigos, dá risadas. É muito bom”, descreve.
Assim como Miriam, mais de 400 pessoas participaram do evento, que contou com partidas de bingo, Roda da Fortuna e um delicioso café, abençoado pelo padre Rubens Rieg e pelo pastor Cláudio Schaeffer.
“Já faz mais de 20 anos que organizamos esse café. Ele começou miudinho e hoje tem a presença de mais de 400 mulheres. Assim que acaba a Festa da APAE, já começamos a programação desse evento, com o objetivo de fazer feliz o Natal das nossas crianças. Todos os anos a gente consegue atingir essa meta além das nossas expectativas, porque o povo brusquense é muito generoso. É difícil receber um não”, explica a presidente do Clube de Mães da APAE Brusque, Lucimar Mafra.
Segundo ela, cerca de 30 mulheres formam a equipe de voluntárias do Clube, que se reúne toda terça-feira, entre serviços de costura, bordado, crochê, produção de edredons, entre outros. Tudo é revertido para a entidade. Da mesma forma, o Clube de Mães recebe doação de prendas com a mesma finalidade. Nesta edição do Café de Natal, além dos presentes, foram doadas todas as tortas salgadas, os bolos, leite e café.
“Então temos um lucro líquido para fazer o Natal das nossas crianças. A confraternização dos alunos já integra a programação da entidade. O nosso papel é contar com o apoio de cada professora, para entender as necessidades dos alunos. Para alguns compramos roupas, para outros brinquedos, depende da necessidade. Às vezes, em casa, nosso aluno tem dois, três irmãos e a família é muito carente. Desta forma, também é feito para que o aluno, ao chegar em casa, possa levar um presente para os irmãos. Trabalhamos em parceria com a assistência social da APAE e de todas as professoras que identificam as necessidades”, ressalta Lucimar.
Para a presidente do Clube de Mães, o espírito do Natal começou na tarde de hoje, com mais um evento realizado com sucesso. É a garantia que as voluntárias precisavam ter de que os alunos carentes da instituição vão viver um Natal cheio de alegrias para renovar a esperança na chegada de um novo ano ainda melhor. “Eu só tenho a agradecer nossa equipe, que se doa de coração. Agradecer também ao povo de Brusque, que já conhece o nosso café e, a cada edição, sempre traz mais alguém”, observa.
Leia +09/11/2016

Apae de Brusque divulga vencedores dos prêmios da rifa da 36ª Festa da entidade

A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, divulgou na noite de terça-feira, 1º de novembro, os vencedores dos prêmios da rifa da 36ª Festa da Apae. Na oportunidade foram abertas as urnas com os bilhetes sorteados, bem como feita a divulgação dos nomes dos contemplados deste ano. O sorteio dos números foi realizado no sábado, 29 de outubro, pela Loteria Federal, e a combinação deles gerou as cinco sequências que deram como resultados os vencedores dos cinco prêmios deste ano da rifa.

Na oportunidade foram divulgados ainda os valores arrecadados pela rifa deste ano, que teve uma receita total de R$ 203.889,85. As despesas gerais da rifa foram de R$ 6.529,85, sendo o resultado líquido R$ 197.360,00. “É sempre uma surpresa grande neste dia de abertura das urnas da rifa, até porque muitas pessoas não conferem os números dos bilhetes e muitas vezes acabam sabendo depois que entrarmos em contato. Ficamos muito felizes em revelar os vencedores, mas acima disso, agradecemos mais uma vez a todos que colaboraram, já que esses recursos vêm em um momento de dificuldades que a Apae está passando. Muito obrigado a todos”, declara o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia.

Números sorteados pela Loteria Federal:
1º Prêmio - nº 66173
2º Prêmio - nº 52376
3º Prêmio - nº 94639
4º Prêmio - nº 70048
5º Prêmio - nº 55806

Confira a relação dos prêmios:
1º Prêmio nº 66173: Up 1.0 quatro portas 0km – Fernanda R. Conceição Cerchiari
2º Prêmio nº 52376: 1 Moto CG 125 Fan 0km+ Conjunto calça e jaqueta de segurança – Biliton In. Confecções
3º Prêmio nº 94639: Conjunto de fogão embutido, depurador de ambiente e forno elétrico – Metalúrgica Coelho
4º Prêmio nº 70048: 1 TV LCD 32’’ – Rieg Pré-Moldados
5º Prêmio nº 55806: 1 TV LCD 32’’ – Maria das Graças P. Arruda Costa

Saiba mais
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memorium), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, com mais 280 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. Atualmente, três unidades integram entidade: a Clínica UniDuniTê, e o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI). Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados.

Foto: carro
Crédito das fotos: Guédria Motta
Legenda: A ganhadora do carro 0K, Fernanda R. Conceição Cerchiari, recebeu o prêmio em um bom dia: hoje mesmo o carro dela quebrou

Foto: TV
Legenda: A quinta ganhadora da rifa da APAE Brusque também já buscou seu prêmio: Maria das Graças P. Arruda Costa ganhou uma TV de 32’’

Leia +01/11/2016

Diretores do Sindilojas vistam Apae de Brusque

Evento reuniu empresários de Brusque e região que conheceram os trabalhos desenvolvidos pela entidade

O Sindicato do Comércio Varejista de Brusque (Sindilojas) promoveu na manhã de segunda-feira, 31 de outubro, um café da manhã especial com integrantes da diretoria da entidade, associados e parceiros do sindicato. Isso porque o evento foi realizado nas dependências da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, e teve como objetivo fazer com que os empresários e comerciários conhecessem melhor a estrutura da instituição, o trabalho realizado em prol dos alunos, bem como discutir possíveis parcerias e projetos que possam ser feitos em prol da entidade assistencial.

Trabalhos
Em torno de 25 pessoas participaram da visita e conheceram as instalações da Clínica UniDuniTê e os serviços disponibilizados, como o Teste do Pezinho e o Teste da Orelhinha para crianças nascidas em Brusque, Guabiruba e Botuverá, bem como o atendimento especializado na prevenção de deficiências, através da estimulação precoce, que ultrapassa dois mil atendimentos por mês. Além disso, os empresários estiveram no Centro de Convivência Ruth de Sá e conferiram as ações realizadas com os alunos em fase de envelhecimento e algumas atividades ocupacionais diárias, que promovem qualidade de vida dos mesmos.
Por fim, foi a vez do Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI), onde foram apresentados aos visitantes os trabalhos desenvolvidos com os adultos e adolescentes, como as oficinas de tapeçaria e papel reciclado, e o laboratório de informática.
A visita proporcionou também a possibilidade de futuras parcerias com demais entidades e empresas, bem como de projetos que possam ser desenvolvidos de forma conjunta e que possam atender as necessidades de alunos e professores em equipamentos, matérias-primas, estrutura, entre outros. “Tivemos a participação de bastante diretores, que ficaram impressionados e parabenizaram a diretoria da Apae pelo trabalho desenvolvido. Ficamos satisfeitos pelos nossos diretores e associados terem conhecido essa realidade, já que muitos não conheciam tudo que é desenvolvido aqui. Agradecemos à diretoria da Apae que nos recebeu e com certeza não faltarão parcerias”, avaliou o presidente do Sindilojas, Marcelo Gevaerd.

Realidade
O empresário Luciano Hang foi um dos que acompanhou a visita, conheceu a estrutura e as ações da Apae e ficou surpreso com o trabalho da entidade. “Fiquei impressionados ao ver o trabalho maravilhoso que é desenvolvido aqui em prol da comunidade de Brusque. Muitas vezes, nós empresários temos tantas coisas no nosso dia a dia que não nos atentamos ao que é feito nas entidades que precisam de ajuda. Fiquei sensibilizado por tudo o que vi e com certeza vamos ajudar ainda mais essa entidade que representa tanto a cidade de Brusque”, declarou.
Para o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, o encontro foi uma forma de aproximar ainda mais a comunidade com o que é realizado pela associação.“Temos nos empenhado em trazer as entidades para cá, para mostrar o que é feito aqui. Às vezes solicitamos apoio e auxilio de recursos e muitas pessoas não sabem de que forma essa contribuição é revertida. E hoje, esses empresários puderam conferir tudo o que desenvolvemos na associação. Estamos muito satisfeitos e agradecemos ao Sindilojas por esse encontro tão produtivo”, comentou.

Saiba Mais
Fundada em 14 de setembro de 1955, a Apae de Brusque é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz. Em 2016 a entidade completou 61 anos, e Pierre ainda é um dos seus alunos. Com ele, mais 280 estudantes recebem atendimento diário.
Além disso, atualmente a Apae de Brusque é a única das 198 Apaes de Santa Catarina que realiza os Testes do Pezinho e da Orelinha na comunidade.
Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.
Leia +01/11/2016

Clínica Uni Duni Tê comemora 25 anos de fundação e mantém conjunto de serviços prestados gratuitamente de forma inédita no Brasil

Na última sexta-feira, 7 de outubro, a Clínica Uni Duni Tê, mantida pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque, comemorou com bolo seus 25 anos de fundação. Além de pioneiro, também é inédito em Santa Catarina o serviço de estimulação essencial e de acompanhamento da primeira infância para crianças de zero a cinco anos. Hoje, a unidade recebe recém-nascidos de Brusque, Guabiruba e Botuverá. Mais de 2600 crianças são atendidas por ano e, 120 delas, com algum atraso de desenvolvimento, mantêm terapias no local duas vezes por semana. Tudo de forma gratuita.
O projeto piloto iniciou em 1987, quando um grupo de profissionais da instituição lançou um desafio: ainda que a APAE recebesse alunos com deficiências, parte do trabalho deveria manter o foco na prevenção e na descoberta precoce da deficiência intelectual. A intenção era, com a intervenção apropriada, minimizar o atraso do desenvolvimento neuropsicomotor.
“Nosso sonho era que a Clínica Uni Duni Tê fosse fundada para fechar o Instituto Santa Inês (Apae de Brusque). Hoje, 25 anos depois, nós ainda sonhamos alto. Acreditamos que as crianças na estimulação essencial talvez não precisem desse acompanhamento depois dos cinco anos, porque conseguiram se desenvolver. Claro, é uma utopia. Mas temos a certeza de que o número de novos alunos da APAE diminuiu. E vai diminuir mais, porque as coisas mudam. Hoje, crianças com deficiências já estão na escola. As perspectivas são outras”, afirma o vice-presidente da Apae, Márcio Belli.
De forma voluntária, Belli acompanhou o início dos trabalhos da Clínica Uni Duni Tê, quando Brusque foi dividida em quatro regiões mais populosas e a intervenção começou no bairro Guarani, com apoio da Prefeitura Municipal, Associação de Moradores e da Igreja.
Para iniciar o projeto, antes de tudo, era preciso discrição. Voluntários e profissionais da Apae foram sensíveis na logística do projeto. Para eles, poderia não ser confortável à família que acabou de ter um bebê, uma Kombi da Apae estacionada na frente de casa. Então, para visitá-las, eram utilizados carros particulares ou taxi.
“O que nós encontramos foram crianças que precisavam do atendimento e, também, pais que tinham vontade de aprender sobre as fases do crescimento dos filhos. Não havia em Brusque um lugar onde a família pudesse conversar, expor seus anseios e dificuldades, receber uma orientação. No final do mapeamento daquele bairro desistimos de atuar nas outras três regiões da cidade porque parecia mais viável fundar uma clínica com este propósito”, conta a diretora Executiva da entidade, Sandra Helena de Almeida.

Teste do Pezinho e teste da orelhinha
A Clínica Uni Duni Tê iniciou seus trabalhos em setembro de 1991, no centro de Brusque. No mês seguinte, por convênio firmado com a secretaria municipal de Saúde e com o Governo do Estado, passou a oferecer gratuitamente o Teste do Pezinho, ainda pouco procurado naquela ocasião. Apesar do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) ter como data de início do teste do pezinho o ano de fundação 1992, a Uni Duni Tê mantém registros de exames feitos pelo laboratório no final do ano anterior.
“Uma das certezas que se tinha na época é que a Uni Duni Tê não poderia funcionar dentro das instalações da APAE. O objetivo era receber todas as crianças de Brusque, Guabiruba e Botuverá, com ou sem deficiência, para estimulação essencial e monitoramento. Ainda assim, acreditamos que as famílias ficariam receosas de trazer seus filhos para um local que, naquela época, assim como ainda hoje, atende pessoas com deficiência. Foi preciso escrever esses mais de 20 anos de atuação sem dividir o mesmo endereço. Hoje, os trabalhos acontecem tranquilamente no mesmo espaço porque a comunidade entendeu a diferença”, afirma Belli.
Em 2002 a Clínica Uni Duni Tê mais uma vez fez história e saiu na frente, com a doação do aparelho de emissões otoacústicas por distorção, o que havia de mais moderno na época para algo que começava a se consolidar como “Teste da Orelhinha”. O equipamento foi doação do Rotary Internacional. Apenas em junho do ano seguinte foi sancionada a Lei Municipal que estabeleceu como obrigatoriedade a realização da triagem auditiva neonatal. Para se ter ideia do quanto Brusque estava à frente do seu tempo, a mesma lei só foi sancionada em 2010 no Brasil, oito anos depois.
“Recebemos um imitanciometro do Instituto Guga Kurtnen e hoje utilizamos outros equipamentos de ponta, adquiridos com recursos do Juizado especial, pedágio e Clube de Mães da APAE, capaz de fazer uma triagem mais completa em crianças com indicadores de risco de perda auditiva. Somos, com certeza, a única instituição que realiza Teste do Pezinho e Teste da Orelhinha em convênio com o SUS, que atende quase 100% dos recém-nascidos pela busca ativa e ainda presta serviço de acompanhar o desenvolvimento até os três anos”, ressalta a coordenadora da Clínica Uni Duni Tê, Valdete Battisti Archer.
Leia +10/10/2016

Apae divulga resultado da sua 36ª festa

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque já tem o resultado final da 36ª edição de sua tradicional festa, realizada nos dias 16 e 17 de setembro (tabela abaixo). O evento, que reuniu um expressivo número de visitantes, vai contribuir para a manutenção da entidade, que hoje acolhe 280 estudantes, distribuídos entre a Clínica Uni Duni Tê, o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI).
“A diretoria da APAE agradece encarecidamente a todos e todas que prestigiaram de alguma forma a festa da entidade. Mesmo aqueles que não puderam ir, compraram cartões e rifas para ajudar. Agradecemos de coração aos professores e voluntários, que não mediram esforços para que a festa estivesse linda e aconchegante para o melhor proveito de todos. Muito obrigada por serem APAExonados”, ressalta o diretor de arrecadação e eventos da APAE Brusque, Michel Belli.
A rifa da festa, no entanto, continua sendo vendida e o sorteio será realizado no dia 29 de outubro, pela Loteria Federal. Os prêmios são um carro 0K, uma moto, um conjunto de fogão embutido forno elétrico e depurador de ambiente e duas televisões de 32’. Adquira a sua pelo telefone (47) 3351-2482.

Balancete

Receitas

Agua, Refrigerante, Chopp e Cerveja 27.997,00
Cachorro-quente, churrasco, polenta c/ galinha, bolos e docinhos 60.079,50
Pescaria, Barraca dos Alunos e Clube de Mães 4.840,50
Roda da Fortuna 35.400,00
Outros valores 253,15

Total das Receitas 128.570,15

Despesas
Despesas c/ aquisição de produtos 63268,15

Saldo Liquido 65.302,00
Leia +10/10/2016

Fórum de Brusque expõe trabalhos de alunos da APAE

Na última semana, o Fórum de Brusque realizou uma exposição com trabalhos desenvolvidos por alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque. O objetivo era comemorar os 61 anos de fundação da entidade, completos no mês de setembro.
No local havia cadernos, blocos de anotações e cartões feitos com papel reciclado, além de sandálias de capacho, bolsas de lona e tapetes. Todo o valor angariado com as vendas foi revertido à instituição.
Leia +10/10/2016

Bingo do Clube de Mães da Apae acontece na próxima terça-feira, 11 de outubro

Na terça-feira, 11 de outubro, a partir das 14h, será realizada mais uma edição do tradicional Café com Bingo do Clube de Mães da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. O valor é de R$ 13 por pessoa e dá direito ao café e a duas cartelas de Bingo, que podem ser adquiridas no local do evento. Interessados em participar podem levar brindes para o sorteio.
A Apae de Brusque fica na rua Hugo Schlösser, 360, bairro Jardim Maluche. Mais informações, na Apae de Brusque: (47) 3351-2482.
Leia +10/10/2016

Apae de Brusque recebe doação de alimentos do Sindilojas e Sesc

Arrecadação foi feita durante a palestra de Steven Dubner, que ocorreu em Brusque na quarta-feira, 21

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Brusque (Sindilojas), Marcelo Gevaerd, e o gerente do SESC de Brusque, Edemar Luiz Aléssio (Palmito) estiveram na manhã de sexta-feira, 23 de setembro, na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, para a entrega dos alimentos arrecadados durante a palestra “Não sabendo que era impossível foi lá e fez”, ministrada por Steven Dubner,na última quarta-feira, 21 de setembro. Na oportunidade foram arrecadados 322 quilos de alimentos não perecíveis, que foram destinados à instituição.
Durante a entregua, os representantes das entidades foram recepcionados por alunos e pelo presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, que ressaltou a importância da contribuição, já que ao todo, a Apae de Brusque serve em média 70 almoços diários, 140 lanches no período manhã, e o mesmo número no período da tarde. “Agradecemos às entidades realizadoras e parcerias desse evento, que sabem das necessidades da nossa associação. Agradecemos também e a todos que contribuíram com essa doação, que é essencial para manter a alimentação diária dos nossos 280 alunos”, comentou.

Auxílio
De acordo com o presidente do Sindilojas, a maioria das palestras promovidas pela entidade são gratuitas e a iniciativa da arrecadação de alimentos, que deu resultados positivos, deverá ser feita em eventos futuros para contemplar outras entidades assistenciais da cidade. “É muito gratificante poder prestigiar uma palestra incrível como a do Steven Dubner, e ter essa contribuição da comunidade para uma instituição que precisa. No dia 28 de setembro, teremos outra palestra, sobre mídias sociais e convidamos todos os empresários, associados do Sindilojas para que participem e colaborem também, já que vamos destinar o que for arrecadado a outra entidade”, explicou.
Segundo o gerente do SESC de Brusque, além da necessidade da Apae em receber doações a associação desde a primeira edição participa com seus alunos da ParaCopa Sesc, que chegou a sua sexta edição este ano. “Os alunos sempre participaram e foi uma forma de valorizar isso. Além dos que, vimos o envolvimento das pessoas na ação, em buscar o ingresso para a palestra, doar os alimentos e isso foi muito bacana. A parceria com o Sindilojas e outras entidades também foi fantástica, e quando conseguimos nos unir, os resultados são sempre melhores. Obrigada a todos que contribuíram”.
Além da entrega dos alimentos, o presidente do Sindilojas e o gerente do Sesc de Brusque também visitaram a estrutura da entidade, bem como o funcionamento das três unidades que integram a Apae de Brusque: a Clínica UniDuniTê, o Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecom), e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI).

Saiba Mais
Fundada em 14 de setembro de 1955, a Apae de Brusque é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho dos saudosos Ruth e Carlos Moritz. Em 2016 a entidade completou 61 anos, e Pierre ainda é um dos seus alunos. Com ele, mais 280 estudantes recebem atendimento diário. Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.

Colaboração CDL Brusque
Além da doação de alimentos, a Apae de Brusque também recebeu na quinta-feira, 22 de setembro, da Câmara de Dirigentes Logistas (CDL) de Brusque um cheque no valor de R$ 3.420, referente à arrecadação da palestra 'Família e os Negócios', com Vicente Donini, promovida pela entidade no dia 24 de agosto. Todo o valor arrecadado com a venda de ingressos para o evento foi voltado para a Apae. “Para a CDL é um prazer poder ajudar a entidade, pois conhecemos de perto as necessidades e os trabalhos desenvolvidos pela Apae. E poder contribuir para a entidade é fantástico”, declarou o presidente da CDL, Michel Gartner Belli. Segundo o presidente da CDL, outros eventos que devem ser promovidos pela Câmara, também devem ser beneficentes em prol de outras entidades de Brusque.
“Qualquer valor é sempre muito importante e essa doação vem em um importante momento para a Apae, visto o momento que estamos passando, de dificuldades, e com certeza essa contribuição irá nos auxiliar muito”, declarou Póia.
Leia +23/09/2016

APAE de Brusque vence concurso nacional do Ministério da Educação

Agora é oficial: A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque venceu o concurso nacional “Pesquisar e conhecer para combater o Aedes aegypti”, realizado pelo Ministério da Educação. Havia duas formas de avaliação. A primeira era por júri popular, através de votos em rede social ou no endereço eletrônico do concurso. Nessa categoria a APAE ficou em segundo lugar, com 1712 votos, 60 a menos do que a primeira colocada. Mas havia também a premiação através da escolha do júri técnico e aí sim, as estudantes Viviane Voss, Maria Cristina Cugiki e Naira Cristine Cirque alcançaram o primeiro lugar nacional, na categoria de jovens e adultos.
“Assisiti a minissérie JK e o meu sonho é conhecer Brasília. Nem acredito que vou chegar até lá viajando pela primeira vez de avião, pertinho do céu”, conta Naira, ainda muito emocionada com a vitória.
Na verdade, viajar de avião e ficar hospedada em hotel é novidade para as três jovens, que nunca saíram de Santa Catarina. “Estou passada! Quando me contaram não sabia o que fazer, porque é muito bom se sentir assim, orgulhosas de nós mesmas”, relata Viviane.
O vídeo, com pouco mais de um minuto, foi gravado em maio desde ano, com apoio da professora de informática, Graziela Boaszczyk Dalcastagner e da professora da disciplina de pré-qualificação, Joice Vilma Borinelli Diegoli. Nada mais era do que sintetizar um conteúdo já aprendido durante as aulas: o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya.
“A aula de informática é uma ferramenta pedagógica para aprimorar o conhecimento do aluno sobre o conteúdo aprendido também nas outras disciplinas. É um trabalho em conjunto. Só que essa mobilização não acontece apenas dentro da escola. O objetivo é que os alunos levem esse conhecimento para casa e ensinem seus familiares e amigos sobre o combate ao mosquito”, explica a professora Graziela Boaszczyk Dalcastagner.
Para ela, o portal do Ministério da Educação é um site de permanente consulta e inspiração. Graziela conta que ali encontra material pedagógico que contribui para as atividades em sala de aula. E, em uma dessas consultas, ela conheceu o concurso “Pesquisar e conhecer para combater o Aedes aegypti”, justamente na linha de trabalho que a APAE Brusque estava desenvolvendo com seus alunos.
“Lançamos o convite para os alunos da pré-qualificação e as três meninas se interessaram. Gravar o vídeo também tinha diversos elementos que contribuem para o mercado de trabalho. Elas precisavam ser responsáveis, estar presentes nas datas combinadas, levar à sério o projeto e treinar a oratória para falar bem durante a gravação”, lembra a professora.
O mosquito Aedes aegypti foi feito na sala, com garrafa pet e fita adesiva, e a camiseta “xô zika”, com bordados manuais, foi produzida na aula de artes.
Quando o vídeo da APAE passou pela etapa regional e se classificou para a final no Brasil, iniciou em Brusque uma campanha para a conquista de votos. Pelos grupos de whatsapp eram incessantes os pedidos de acesso ao site e voto na equipe. Muitos, inclusive, lamentavam a possibilidade de votar apenas uma vez. “Agora só nos resta agradecer o apoio e esperar pela viagem. O nosso mosquito de garrafa pet, inclusive, vai junto”, ressalta a aluna Viviane.
A premiação não tem valor em dinheiro. Ela é composta por uma viagem até Brasília com todas as despesas pagas, um curso de prevenção e combate ao mosquito da dengue, certificado e uma placa de reconhecimento. A viagem está marcada entre os dias 9 e 11 de novembro.
Leia +21/09/2016

APAE é homenageada na solenidade de 70 anos do Sesc Nacional

Duas entidades sem fins lucrativos só podem manter um vínculo muito forte de parceria e amizade. É esse compromisso pelo bem comum que há muitos anos une a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque e o Serviço Social do Comércio (Sesc) de Brusque. Talvez por essa razão a Apae tenha sido convidada e, mais do que isso, homenageada na solenidade que comemorou os 70 anos de fundação do Sesc no Brasil. O evento foi realizado na noite desta terça-feira, 13 de setembro, na unidade do Sesc em Brusque.
“Estamos felizes por estar aqui hoje, comemorando 70 anos do Sesc no Brasil e 41 anos do Sesc em Brusque. Essa parceria que temos entre as duas entidades é muito importante. Nossos alunos costumam vir aqui para praticar esportes como o vôlei e o basquete. E por muitas vezes também apresentaram suas atrações culturais por aqui”, lembra o presidente da Apae Brusque, Sebastião Ernani Poia.
Há 16 anos Poia atua como voluntário na Apae e, já deste período recorda a parceria com o Sesc, embora acredite que o vínculo seja muito mais antigo. “Vivemos esse entrelaçamento e a expectativa é que esta relação se fortaleça cada vez mais, porque o Sesc trabalha muito com a educação, assim como a Apae. A expectativa é que a amizade continue e que novas parcerias possam surgir”, ressalta Poia.

Homenageados
Gevaerd (Empresa Privada)
Havan (Empresa Privada)
Supermercado Archer (Empresa Privada)
Corpo de Bombeiros (Organização Pública)
Polícia Militar (Organização Pública)
Prefeitura Municipal de Brusque (Organização Pública)
CDL – Câmara dos Dirigentes Lojistas (Entidade de Classe e Sindicato)
Sindicato dos Empregados do Comércio de Brusque (Entidade de Classe e Sindicato)
SINDILOJAS – Sindicato do Comércio Varejista de Brusque (Entidade de Classe e Sindicato)
APAE – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Organizações da Sociedade Civil / Terceiro Setor)
Senac (Organizações da Sociedade Civil / Terceiro Setor)
UNIFEBE – Centro Universitário de Brusque (Organizações da Sociedade Civil / Terceiro Setor)
Leia +14/09/2016

Apae de Brusque solicita voluntários para atuar na 36ª Festa da entidade

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque está em busca de voluntários para atuar na 36ª Festa da entidade, nos dias 16 e 17 de setembro. Interessados podem entrar em contato com a Apae através do (47) 3351-2482 ou fazer o cadastro no site: www.apaebrusque.org.br.
O evento, já é tradicional em Brusque e este ano deve mais uma vez surpreender o público com suas atrações, que irão marcar as comemorações dos 61 anos de fundação da entidade – a primeira Apae do Estado de Santa Catarina e a segunda do país.

Programação
Na sexta-feira, 16, a festa inicia a partir das 19h e serão servidos os seus tradicionais pratos típicos: a polenta com galinha e o churrasco. A dupla Rodrigo Bianchini e Fábio Baron anima o evento, a partir das 20h30.
Já no sábado, às 18h será realizado o Culto Ecumênico no local. Os festejos seguem com a venda dos tradicionais churrascos, além da animação da banda Nossa Legião, também a partir das 20h30. Haverá venda de cachorro-quente com duas linguiças, doces e café. E continuam as demais atrações, como a Roda da Fortuna, Pescaria e as barracas mais especiais da Festa: a dos alunos e a do Clube de Mães da Apae de Brusque. Produtos feitos pelos alunos nas oficinas de tapeçaria e papel reciclado também estarão à venda.
Cartões à venda
Para garantir mais comodidade nos dias da Festa, a Apae de Brusque também ressalta que já está com a venda dos cartões de Polenta com Galinha e Churrasco disponíveis para aquisição na sede da entidade. Os cartões da Polenta com Galinha estão sendo vendidos a R$ 20 e do Churrasco a R$ 35 para quem quiser adquirir o seu, de forma antecipada. Mais informações: (47) 3351-2482.
A 36ª Festa da Apae de Brusque acontece na sede da entidade, na Avenida Augusto Bauer, nº 350, Jardim Maluche Brusque.

Sorteio
Além dos cartões, já estão sendo vendidas as rifas de 2016 da Festa. Este ano, serão sorteados um Volkswagen UP! quatro portas 0km como primeiro prêmio, uma Honda Fan 125, como segundo prêmio, além de um conjunto de fogão embutido, depurador de ambiente e forno elétrico, como terceiro prêmio, e duas TVs como quarta e quinta premiação.O sorteio da rifa acontece no dia 29 de outubro, pela Loteria Federal. Interessados em adquirir os blocos podem entrar em contato com a Apae de Brusque no (47) 3351-2482, com Milani ou Aline.

Saiba mais
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memoriam), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, ao lado de mais 280 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. Atualmente, três unidades integram a entidade: a Clínica Uni Duni Tê, o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI). Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados.
Leia +05/09/2016

Apae de Brusque visita loja do supermercado Angeloni em Brusque

Entidade é a primeira de Brusque a ser contemplada pela campanha ‘Troco da Bondade’ da rede de supermercado

No último dia 23 de agosto, alunos e colaboradores da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque estiveram nas dependências da loja do supermercado Angeloni, em Brusque. O objetivo da visita foi conhecer a estrutura do supermercado, já que a Apae foi escolhida como primeira entidade do município a ser beneficiada pela campanha ‘Troco da Bondade’, promovida pela rede, desde a inauguração da loja em Brusque, no dia 27 de julho. A campanha tem duração de quatro meses e o público pode contribuir com doações de qualquer valor, que posteriormente serão encaminhadas para a Apae. “Trazer os alunos aqui foi uma forma de motivar os colaboradores nesta campanha, que estão empenhados a oferecer o Troco sempre que passamos pelos caixas. Ficamos muito felizes com essa parceria, já que o momento econômico é difícil para todos nós. Por isso agradecemos à diretoria do Angeloni e solicitamos que as pessoas possam fazer a sua colaboração”, declarou na oportunidade o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia.

Experiências
Além de conhecer a estrutura, os alunos da turma de Pré-Qualificação para o Mercado de Trabalho I também esclareceram dúvidas sobre as mais diversas funções e cargos da loja. A visita foi guiada pela analista de RH, Raquel Mottin, e os alunos acompanharam as atividades do estabelecimento em todos os setores, desde depósito, padaria, frigorífico, até os caixas.
Para o gerente da loja Brusque do Angeloni, Elvis Schneider, receber os alunos da Apae de Brusque foi uma forma de fortalecer ainda mais os laços com a comunidade, em especial pelo trabalho que é desenvolvido pela entidade. “Essa aproximação só vem comprovar algo que é muito importante para o Angeloni, que é a parceria com a comunidade. Queremos cada vez mais fortalecer esses laços e mostrar que viemos para Brusque para somar, através de ações sociais”, declarou.

Saiba Mais
A campanha ‘Troco da Bondade’ é uma promoção da Ação Social Angeloni (ASA) desde 1997 que conta com a participação da comunidade, que doa seu troco, onde o Angeloni acrescenta mais 5% do valor doado à entidade cadastrada. O objetivo da campanha é estimular a comunidade a participar na promoção de uma sociedade melhor e mais justa para todos.
Para participar do ‘Troco da Bondade’, o cliente diz ao atendente da farmácia ou ao operador de caixa do supermercado que quer doar seu troco. A doação eletrônica emite, junto com o cupom fiscal, um comprovante com o valor e o nome da instituição que o cliente está auxiliando. A cada final de mês, o valor total é encaminhado às entidades previamente selecionadas e que mudam a cada quatro meses.

A Apae
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memorium), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, com mais 280 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. Atualmente, três unidades integram entidade: a Clínica Uni Duni Tê, e o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI). Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados.
Leia +05/09/2016

36ª Festa da Apae de Brusque acontece dia 16 e 17 de setembro

Evento contará com roda da fortuna, pratos típicos e música ao vivo

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque já iniciou os preparativos para a 36ª Festa da entidade. O evento, que acontece nos dias 16 e 17 de setembro, na sede da associação, já é tradicional em Brusque e este ano deve mais uma vez surpreender o público com suas atrações, que irão marcar as comemorações dos 61 anos de fundação da entidade – a primeira Apae do Estado de Santa Catarina e a segunda do país. “Teremos muitas atrações, muita alegria e toda a família de Brusque e da região é convidada a comemorar conosco. O valor angariado será utilizado na manutenção da Apae, em função da queda de arrecadação do Estado, que caiu mais de 36% e faz falta para a instituição. O que a gente não quer é prejudicar o trabalho que é prestado gratuitamente à comunidade”, declara o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia.

Programação
Na sexta-feira, 16, a festa inicia a partir das 19h e serão servidos os seus tradicionais pratos típicos: a polenta com galinha e o churrasco. A dupla Rodrigo Bianchini e Fábio Baron anima o evento, a partir das 20h30.
Já no sábado, às 18h será realizado o Culto Ecumênico no local. Os festejos seguem com a venda dos tradicionais churrascos, além da animação da banda Nossa Legião, também a partir das 20h30. Haverá venda de cachorro-quente com duas linguiças, doces e café. E continuam as demais atrações, como a Roda da Fortuna, Pescaria e as barracas mais especiais da Festa: a dos alunos e a do Clube de Mães da Apae de Brusque. Produtos feitos pelos alunos nas oficinas de tapeçaria e papel reciclado também estarão à venda.
“Convidamos toda a comunidade para participar dessa grande festa. São atrações especiais para pessoas especiais e esperamos que todos possam marcar presença e ajudar a entidade, que precisa da colaboração do público para manter os seus serviços e atendimentos. Também precisamos neste momento de trabalho voluntário. Então, quem tiver disponibilidade e interesse em nos ajudar nesta causa, basta entrar em contato com a Apae. Todos serão bem-vindos. Quanto mais voluntários, melhor”, completa o diretor de Arrecadação e Eventos da Apae de Brusque, Michel Belli.

Cartões à venda
Para garantir mais comodidade nos dias da Festa, a Apae de Brusque também ressalta que já está com a venda dos cartões de Polenta com Galinha e Churrasco disponíveis para aquisição na sede da entidade. Os cartões da Polenta com Galinha estão sendo vendidos a R$ 20 e do Churrasco a R$ 35 para quem quiser adquirir o seu, de forma antecipada. Mais informações: (47) 3351-2482.
A 36ª Festa da Apae de Brusque acontece na sede da entidade, na Avenida Augusto Bauer, nº 350, Jardim Maluche Brusque.

Sorteio
Além dos cartões, já estão sendo vendidas as rifas de 2016 da Festa. Este ano, serão sorteados um Volkswagen UP! quatro portas 0km como primeiro prêmio, uma Honda Fan 125, como segundo prêmio, além de um conjunto de fogão embutido, depurador de ambiente e forno elétrico, como terceiro prêmio, e duas TVs como quarta e quinta premiação.O sorteio da rifa acontece no dia 29 de outubro, pela Loteria Federal. Interessados em adquirir os blocos podem entrar em contato com a Apae de Brusque no (47) 3351-2482, com Milani ou Aline.

Saiba mais
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memoriam), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, ao lado de mais 280 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. Atualmente, três unidades integram a entidade: a Clínica Uni Duni Tê, o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI). Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados.

SERVIÇO
35ª Festa da Apae de Brusque
*Dias 16 e 17 de setembro
-Sexta-feira, 16: a partir das 19 horas . Atração: Rodrigo Bianchini e Fábio Baron
-Sábado, 17: Culto Ecumênico às 18h, e em seguida banda Nossa Legião
*Na sede da entidade: Avenida Augusto Bauer, nº 350, Jardim Maluche Brusque.
*Cartões à venda para o Churrasco, no valor de R$ 35, e para Polenta com Galinha, a R$ 20, na sede da Apae de Brusque
*Informações: (47) 3351-2482.
Leia +30/08/2016

Prorrogada a votação popular para o concurso do MEC sobre prevenção do Zika Vírus

Apae de Brusque é semifinalista na etapa, com o vídeo 'Xô Zika’

Foi prorrogada, até o dia 4 de setembro, a votação popular para o concurso ‘Pesquisar e Conhecer Para Combater o Aedes aegypti ‘, do Ministério da Educação (MEC). Assim, a população de Brusque e região tem até a data para votar no vídeo 'Xô Zika', produzido por alunas da Pré Qualificação II, da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque.
O concurso é voltado a todo o sistema educacional brasileiro e tem como objetivo originar ações que promovam o combate ao mosquito Aedes aegypti e suas consequências, principalmente o Zika Vírus. O concurso escolherá vídeos que apresentem de forma criativa o trabalho desenvolvido nas escolas brasileiras.

Nesta etapa, foram selecionados 18 vídeos para a votação popular, entre eles o da Apae de Brusque, que foi um dos finalistas estaduais. Com isso, basta acessar o site: www.zikazero.mec.gov.br/juri-popular, escolher a categoria Educação Jovens e Adultos, votar no vídeo produzido pelos alunos da Apae de Brusque, e confirmar o voto no e-mail enviado pelo concurso.

Além do voto popular, os vídeos finalistas nacionais passarão por uma nova etapa de avaliação, a qual será feita pela Comissão Julgadora Final que escolherá um vencedor em cada categoria e nível. Vencerá o vídeo que tiver maior número de votos. “Convidamos toda a comunidade de Brusque e região acessar o site, votar no nosso vídeo, e colaborar para que esse trabalho desenvolvido com tanto esforço e dedicação pelos nossos alunos possa ser reconhecido nacionalmente”, comenta a secretária Executiva da Apae, Milani Zunino,

Produção
Para a produção do vídeo, foram realizadas pesquisas online, diálogos e conversas para entender como acontece o ciclo do mosquito, o que deve ser fazer para prevenção do mesmo, sintomas das doenças, entre outras informações, que através da gravação do vídeo promoveu o aprimoramento do conhecimento dos alunos. A produção teve orientação das professoras Joice V. B. Diegoli e Graziela B. Dalcastagner.
Leia +24/08/2016

Apae de Brusque está na semifinal de concurso do MEC sobre prevenção do Zika Vírus

O Vídeo 'Xô Zika', produzido por alunas da Pré Qualificação II, da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque é semifinalista no concurso ‘Pesquisar e Conhecer Para Combater o Aedes aegypti ‘, do Ministério da Educação (MEC).
O concurso é voltado a todo o sistema educacional brasileiro e tem como objetivo originar ações que promovam o combate ao mosquito Aedes aegypti e suas consequências, principalmente o Zika Vírus. O concurso escolherá vídeos que apresentem de forma criativa o trabalho desenvolvido nas escolas brasileiras.

Nesta etapa, foram selecionados 18 vídeos para a votação popular, entre eles o da Apae de Brusque, que foi um dos finalistas estaduais. Com isso, basta acessar o site: http://zikazero.mec.gov.br/juri-popular?view=juripopular&layout=videos&cat_id=4 votar no vídeo produzido pelos alunos da Apae de Brusque, na categoria Educação Jovens e Adultos, e confirmar o voto no e-mail enviado pelo concurso.

Além do voto popular, os vídeos finalistas nacionais passarão por uma nova etapa de avaliação, a qual será feita pela Comissão Julgadora Final que escolherá um vencedor em cada categoria e nível. Vencerá o vídeo que tiver maior número de votos. “Convidamos toda a comunidade de Brusque e região acessar o site, votar no nosso vídeo, e colaborar para que esse trabalho desenvolvido com tanto esforço e dedicação pelos nossos alunos possa ser reconhecido nacionalmente”, comenta a secretária Executiva da Apae, Milani Zunino,

Produção
Para a produção do vídeo, foram realizadas pesquisas online, diálogos e conversas para entender como acontece o ciclo do mosquito, o que deve ser fazer para prevenção do mesmo, sintomas das doenças, entre outras informações, que através da gravação do vídeo promoveu o aprimoramento do conhecimento dos alunos. A produção teve orientação das professoras Joice V. B. Diegoli e Graziela B. Dalcastagner.
Leia +18/08/2016

Apae de Brusque inicia campanha de arrecadação em parceria com a Celesc nos bairros Azambuja, Santa Rita e Santa Terezinha

Visitas serão feitas por profissionais identificados pelo projeto

Na próxima segunda-feira, 22 de agosto, inicia mais uma importante etapa do projeto de doações da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, em parceria com a Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc). Após as visitas em residências para adesão de novos contribuintes no bairro Guarani, desta vez os bairros Azambuja, Santa Terezinha e Santa Rita é quem irão receber os profissionais que atuam no projeto.
As visitas serão feitas por Agentes de Captação de Recursos, identificados com crachás e uniformes, que apresentam tanto a campanha, como também o trabalho que é desenvolvido pela Apae de Brusque. “Começamos no bairro Guarani e tivemos uma boa aceitação da comunidade. Nem todos puderam contribuir, mas foram muito receptivos com nossos agentes. Com as visitas nos novos bairros, a nossa intenção é que a comunidade possa colaborar ainda mais. Também esperamos que as pessoas conversem com vizinhos e amigos e sejam multiplicadores do projeto”, explica a coordenadora de captação de Recursos da Apae de Brusque, Rosecler Ceratti Foletto.

A campanha existe desde 1997, é um convênio entre a Apae de Brusque e a Celesc, e prevê que o titular da conta de energia elétrica disponibilize uma quantia mensal que, descontada da fatura, é destinada para a Apae. Através das arrecadações, a Apae de Brusque poderá dar continuidade aos atendimentos da comunidade de forma gratuita, através da prestação de seus serviços.
Além da continuidade das visitas, a partir da próxima semana também serão expostos alguns outdoors sobre a campanha, na sede da Apae de Brusque e em pontos onde acontecem as visitas às residências, para que a população possa conhecer ainda mais o projeto e se
sensibilizar para adesão do mesmo.

Identificação
Sobre a campanha, a Apae de Brusque também alerta que, tanto através das ligações telefônicas como nas visitas domiciliares, em momento algum haverá repasse ou contato de valores em espécie. “É necessário apenas a assinatura e o número do CPF do titular da fatura, para autorização do documento que será encaminhado para a Celesc, para a alteração ou o início da doação do valor do contribuinte”, ressalta Rosecler.

Saiba mais
Ao todo, são três Agentes de Captação de Recursos que atuam no projeto de captação: Ana Paula dos Santos, Daiane Bagatin e Antônio Carlos Assunção de Almeida que irão dar continuidade às visitas nas residências nos bairros Santa Terezinha, Santa Rita e Azambuja, respectivamente. Para mais informações sobre o projeto e doações: (47) 3351-2527 ou (47) 9946-0341 (VIVO), das 8h às 12h e das 13h às 18h.

A Apae
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memorium), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, com mais 280 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação: Clínica UniDuniTê, Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI).
Leia +17/08/2016

Apae de Brusque será contemplada com alimentos arrecadados no jogo de futebol ‘Craques do Bem’

A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais de Brusque (Apae) será uma das entidades beneficiadas com a arrecadação de alimentos não perecíveis do jogo de futebol ‘Craques do Bem’, que acontece no dia 4 de agosto, no Clube Esportivo Paysandú, às 14h30.

A partida beneficente terá a participação de estrelas do futebol brasileiro, como o meio campo Claiton, o volante Amaral, os zagueiros André Luis e Márcio Santos, o atacante Edílson Capetinha, o jogador de futevôlei, Dado, e o árbitro Margarida. Além disso, o jogo terá a presença dos campeões do time do Brusque de 1992.

Os ingressos custam R$ 15 e interessados podem adquiri-los na Apae de Brusque. No dia do jogo, além do ingresso também é necessária a doação de um quilo de alimento não perecível, que posteriormente será doado para a Apae e para o Lar Sagrada Família.
Leia +30/07/2016

Alunos da Apae de Brusque são contemplados com doação de seis cadeiras de rodas

Entrega ocorreu em Blumenau e além da Apae, o Lar Menino Deus de Brusque também recebeu doações

A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recebeu no último dia 16 de julho a doação de seis cadeiras de rodas, que contemplam alunos da entidade. A cerimônia de entrega das cadeiras ocorreu em Blumenau e foi realizada através da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e da Ajuda Humanitária. Ao todo, foram entregues 75 cadeiras de rodas para pessoas com necessidades especiais de instituições dos municípios de Blumenau, Brusque e Apiúna.

Durante o evento, várias autoridades e representantes de instituições do Vale do Itajaí estiveram presentes. Os alunos da Apae de Brusque Carlos Stofela e Elaine Cristina Barbosa, acompanhados de familiares e de demais colaboradores da entidade participaram do evento e representaram a associação e os demais alunos na entrega.

“Para nós foi um momento muito especial receber essas cadeiras, que facilitarão a vida dos nossos alunos no dia a dia. Agradecemos aos voluntários e as entidades organizadoras da ação por essa doação tão significativa para nós”, comentou a secretária Executiva da Apae, Milani Zunino, presente na cerimônia.

Além da Apae, o Lar Menino Deus de Brusque também foi contemplado com a doação de duas cadeiras de rodas.
Leia +30/07/2016

Apae de Brusque recebe doação do Troco Solidário do Fort Atacadista

Campanha iniciou em janeiro desse ano e contou com a colaboração dos clientes da unidade de Brusque

A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recebeu na manhã de sábado, 23 de julho, a doação dos valores arrecadados no Troco Solidário do supermercado Fort Atacadista. Em funcionamento desde a inauguração da unidade de Brusque, em 27 de janeiro deste ano, a campanha teve a duração de seis meses e contabilizou no total R$ 20.923,00. A entrega oficial dos valores arrecadados contou com a participação de alunos, pais, integrantes da diretoria e colaboradores da Apae de Brusque, além de funcionários e clientes do supermercado, que prestigiaram o evento. “Temos que agradecer muito ao Forte e a todos os que contribuíram para essa campanha. Foi uma colaboração muito importante para nós e não importa o valor que foi doado, qualquer quantia foi válida e vai ajudar muito a nossa instituição. Muito obrigada”, declarou a aluna da Apae de Brusque, Viviane Voss.

Benefícios
A Apae de Brusque foi a primeira entidade a ser contemplada pela campanha do Fort, que a partir de agora continua com as suas arrecadações e que serão revertidas para a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brusque. “É de extrema importância poder colaborar para a comunidade de Brusque, para instituições que tanto ajudam e fazem por merecer esse valor arrecadado. Os clientes aceitaram a ideia, colaboraram e notamos que a cidade acredita em suas instituições. Esperamos que a comunidade possa continuar contribuindo em benefício de outras entidades”, declarou na oportunidade o gerente da unidade de Brusque do Fort, Silvio Luiz Erbani.
Para o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, a doação foi fundamental para a entidade, que poderá manter a prestação de seus serviços para a comunidade de Brusque. “Ficamos impressionados com os valores arrecadados, mas sempre que vínhamos aqui percebíamos o empenho dos colaboradores e da administração do Fort em prol da campanha. Temos que agradecer a todos que contribuíram de alguma forma, pois que esse valor vem em um momento significativo para nós, já que todas as Apaes do Estado estão passando por dificuldades, algumas inclusive estão cortando alguns serviços. E é através dessa e de outras doações, e de campanhas, como a em parceria com a Celesc, que é possível manter nossos serviços e realizarmos um bom atendimento aos nossos alunos”, comentou Póia.

A entrega contou também com um café especial, oferecido aos participantes da solenidade e aos clientes do estabelecimento.

Saiba mais sobre a campanha
A campanha institucional do Grupo Pereira, existe desde 2007 e tem como objetivo ajudar instituições nas cidades onde atua. Ao todo, o Troco Solidário tem seis meses de duração e a população pode contribuir nos próprios caixas do supermercado. Além de dinheiro, a doação também pode ser realizada com pagamento em cartões de crédito ou débito. Todos os colaboradores que iniciam na empresa passam por capacitações, e ao longos dos últimos seis meses conheceram as próprias atividades que são desenvolvidas na Apae, o que os motivou a repassar aos clientes a importância da doação.

A Apae
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memorium), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, com mais 280 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. Atualmente, três unidades integram entidade: a Clínica UniDuniTê, o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI). Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados
Leia +23/07/2016

Emoção na Festa Junina da APAE

Mais de 400 pessoas prestigiaram a Festa Junina da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque. O evento, realizado na tarde deste sábado, 16 de julho, na sede da entidade, era destinado para alunos da instituição e seus familiares. Todos se divertiram com a apresentação de uma inusitada quadrilha, danças de roda e o casamento caipira. Além disso, foram servidos cachorro-quente, refrigerante, bolo, pipoca e canjica.
“É uma oportunidade para confraternizar com nossos alunos e suas famílias. Nós estamos felizes com a presença de todos. Boa diversão”, disse o presidente da APAE, Sebastião Ernani Poia, recepcionando os convidados desta festa especial.
Depois de três meses afastada da entidade por motivo de doença, a diretora da Ação Social da APAE, Maria de Lourdes Schulenburg, estava de volta, bastante emocionada com as apresentações culturais que assistiu. “É uma maravilha estar aqui porque isso é a vida da gente. Eu tinha muita saudade, não via à hora de melhorar para voltar”, afirmou a voluntária, entre sorrisos de gratidão.
Já a diretora Executiva da entidade, Sandra Helena de Almeida, falou sobre a importância da confraternização entre pais e alunos. “Conversamos com as famílias muito rapidamente, na entrada e saída dos atendimentos ou durante as reuniões. Então a gente acredita neste convívio, que aproxima as pessoas da entidade”, ressaltou.
A expectativa é que o evento nestes moldes possa se repetir ainda em 2016, junto às comemorações natalinas.
Leia +16/07/2016

APAE apresenta Boi de Mamão na Praça Barão de Schnéeburg

A apresentação do Boi de Mamão, feita por alunos e professores da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque, deixou mais colorida esta manhã ensolarada de sábado, 9 de julho, na Praça Barão de Schnéeburg. A ação foi realizada dentro da programação do Sábado Fácil, uma iniciativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) em parceria com outras empresas e entidades.
Diversas pessoas que passavam pelo local interromperam por alguns minutos suas compras só para se emocionar com a brincadeira do Boi de Mamão, da Bernunça e da Maricota. “É um resgate dos traços culturais muito presentes em algumas regiões de Santa Catarina, sobretudo nos municípios que foram colonizados por açorianos. Nós ensaiamos essa coreografia desde 2012 e já apresentamos em alguns eventos comunitários. Através da arte e da cultura nós promovemos a inclusão”, explica a orientadora pedagógica da APAE, Elisa Gracielle Basílio Pineda.
Além da apresentação, a APAE também expôs alguns trabalhos desenvolvidos por seus alunos nas oficinas de tapeçaria e papel e divulgou a campanha de ajuda financeira à entidade, através de descontos na conta da Celesc.
Leia +09/07/2016

Apae de Brusque será contemplada com ação da Baggio Pizzaria, alusivo ao Dia Mundial da Pizza

Valores arrecadados nas vendas dos sabores mussarela e calabresa no domingo, 10 de julho, serão revertidos para a entidade

Quem resiste àquela massa crocante, com ou sem borda, quentinha, recheada de ingredientes deliciosos, com queijo derretido e muito sabor? Agora imagine acrescentar aos ingredientes um pouco de solidariedade. A pizza é uma das comidas mais famosas no mundo inteiro e, para marcar o dia mundial dela, celebrado no domingo, 10 de julho, a Baggio Pizzaria promove uma importante ação solidária, que este ano irá contemplar a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque.

O “Baggiorno Felice” é realizado há dez anos e acontece nas franquias da rede, localizadas no estado de Santa Catarina e no Paraná. Este será o segundo ano que a ação ocorre em Brusque, que tem como objetivo colaborar para a instituição e dar um retorno social às ações desenvolvidas pela rede. “É uma forma do público saborear sorrisos, ou seja, ao mesmo tempo em que as pessoas se alimentam, elas também ajudam a entidade. Pela representatividade que a Apae de Brusque tem e por todo o trabalho desenvolvido pela associação, não teríamos como não contemplá-la”, comenta o sócio-proprietário da franquia de Brusque, Lucas Klimak.

Toda renda obtida na venda das pizzas pedidas no dia, nos sabores de mussarela e calabresa, terão os valores revertidos para a Apae, tanto os pedidos feitos no restaurante, retirada no balcão, e como para tele-entrega. A ação acontece das 18h às 22h30 e quem aderir à campanha será contemplado com um dos bottons alusivos à data. “Os nossos 12 colaboradores de Brusque também estão bem animados com a campanha e esperamos que o público prestigie e possa ajudar, para alcançarmos um resultado melhor”, completa Klimak.
Após a arrecadação, a franquia fará a doação dos valores para a Apae de Brusque.

Sabor especial
Na tarde desta quinta-feira, 7 de julho, 30 alunos da Apae de Brusque visitaram as instalações da pizzaria e tiveram a oportunidade de degustar as pizzas, bem como reforçar ainda mais o convite à população de Brusque para a campanha de domingo. Ao todo, quatro turmas da Iniciação, Pré-Qualificação das Oficinas degustaram as pizzas que serão oferecidas na campanha. “É a primeira vez que vim e foi muito bom poder comer aqui com os meus amigos, a pizza estava deliciosa. Que no domingo o pessoal possa sair de casa, vir comer uma deliciosa pizza e ajudar a Apae”, falou a aluna Márcia Fernandes Teixeira.

A Apae
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memorium), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, com mais 270 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação: Clínica UniDuniTê, Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI).

SERVIÇO
Baggiorno Felice
Na Baggio Pizzaria – Praça de alimentação da Havan Brusque
Domingo, 10 de julho – Dia Internacional da Pizza
Das 18h às 22h30
Toda renda obtida na venda das pizzas pedidas no dia, nos sabores de mussarela e calabresa, terão os valores revertidos para a Apae
Mais informações: (47)3355-6621
Leia +08/07/2016

Apae de Brusque é a primeira entidade contemplada pelo Troco Solidário do Sindilojas

A partir desta sexta-feira, 1º de julho, até dia 31 de dezembro de 2016, clientes do comércio de Brusque poderão colaborar com a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque através do ‘Troco Solidário’. Promovida pelo Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Brusque, Guabiruba e Botuverá (Sindilojas), a campanha foi lançada na tarde de quarta-feira, 29 de junho, e todo o dinheiro arrecadado no período, nos estabelecimentos participantes será doado para a Apae de Brusque.
A população poderá participar da campanha no ato da compra, com a doação do troco ou de parte dele, em uma das urnas do ‘Troco Solidário’, identificadas nos caixas das lojas que aderiram à ideia.
Durante o lançamento da campanha, o presidente do Sindilojas, Marcelo Gevaerd, explicou que a iniciativa foi pensada há três meses pela diretoria do sindicato e inicialmente o Sindilojas faria a campanha em 20 locais. Entretanto, com a grande adesão o número foi ampliado e, ao todo, 40 lojas associadas ao sindicato aderiram à campanha. As expectativas da entidade são de que mais estabelecimentos possam participar. “Sabemos que mais lojas estão interessadas e vamos fazer mais dez urnas para os associados interessados”, comentou Gevaerd.
Além disso, a campanha deverá contemplar uma entidade de Brusque e região a cada seis meses. “Queremos que isso não seja algo temporário. Também queremos ampliá-la para Guabiruba e Botuverá posteriormente, nos estabelecimentos desses municípios, para beneficiar também entidades dessas cidades”, completou.

Agradecimento
No oportunidade, o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, também presente no evento, ressaltou a importância da campanha para a entidade, bem como estendeu seus agradecimentos a toda a diretoria do sindicato. “Este é um momento em que a instituição está com dificuldades de captar recursos, devido a atual situação econômica do país. Temos 280 alunos, 37 profissionais capacitados atuando e fazemos em média 2 mil atendimentos por mês só na clínica UniDuniTê. E este ‘Troco Solidário’ vem em um momento oportuno, pois através desse tipo de ação, que envolve a comunidade, é que vamos conseguir manter todos os serviços na Apae. Muito obrigada por abraçarem essa ideia”, declarou.
Da mesma forma, a aluna da Apae de Brusque, Viviane Voss, também ressaltou os agradecimentos. “Em nome dos alunos e dos meus amigos, agradecemos o sindicato por essa atitude. Com certeza todos os nossos colegas vão poder aproveitar os benefícios que essa campanha vai trazer”, comentou.

Estabelecimentos associados ao sindicato que tiverem interesse em participar do ‘Troco Solidário’ podem entrar em contato com o Sindilojas. Mais informações: (47) 3251-2508.

Confira as estabelecimentos participantes do ‘Troco Solidário’ do Sindilojas:
Alto Estilo Tecidos
Aradefe Malhas
Archr Material de Construção
BC Malhas
Brezzi Confecções
Brusfer
Calçados Gevaerd
Cia Cell
Diagonal Máquinas
Edinho Material de Construção
Eletro Peças Real
Elo Z
Estação 253
Farmácia Lindóia
Kohler Joalerua
Lemus Calçados
Livraria Mosimann
Loja Alescesar
Marazul Malhas
Mega Motos
Meas Larsen
Mini Mercado Dalmarco
Nova Casa Material de Construção
Ocasião Biju
Ótica Moderna
Ramatex
Relojoaria Stonfer
Sancris
Senac
Sueli Bado
Stop Shop
Talinda
Tania
Thelavi
Unidunitê
Vantex
Warusky
Zendron Multimarcas
Leia +30/06/2016

Apae de Brusque inicia campanha de arrecadação em parceria com a Celesc no bairro Guarani

Visitas serão feitas por profissionais identificadas. Projeto existe desde 1997 e está sendo retomado pela Associação

Para dar continuidade aos atendimentos da comunidade de forma gratuita, através da prestação de seus serviços, a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque recentemente retomou um importante projeto de doações feito em parceria com a Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc).
A campanha, que existe desde 1997, é um convênio entre a Apae de Brusque e a Celesc, e prevê que o titular da conta de energia elétrica disponibilize uma quantia mensal que, descontada da fatura, é destinada para a Apae.
Na próxima segunda-feira, 4 de julho, inicia mais uma importante etapa do projeto: as visitas em residências para adesão de novos contribuintes e, o primeiro bairro escolhido para a ação é o Guarani. “É um bairro com bastante residências, além do que este foi o local onde iniciaram os trabalhos da Clínica UniDuniTê. Este será o primeiro bairro, mas em seguida vamos visitar outros de Brusque, pois a nossa intenção é que a comunidade toda possa colaborar. Além disso, a ideia da entidade é conversar com os pais dos alunos que residem no local para que eles também conversem com vizinhos e amigos e sejam multiplicadores do projeto”, comenta o vice-presidente da Apae de Brusque, Márcio Belli.

Identificação
As visitas serão feitas por profissionais registrados e identificados com crachás e uniformes, que irão apresentar tanto o projeto em parceria da Apae com a Celesc, bem como falar sobre o trabalho que é desenvolvido pela entidade. “São três Agentes de Captação de Recursos que atuam nesse projeto e. dois deles estarão visitando as residências, que são Ana Paula dos Santos e Daiane Bagatin. Já o outro agente, Antônio Carlos Assunção de Almeida será responsável em dar continuidade à atualização dos cadastros, em fazer o contato por telefone com quem já colabora para rever os valores, bem como para conseguir novos contribuintes, através das ligações”, explica a coordenadora de captação de Recursos da Apae de Brusque, Rosecler Ceratti Foletto.
Sobre o projeto, a Apae de Brusque também alerta que, tanto através das ligações telefônicas como nas visitas domiciliares, em momento algum haverá repasse ou contato de valores em espécie. “É apenas a assinatura para autorização do documento que será encaminhado para a Celesc, para a alteração ou o início da doação do valor do contribuinte”, ressalta Rosecler.
Para o vice-presidente da Apae de Brusque, esta nova fase do projeto deverá envolver ainda mais a comunidade nas ações realizadas pela entidade. “É somente através de doações que conseguimos ter e manter bons profissionais aqui, que atendam nossos alunos com qualidade. Para isso, precisamos buscar recursos e este projeto em parceria com a Celesc é uma das formas que encontramos de conseguir doações. Por isso contamos com a colaboração da comunidade de Brusque e também estamos de portas abertas para receber todos que queiram conhecer o trabalho realizado pela nossa instituição”, completa o vice-presidente da Apae.

Saiba mais
Para mais informações sobre o projeto e doações: (47) 3351-2527 ou (47) 9946-0341 (VIVO), das 8h às 12h e das 13h às 18h.

A Apae
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memorium), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, com mais 270 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação: Clínica UniDuniTê, Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI).
Leia +29/06/2016

Rifas da Festa da Apae Brusque de 2016 começam a ser distribuídas

Os blocos da tradicional Rifa da Festa da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, edição 2016, já chegaram e começam a ser distribuídos a partir desta semana. São 5.400 blocos de rifa que passam a ser vendidos na comunidade e empresas brusquenses já neste mês, até o dia 21 de outubro. O grande sorteio pela Loteria Federal acontece no dia 29 de outubro.
O valor por bilhete é de R$ 6, sendo três chances de ganhar, já que cada bilhete possui três números. No ano em que a Apae comemora seus 61 anos, serão sorteados um automóvel VW/Up! 0Km como primeiro prêmio, uma motocicleta Honda Fan 125 0Km com jaqueta e calça de segurança como segundo prêmio, além de um conjunto de fogão embutido, depurador de ambiente e forno elétrico como terceiro prêmio, e duas TVs LCD de 32 polegadas como quarta e quinta premiação.
De acordo com o presidente da Apae Brusque, Sebastião Ernani Póia, a rifa é o trunfo da instituição no ano, junto com a festa, realizada sempre no mês de setembro. “É um recurso que a Apae necessita e a partir dessa semana a rifa já estará na praça. O bilhete custa R$ 6, e a gente pede que as pessoas colaborem, porque é de fundamental importância que a gente tenha esse recurso para que consigamos manter todos os serviços que a Apae presta”, enfatiza.
Diferente de anos anteriores, quando os recursos da rifa foram destinados a projetos de melhorias na infraestrutura da instituição, neste ano o destino do recurso será exclusivo para a manutenção dos serviços. “Infelizmente não temos como utilizar o recurso para fazer algum investimento, alguma obra. Temos que utilizá-lo para manutenção porque os recursos este ano estão escassos, e as despesas têm-se avolumado. Então essa rifa é de vital importância para que possamos manter os trabalhos desenvolvidos pela Apae”, reforça Póia.
Interessados em adquirir os blocos de rifa à venda podem entrar em contato com a Apae de Brusque no (47) 3351-2482, Milani ou Aline.

Festa da Apae
A Festa da Apae acontece nos dias 16 e 17 de setembro, nas dependências da entidade. Haverá uma ampla programação nos dois dias do evento, com churrasco, cachorro-quente, música ao vivo, venda de tapetes fabricados pelos alunos da Apae, e muito mais.


Você sabia?
Fundada em 14 de setembro de 1955, a Apae Brusque é a primeira formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz. Em 2016, a entidade completa 61 anos. Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados. Com 280 alunos, a Apae de Brusque possui três unidades: a Clínica Uni Duni Tê, o Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI).
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.

Leia +20/06/2016

Troco Solidário do Fort Atacadista, que contempla a Apae de Brusque já arrecadou mais de R$ 16 mil

Comunidade pode colaborar com as doações para a entidade até o dia 31 de julho

A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque foi a primeira entidade escolhida para ser contemplada pelo Troco Solidário do supermercado Fort Atacadista e, desde o dia 27 de janeiro, quando foi inaugurado em Brusque, a unidade iniciou a campanha de arrecadação para a entidade, que até o início de junho já arrecadou mais de R$ 16 mil.
“Este é o resultado de um trabalho em equipe para uma causa nobre, em poder contribuir para a Apae da nossa cidade que é uma instituição séria, faz um trabalho exemplar e demonstra nos seus projetos o carinho e a preocupação com seus alunos. Saber que de alguma maneira podemos ajudar a trazer melhorias na vida dessas pessoas, é fantástico”, declara a responsável pelo RH do Fort Atacadista, Priscila Martins.

Colaboração
A campanha institucional do Grupo Pereira, existe desde 2007 e tem como objetivo ajudar instituições nas cidades onde atua. Ao todo, o Troco Solidário tem seis meses de duração e a população de Brusque poderá contribuir com doações para a Apae até o dia 31 de julho, nos próprios caixas do supermercado. Além de dinheiro, a doação também pode ser realizada com pagamento em cartões de crédito ou débito.
Em janeiro deste ano, quando a campanha iniciou, um grupo de alunos da Apae de Brusque visitou as instalações do Fort, o que motivou os colaboradores ainda mais a se engajarem para a campanha. Além disso, a responsável pelo RH da unidade de Brusque explica que todos os colaboradores que iniciam na empresa passam por capacitações, bem como conhecem a campanha e as próprias atividades que são desenvolvidas na Apae. “Assim, eles já iniciam na loja cientes da importância dessa arrecadação.Também fazemos algumas campanhas internas de incentivo, como a premiação aos operadores de caixa que conseguem o maior valor de arrecadação do mês, o que nos orgulhamos muito, ao ver toda a equipe envolvida no mesmo projeto”, comenta.

Até julho
Como a campanha vai até o dia 31 de julho, a entrega oficial com todo o valor arrecadado deverá ser feita para a Apae de Brusque no mês de agosto. “Para nós, essa parceria foi muito importante, uma forma de retribuir um pouco do acolhimento que a empresa teve em Brusque e ajudar uma instituição tão comprometida com a cidade como a Apae, que com certeza é referência em Santa Catarina e realiza um trabalho maravilhoso”, completa Priscila.
Da mesma forma, para o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, reforça a importância da campanha, que é fundamental para a entidade. “Este será um recurso muito importante para a nossa instituição, ainda mais para a manutenção da Apae. Desde o início ficamos muito felizes com essa parceria e contamos com a colaboração da comunidade de Brusque, para que possa continuar fazendo as doações e nos ajudar a desenvolver cada vez mais um trabalho significativo com os nossos alunos”, acrescentou.

A Apae
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memorium), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, com mais 270 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. Atualmente, três unidades integram entidade: a Clínica UniDuniTê, e o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI). Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados
Leia +17/06/2016

Festa e alegria nos 71 anos de Pierre

Apae Brusque comemora aniversário do aluno mais antigo da instituição!
Os olhares atentos de Pierre Moritz enquanto batia palmas, eram para os amigos que dividiam a pista de dança durante a festa preparada para ele, na tarde desta quinta-feira, 16 de junho, no Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon). Comemorar 71 anos e receber o carinho dos familiares, amigos, professores, e funcionários da Apae de Brusque, encheu de orgulho Pierre, que era só sorrisos.
O tema escolhido para a festa foi o junino, e o Cecon foi totalmente decorado para a data. Pierre é o aluno mais antigo da Apae de Brusque. A instituição foi fundada por seus pais, dr. Carlos Moritz e dona Ruth de Sá Moritz em setembro de 1955, justamente com o objetivo de oferecer um atendimento especializado a crianças como o Pierre, e trabalhar a inclusão social. “São 71 anos que ele completa hoje com muita saúde e ensinando para todos nós muita coisa. Ele gosta do aniversário dele porque as pessoas o cumprimentam, telefonam para ele, é um momento especial. E a ideia de fazer a festa aqui é porque os amigos dele estão aqui, é o local que ele vem todos os dias, que ele adora vir, aliás”, comenta a irmã, Maria Tereza Moritz Montibeller.
Para o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia, os 71 anos do Pierre são também uma data importante para a própria Apae. “É um dia de comemorar e festejar com o Pierre já que são 71 anos de idade e 60 anos de Apae. Isso é uma prova de que hoje uma pessoa especial tem mais longevidade. Ele está aqui conosco alegre, feliz. E isso é uma satisfação para todos nós”, revela.
Os preparativos da festa foram organizados pelas professoras Paula Caroline Pereira e Ellen Scalvin e toda turma do Cecon participou. “Para eles é muito boa essa convivência, a importância de saber o dia do outro, de que hoje é o dia do Pierre. E para nós é muito gratificante”, conta Paula.

Leia +16/06/2016

Alunos da Apae de Brusque participam da VII Semana do Meio Ambiente da Comarca de Brusque do TJ-SC

Com o objetivo de repensar o conceito de sustentabilidade e propor ações em benefícios de seus colaboradores e de toda a sociedade, a Comarca de Brusque do Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina promoveu entre os dias 6 a 10 de junho a VII Semana do Meio Ambiente. Com o tema “Gestão e Sustentabilidade”, diversas ações foram promovidas em todo o Estado e, para marcar a data, na quinta-feira, 9 , foram realizadas palestras sobre o tema, no auditório do Tribunal do Júri, no Fórum de Brusque.
O evento contou com a participação dos alunos da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, que apresentaram aos colaboradores do Fórum um pouco do trabalho desenvolvido na entidade, em especial nas oficinas de Tapeçaria e de Papel Reciclado. A aluna Márcia Fernandes Teixeira foi a responsável por apresentar as ações realizadas na entidade e explicou detalhes das produções feitas nas oficinas. “Recebemos as doações de vários tipos de materiais e aproveitamos tudo o que muitas vezes seria descartado por algumas empresas, como papel, e até tapetes emborrachados, que produzimos chinelos e transformamos em coisas novas. É muito bom poder fazer isso, pois além de ajudar o meio ambiente, o que arrecadamos das vendas desses produtos é revertido para nós, onde podemos viajar e fazer outras atividades”, comentou a aluna, que também convidou o público para conhecer as instalações da entidade. “Estamos de portas abertas para receber, com muito carinho, todos que queiram visitar a Apae e ver de perto o nosso trabalho”, ressaltou Márcia.
Na oportunidade, a diretora Executiva da entidade, Sandra Helena de Almeida, também falou sobre a história da associação, que é a primeira de Santa Catarina e a segunda do país, e que teve seu início marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho do saudoso casal Ruth e Carlos Moritz. Além disso, também foram apresentadas as atividades desenvolvidas na instituição, que hoje é formada por três unidades: a Clínica UniDuniTê, o Centro de Convivência Ruth de Sá, e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI), que atendem cerca de 280 alunos.

Troca de experiências
Como parte da programação, o público também prestigiou a palestra da assistente social da Unimed Brusque e secretária adjunta de projetos do ‘Movimento Nós Podemos’, Camile Rebeca Bruns, que apresentou os conceitos de sustentabilidade e a importância dela ser feita de forma social, ambiental e financeira pelas entidades. Camile também falou sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que é uma agenda mundial e deve ser desenvolvida nos próximos anos por diversas empresas e instituições em vários países.

Avaliação
Para a juíza da Vara Civil e diretoria do Foro, Cláudia Ribas Marinho, o evento foi extremamente positivo e tanto as informações como as experiências trocadas na oportunidade inspiraram ainda mais os colaboradores a se engajaram em ações sócio-ambientais. “No Fórum realizamos várias atividades já em prol do meio ambiente, como as lixeiras identificadas para a separação dos materiais, o estímulo do uso de canecas e copos de vidro ao invés de copos plásticos, o uso do papel reciclado, entre outros. E este evento nos trouxe novas ideias e uma conscientização maior não só para o dia a dia no Fórum, mas para as nossas atividades enquanto cidadãos”, comentou.
Da mesma forma, o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia avaliou o encontro como uma oportunidade ímpar, de demonstrar um pouco do trabalho da entidade e o que é feito em prol da sustentabilidade. “Nos últimos anos recebemos os Oito Selos Sociais, atingimos os Oito Objetivos do Milênio e esse reconhecimento comprova que cada vez mais estamos cumprindo a nossa meta. Poder mostrar um pouco do que é realizado em nossa unidade e quem sabe inspirar novas ideias para outras instituições é algo muito gratificante”, avaliou Póia, que também esteve presente no evento.

Cerca de 50 colaboradores do Fórum participaram das palestras. Ao final do encontro eles foram presenteados com blocos de papel reciclado, feitos com doações dos próprios colaboradores, e que receberam capas exclusivas confeccionadas pelos alunos da Apae de Brusque.
Além disso, foi disponibilizado um espaço, na entrada do Fórum, onde o público pode adquirir os produtos feitos pelos alunos da entidade, como cartões e tapetes.
Leia +13/06/2016

Pedágio da Apae de Brusque arrecada mais de R$ 37 mil


A manhã de temperaturas baixas registrada no sábado, 11 de junho, não desanimou a população de Brusque que contribuiu significativamente em mais uma edição do Pedágio da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). Ao longo de toda a manhã ensolarada, em 13 diferentes pontos da cidade, voluntários receberam doações de centenas de motoristas, motociclistas, ciclistas e até pedestres que colaboraram como puderam: desde doações de centavos até valores mais altos.
Da mesma forma, na sexta-feira, 10, o pedágio foi realizado na cidade de Botuverá, onde alguns alunos e colaboradores da própria Apae atuaram na arrecadação dos valores doados pela comunidade.
Ao final do evento deste sábado, as doações totalizaram mais de R$ 37.600,00 superando os valores arrecadados em 2015, que foram de quase R$ 27 mil. “A Apae só tem a agradecer a todos os voluntários, todos que trabalharam em prol do mesmo objetivo para a nossa entidade que tanto precisa. Como acontece todos os anos, mais uma vez tivemos uma resposta muito positiva da comunidade e só temos que agradecer todos que se engajaram e contribuíram para esse resultado tão significativo em prol da instituição”, declarou o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia.

Ajuda
Ao todo, cerca de 200 voluntários contribuíram para a realização do Pedágio neste sábado, sendo 185 pessoas nos pontos de coletas e aproximadamente 20 outros voluntários na organização do evento, na sede da entidade. Entre eles estava a estudante Amanda Saitz, que pela primeira vez atuou no evento. “Foi uma experiência muito interessante e vimos a reação das pessoas, em poder ajudar, algumas voltaram para fazer a doação e outras que até atrasaram um pouco o trânsito. Valeu muito a pena ter participado e saio desse evento com a sensação de dever cumprido, de partilhar, de ajudar. Com certeza vou participar mais vezes”, declarou.
Da mesma forma a voluntária Marisa Gartner Bruns também ajudou no Pedágio, desta vez pelo segundo ano consecutivo. Ela, que tem um irmão que frequenta a entidade não deixou de marcar presença no evento. “É gratificante participar e sempre que posso ajudo a entidade de alguma forma, pois sabemos da importância do trabalho da Apae na vida dos alunos, como meu irmão, que é um dos alunos mais velhos da Apae. Além disso, toda a ajuda é sempre bem vinda e foi muito bom ver a comunidade contribuindo”, comentou.

Doações
Já entre os que colaboraram estava Carlos Eduardo Cervi, que contribuiu com o que pode para o pedágio e ficou satisfeito em poder ajudar. “Sabemos do trabalho que a Apae faz com pessoas especiais. É gratificante poder contribuir, mesmo que com algumas moedinhas, pois sabemos que já vai auxiliar a entidade”, ressaltou. E não foram apenas os motoristas que colaboraram. Dona Lisete Siemsen, estava a pé e não deixou de fazer a sua doação, quando caminhava pela avenida Otto Renaux. “Nos sentimos muito felizes em poder ajudar, pois sabemos da importância da entidade para os alunos e principalmente para as famílias”, afirmou a aposentada, que por 20 anos atuou como professora na Apae.

A partir de agora os trabalhos da entidade se concentram para a 36ª Festa da Apae de Brusque, que acontece nos dias 16 e 17 de setembro. Toda a comunidade da região é convidada a participar do evento.
Leia +11/06/2016

Pedágio da Apae de Brusque acontece neste sábado, 11


A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque realiza neste sábado, 11 de junho, mais uma edição do Pedágio da entidade. O evento acontece das 7h30 às 13h em 13 diferentes pontos do município, e as expectativas da entidade é que toda a comunidade de Brusque possa contribuir.
“O pedágio é extremamente importante para a Apae e vem de encontro às necessidades da instituição, já que este ano tem sido difícil para a entidade pois as verbas governamentais reduziram bastante. Então esse evento vai nos ajudar muito e pedimos encarecidamente que todos possam colaborar, já que qualquer quantia é válida e muito importante para nós”, declara o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia.
Além disso, para a realização do mesmo, a Apae de Brusque solicita a participação de voluntários, já que ainda há pontos que precisam de pessoas para auxiliar no evento. Para participar basta ter acima de 18 anos. Interessados devem entrar em contato com a entidade através do telefone: (47) 3351-2482 ou então no item ‘Como contribuir’, no site da entidade: www.apaebrusque.org.br .

Botuverá
Além disso, na sexta-feira, 10, será realizado o Pedágio da Apae em Botuverá. O evento acontece no centro da cidade, também das 7h30 às 14h. Na oportunidade são os próprios alunos da Apae de Brusque que participam.

Você conhece todo o trabalho desenvolvido pela Apae Brusque?
Fundada em 14 de setembro de 1955, é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz. Este ano a entidade completa 61 anos, e Pierre ainda é um dos seus alunos com mais 270 estudantes. Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. É o caso da Clínica UniDuniTê, que realiza o Teste do Pezinho e o Teste da Orelhinha para crianças nascidas em Brusque, Guabiruba e Botuverá. Também possui atendimento especializado na prevenção de deficiências, através da estimulação precoce, com a média de dois mil atendimentos por ano.
No Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês, 60 jovens são atendidos nas oficinas protegidas, como tapeçaria, papel reciclado, iniciação para o mercado de trabalho e pré-qualificação profissional. Outra atuação se destina aos jovens com deficiência mental a partir dos 14 anos, com o objetivo de implantar e implementar as políticas de inclusão.
Por fim, há o Centro de Convivência Ruth de Sá, destinado aos usuários em fase de envelhecimento. No local são praticadas atividades ocupacionais e de lazer, que estimulam a qualidade de vida.
Leia +10/06/2016

Bingo do Clube de Mães da Apae acontece na próxima terça-feira, 14


Na próxima terça-feira, 14 de junho, a partir das 14h, será realizada mais uma edição do tradicional Café com Bingo do Clube de Mães da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque. .
O valor é de R$ 13 por pessoa, e dá direito ao café e a duas cartelas de Bingo, que podem ser adquiridas no local do evento. Interessados em participar podem levar brindes para o sorteio.

Mais informações, na Apae de Brusque: (47) 3351-2482. A Apae de Brusque fica na rua Hugo Schlosser, 360, bairro Jardim Maluche.
Leia +10/06/2016

Apae Brusque retoma projeto de doações através de parceria com a Celesc


Moradora do bairro Maluche, quem vê a estudante Heloisa Cristina Dell’Antônia aos 19 anos em seu dia a dia, não imagina que a sua vida poderia ter sido completamente diferente se ela não tivesse feito o Teste do Pezinho. A estudante, que hoje cursa Processos Gerenciais pelo Senac e trabalha como auxiliar de caixa em um supermercado da cidade, foi diagnosticada ainda em seus primeiros dias de vida com Fenilcetonúria, uma das sete doenças só possíveis de serem identificadas por meio do Teste. Após o diagnóstico, o tratamento de Heloísa foi rápido e imediato, o que auxiliou em seu desenvolvimento ao longo dos anos e a fez ter uma vida sem sequelas, já que crianças com esse tipo de doença se não forem tratadas de forma adequada, podem desenvolver deficiência intelectual permanente. “Se não fosse pelo Teste, eu poderia ter tido retardo mental e vários outros comprometimentos de saúde. Que cada vez mais as pessoas tenham consciência da importância desse exame e do trabalho desenvolvido pela Apae de Brusque”, ressalta a jovem.
A história de Heloísa se confunde com a de muitas crianças que diariamente são atendidas pela Clínica UniDuniTê, que é uma das três unidades que integra a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque – junto ao Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI).
E para dar continuidade aos atendimentos da comunidade de forma gratuita, através da prestação de seus serviços, a Apae de Brusque recentemente retomou um importante projeto de doações feito em parceria com a Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc).

Contribuição existe há 19 anos
A campanha, que existe desde 1997, é um convênio entre a Apae de Brusque e a Celesc, e prevê que o titular da conta de energia elétrica disponibilize uma quantia mensal que, descontada da fatura, é destinada para a Apae.
Assim, com o objetivo de atualizar os cadastros de quem já colabora com essas doações para a Apae de Brusque e, para conseguir novos contribuintes, desde a segunda quinzena do mês de maio a associação retomou as atividades em prol da campanha. “Estamos entrando em contato com as pessoas que já contribuem, através de telefone e revendo os valores das doações, para serem atualizados. A Apae é de todos e presta serviço para todos, desta forma, a preocupação da diretoria é manter esses serviços e não existe outro milagre que não seja a busca de recursos. Por isso contamos com a colaboração da comunidade novamente neste projeto”, esclarece o vice-presidente da Apae de Brusque, Márcio Belli.

Fase inicial
A primeira etapa do programa consiste em atualizar os dados dos contribuintes já cadastrados. Para isso a entidade está com uma equipe responsável pelo trabalho, que está atuando em um espaço na rua Azambuja, voltado exclusivamente para os contatos telefônicos de quem já colabora com a campanha. “Há pessoas que contribuem desde 1997 com o valor de R$ 1. Então verificamos a possibilidade de ajustar para, pelo menos, R$ 10 mensais. É apenas uma sugestão, onde o contribuinte pode avaliar suas condições e verificar com qual valor pode contribuir”, esclarece a coordenadora de captação de Recursos da Apae de Brusque, Rosecler Ceratti.
Havendo sinal positivo do titular da conta de energia elétrica para o reajuste, a equipe da Apae agenda um horário em que o mesmo esteja em sua residência para que seja feita a assinatura da autorização do procedimento. “É importante ressaltar para que as pessoas fiquem atentas, pois é em um horário combinado, com pessoas autorizadas para isso. Em momento algum haverá repasse ou contato de valores em espécie. É apenas a assinatura para autorização do documento que será encaminhado para a Celesc, para a alteração do valor do contribuinte”, reforça Rosecler.
Com a autorização do titular da conta, o valor é descontado mensalmente na fatura da energia e a Celesc realiza o repasse para a Apae de Brusque.

Segunda etapa
Após a conclusão da primeira fase de ligações às pessoas que já contribuem, a equipe do projeto irá iniciar visitas em residências nos bairros de Brusque para adesão de novos contribuintes. As visitas serão feitas por profissionais registrados e identificados com crachás e uniformes, que irão apresentar tanto o projeto em parceria da Apae com a Celesc, bem como falar sobre o trabalho que é desenvolvido pela entidade.
“Hoje várias Apaes no Estado têm esse serviço, mas temos a certeza de que a nossa Apae foi a primeira a ter essa campanha, em 1997. E é somente através de doações que conseguimos ter e manter bons profissionais aqui, que atendam nossos alunos com qualidade. Para isso, precisamos buscar recursos que irão manter nossa equipe técnica, professores e funcionários para que a entidade continue prestando um bom serviço. Este projeto em parceria com a Celesc é uma das formas que encontramos de conseguir esses recursos, por isso contamos com a colaboração da comunidade de Brusque e também estamos de portas abertas para receber todos que queiram conhecer o trabalho realizado pela nossa instituição”, completa o vice-presidente da Apae.

Saiba mais
Para mais informações sobre o projeto e doações: (47) 3351-2527 ou (47) 9946-0341 (TIM), das 8h às 12h e das 13h às 18h.

A Apae
Fundada em 14 de setembro de 1955, a entidade foi a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda do país. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz (in memorium), que hoje ainda é um dos alunos da instituição, com mais 270 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação.
Leia +06/06/2016

Dia 6 de junho: Dia Nacional do Teste do Pezinho


Todos os dias, dezenas de pais de recém-nascidos se dirigem até a Clínica UniDuniTê, unidade de serviço da APAE de Brusque, localizada no bairro Jardim Maluche, para uma importante missão: colher algumas gotinhas de sangue e realizar um dos mais importantes exames preventivos feitos entre o terceiro e quinto dia de vida: a Triagem Neonatal, popularmente conhecida como Teste do Pezinho.
O exame faz a investigação de doenças que são assintomáticas, ou seja, que se não forem identificadas por esse tipo de coleta, nem sempre tem manifestações clínicas. “Por isso a importância desta coleta, que investiga doenças genéticas, metabólicas e infecciosas e que se não forem diagnosticadas nos primeiros dias de vida, podem gerar deficiência intelectual, física e até o óbito se não forem tratadas adequadamente”, esclarece a coordenadora da UniDuniTê, Valdete Battisti Archer.
Em Santa Catarina o teste do pezinho é obrigatório desde 20 de maio de 1986 ( Lei nº 6.762) e no território nacional em 13 de julho de 1990 (Lei nº 8069). No final de 1991 e início de 1992 o Teste do Pezinho foi incorporado ao SUS quando se iniciou o processo de coletas na Uni Duni Tê.
No ano de 2001, o Governo Federal criou o Programa Nacional de Triagem Neonatal, que culminou com a Portaria GM/MS Nº 822, de 6 de junho de 2001, com ações em todo território nacional voltadas a ampliação das patologias investigadas, busca ativa dos casos suspeitos, confirmação diagnóstica com tratamento e acompanhamento multidisciplinar especializado.
Por isso, a data de 6 de junho, foi escolhida como o Dia Nacional do Teste do Pezinho.

Quase 100%
Em Brusque o teste é oferecido pela Clínica UniDuniTê, que faz a coleta e que atua em parceria com os três hospitais da cidade, Secretarias Municipais de Saúde e equipes de Estratégia de Saúde da Família, que auxiliam na busca ativa para garantir que todos os bebês, que nascem na cidade e residem em Guabiruba, Botuverá e Brusque tenham realizado o exame.
Atualmente, a UniDuniTê, atinge uma média de 170 testes ao mês. Em 2015 foram 1.952 exames realizados atingindo 95% das crianças nascidas e residentes nos três municípios citados. Outro teste oferecido pela UniDuniTê, junto com o do Pezinho é o Teste da Orelhinha, uma triagem preventiva cujo objetivo é identificar alterações auditivas.

Acompanhamento do Desenvolvimento Infantil
Mas, não só exames preventivos são realizados na Clínica. A unidade, que celebra seus 25 anos de existência em setembro deste ano, oferece às famílias o suporte necessário de acompanhamento e intervenção no desenvolvimento de suas crianças nos primeiros cinco anos de vida. “Nesta fase é onde as crianças têm as mais importantes aquisições do desenvolvimento. Atrasos detectados nesse período garantem que os estímulos adequados possam ser oferecidos e, com isso, a criança passa minimizar ou extinguir esses atrasos, e evita que no período escolar ela possa ter dificuldades maiores”, esclarece a coordenadora.
Aos 19 anos, a jovem Kolin Benvenutti foi uma das crianças que recebeu atendimento multidisciplinar na UniDuniTê, e hoje realiza as mais variadas atividades diárias. Por conta de febres e convulsões, aos três meses de idade Kolin teve a sua coordenação motora comprometida e após o diagnóstico do médico foi encaminhada para a UniDuniTê. Durante seus cinco primeiros anos de vida a jovem recebeu todo o suporte e atendimento na clínica, que contribuiu para o seu desenvolvimento, convivência social e independência física. “Sem o atendimento da UniDuniTê, minha vida seria outra hoje. Deficiência é algo muito amplo, e para quem nunca conviveu com um deficiente, não é algo fácil. E a clínica, foi responsável por dar todo o suporte e orientação, tanto para minha família, como para mim, onde pude conhecer os meus limites e possibilidades”, comenta a jovem, que atualmente mora em São João Batista, trabalha como sapateira e está estudando para prestar vestibular nos cursos de Sistemas de Informação, Psicologia e Ciência da Computação.

Multidisciplinar
Atualmente, a clínica conta com uma equipe de 22 colaboradores, entre pedagogas, neurologista, fonoaudiólogas, fisioterapeuta, enfermeira, psicóloga, professoras, entre outros profissionais, que realizam o trabalho de atendimento às famílias de forma gratuita e integral, isso muitas vezes permite que o desenvolvimento tenha aquisições mais rápidas pelo trabalho multidisciplinar oferecido.
Outro aspecto ressaltado pela coordenadora é a prioridade dada às famílias, em todas as áreas de atuação da UniDuniTê. “É importante acolher essa família, ouvir suas necessidades, tirar suas dúvidas. Além disso, buscamos sempre a participação dos pais em todos os trabalhos já que eles são os principais estimuladores. Esse é o nosso papel: estar aqui e ajudar a família nesta caminhada da educação e do desenvolvimento dos seus filhos. E sabemos que ao longo desses 25 anos, a UniDuniTê é a garantia que a comunidade de Brusque, Guabiruba e Botuverá tem de um local que possa intervir no desenvolvimento das crianças, diferentes de outras cidades que não têm esse espaço”, complementa Valdete.

Saiba mais
Sobre o Teste do Pezinho, a indicação é que os pais ou responsáveis possam realizar o exame entre o terceiro e quinto dia de vida do bebê. São investigadas pelo Teste do Pezinho as seguintes doenças: Fenilcetonúria, Fibrose Cística, Hipotireoidismo Congênito, Hiperplasia Adrenal Congênita, Galactosemia, Deficiência de Biotinidase, Hemoglobinopatias e Anemia Falciforme.
O Teste é realizado pela UniDuniTê, de segunda a quinta-feira, das 13h às 16h, com atendimento por ordem de chegada.
Leia +06/06/2016

Alunos da Apae de Brusque garantem medalhas no 12º Parajasc

Brusque encerrou a participação na competição em 2º lugar geral para deficiente intelectual (DI)

A delegação de Brusque encerrou mais uma participação nos Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc), em sua 12ª edição, em São Miguel Do Oeste. Ao todo, 60 atletas brusquenses fizeram bonito em mais uma edição da competição, que encerrou no dia 29 de maio e contou com a participação de 16 alunos da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae de Brusque).

Os alunos da Apae participaram das modalidades de Atletismo, Basquetebol, Bocha (deficiente físico), Natação e Tênis de Mesa, e ajudaram o município a encerrar a competição em 2º lugar geral DI, somando ao todo 34 pontos, ficando a frente de Joinville, atrás apenas de Itajaí.

O superintendente da Fundação Municipal de Esportes, Delmar Tondolo, destacou a importância dos jogos para os participantes.”Nosso principal foco é a inclusão social, proporcionar qualidade de vida, as medalhas são secundárias,” disse.


(Informações complementares: João Paulo da Silva/SECOM – Prefeitura de Brusque)
Leia +05/06/2016

Apae de Brusque solicita voluntários para atuar no Pedágio da entidade

A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque realiza no dia 11 de junho mais uma edição do Pedágio da entidade. O evento acontece das 7h30 às 13h em 13 diferentes pontos do município e, para a realização do mesmo, a Apae de Brusque solicita a participação de voluntários.
Para participar basta ter acima de 18 anos. Interessados devem entrar em contato com a entidade através do telefone: (47) 3351-2482 ou então no item ‘Como contribuir’, no site da entidade: www.apaebrusque.org.br

Você conhece todo o trabalho desenvolvido pela Apae Brusque?
Fundada em 14 de setembro de 1955, é a primeira Apae formada em Santa Catarina e a segunda constituída no Brasil. Seu início foi marcado pelo nascimento de Pierre Moritz, filho de Ruth e Carlos Moritz. Este ano a entidade completa 61 anos, e Pierre ainda é um dos seus alunos com mais 270 estudantes. Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. É o caso da Clínica UniDuniTê, que realiza o Teste do Pezinho e o Teste da Orelhinha para crianças nascidas em Brusque, Guabiruba e Botuverá. Também possui atendimento especializado na prevenção de deficiências, através da estimulação precoce, com a média de dois mil atendimentos por ano.
No Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês, 60 jovens são atendidos nas oficinas protegidas, como tapeçaria, papel reciclado, iniciação para o mercado de trabalho e pré-qualificação profissional. Outra atuação se destina aos jovens com deficiência mental a partir dos 14 anos, com o objetivo de implantar e implementar as políticas de inclusão.
Por fim, há o Centro de Convivência Ruth de Sá, destinado aos usuários em fase de envelhecimento. No local são praticadas atividades ocupacionais e de lazer, que estimulam a qualidade de vida.
Leia +11/05/2016

Administrador do Hospital Azambuja visita Apae de Brusque

Na última semana o administrador do Hospital Azambuja, Fabiano Amorim esteve na Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. A visita a entidade foi acompanhada pelo presidente Sebastião Ernani Póia, pelo vice-presidente, Márcio Belli, e pela diretora Sandra Helena Almeida.
Na oportunidade Amorim conheceu os trabalhos realizados nas três unidades que integram a Apae de Brusque – Centro de Prevenção e Desenvolvimento Infantil UniDuniTê, Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês, e Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecon). Além disso, durante o encontro foram discutidas possíveis parcerias entre as entidades, na área da saúde.
Leia +09/05/2016

Parceria entre APAE e Centro Acadêmico Cristiano Pinheiro promovem tarde da beleza aos usuários (as) do CECON

Cabelos bem cortados, unhas feitas e pose para foto com a maquiagem elegante no rosto. Foi assim que os (as) usuários (as) do Centro de Convivência Ruth de Sá (CECON) terminaram o dia de atividades nesta quarta-feira, 27 de abril, data em que foi promovida a tarde da beleza. A parceria entre a APAE e o Centro Acadêmico Cristiano Pinheiro surgiu através do contato de duas professoras da instituição (Luci Ellen Scalvin e Caroline Pereira) com um profissional da área comercial da escola profissionalizante (Luciano Santos). Após algumas conversas, surgiu o projeto que se concretizou na ação voluntária que levou seis profissionais e alunos (as) do Centro de Formação Cristiano Pinheiro ao CECON, responsáveis por fazer esmaltação e cortes masculinos e femininos nas alunas e alunos durante a tarde. Já a parte de maquiagem ficou por conta da profissional da Mary Kay, Lizandra Oliveira.
“Foi uma tarde maravilhosa, é gratificante proporcionar esses momentos de interação, socialização, de lazer e bem-estar, que faz toda diferença na vida dos usuários (as). Autoestima é tudo para uma pessoa. Ela estar com a autoestima elevada vai conseguir lidar bem com o cotidiano, com a sua deficiência, com o preconceito que a sociedade ainda tem. E queremos quebrar todo esse tabu que está enraizado na sociedade e mostrar que eles (as) são pessoas, que são bonitos e bonitas e têm possibilidade de viver como nós”, comenta a orientadora pedagógica do CECON, Elisa Grasielle Basílio Pineda.
Um dos objetivos do Centro de Convivência é ampliar essa autoestima, o bem-estar e a questão dos auto-cuidados, segundo Elisa. “Eles (as) ficam muito felizes com a ideia de estarem com a aparência renovada, a questão da imagem é muito importante para eles (as). Foi um momento de interação e lazer, de olhar para eles (as) e admirá-los”, acrescenta.
Participaram da atividade cerca de 55 alunos. A tarde da beleza contou com a animação do MC Paulista, voluntário e grande parceiro do CECON. ”Uma das propostas do Centro Acadêmico Cristiano Pinheiro como escola é essa parte social também, é fazer o bem. Esta é a primeira parceria com a Apae e a ideia é dar continuidade, atender mais alunos da instituição. Foi muito válido estar aqui, foi uma tarde bem prazerosa para todos. A partir do momento que você vê o sorriso de um aluno de inclusão, melhora a nossa vida também. O pouquinho de diferença que você fez na vida dos alunos para melhor, é muito na sua vida”, complementa o comercial do Centro Acadêmico, Luciano Santos.
Leia +05/05/2016

Bingo do Clube de Mães da Apae acontece na próxima terça-feira, 10 /05

Na próxima terça-feira, 10 de maio, a partir das 14h, será realizada mais uma edição do tradicional Café com Bingo do Clube de Mães da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque. Desta vez o evento será especial, alusivo ao Dia das Mães, celebrado no domingo, 8 de maio.
O valor é de R$ 13 por pessoa, e dá direito ao café e a duas cartelas de Bingo, que podem ser adquiridas no local do evento. Interessados em participar podem levar brindes para o sorteio.

Mais informações, na Apae de Brusque: (47) 3351-2482. A Apae de Brusque fica na rua Hugo Schlosser, 360, bairro Jardim Maluche.
Leia +05/05/2016

Dona Lourdes, diretora Social da Apae de Brusque recebe Comenda da Câmara de Vereadores de Brusque

Na noite desta quinta-feira, 28 de abril, a diretora social da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, Maria de Lourdes Schulenburg, foi homenageada na Câmara de Vereadores de Brusque, durante sessão especial, onde recebeu a Comenda do Trabalho Voluntário, em reconhecimento às ações altruístas de apoio à Apae de Brusque nos últimos anos. A indicação da homenagem foi feita pelo vereador Guilherme Marchewsky.
Dona Maria de Lourdes Schulenburg, conhecida pela família apaeana como ‘dona Lourdes’, é uma figura que os brusquenses imediatamente associam às atividades voluntárias. Ao homenageá-la, a Câmara Municipal também reuniu reconhecimento a tantos anônimos que se pregam silenciosamente ao exercício da caridade e da benevolência às pessoas menos prestigiadas. Sem compromisso ou obrigação formal, dona Lourdes sempre ouviu apenas a voz do seu coração na hora de decidir quando agir e seus sentimentos nobres e cristãos impulsionam o exercício do amor ao próximo, fazendo acontecer o sorriso nos lábios de pessoas especiais e excepcionais.

Para o presidente da Apae de Brusque, Ernani Póia, a história de dona Lourdes se confunde com a história da entidade e nada mais justo do que o reconhecimento feito pelo Legislativo. “Desde 1982 ela foi integradora da instituição e mesmo após a sua aposentadoria, em 2000 ela continuou se dedicando de corpo e alma para a Apae. Foram várias funções na instituição, vários cargos na diretoria, onde inclusive foi duas vezes presidente, e atualmente está à frente do Clube de Mães. Só temos a agradecer por ela ser essa pessoa fantástica e por sempre se preocupar com os alunos da nossa Apae”, comentou Póia.

Além disso, o vereador Edson Rubem Müller (PP), o Pipoca, representou todos os parlamentares do Legislativo brusquense ao ler textos sobre a trajetória profissional de cada cidadão e empresa condecorada, enaltecendo ora aspectos da carreira de cada um, ora traços de sua personalidade. “Tratam-se de empresas consagradas que cumprem, há anos, significativo e relevante papel social no município, e de pessoas bastante envolvidas e entrosadas em nosso ambiente social”, salientou Pipoca. “A lição e a reflexão que promovo é que as iniciativas privadas, a ação profissional e o altruísmo de pessoas muito contribuem para que o Estado possa cumprir suas obrigações inerentes”.

Ao final do evento, muito emocionada, dona Lourdes agradeceu o carinho e foi abraçada por diversos alunos da entidade, professores, colaboradores e integrantes do Clube de Mães e da Diretoria da Apae, além de familiares e amigos que marcaram presença no evento. “Esse trabalho é o que faz a gente viver, faz a gente estar feliz em prol de alguma coisa. Valeu muito a pena ter feito tudo o que fiz e espero ter saúde para continuar. Com certeza o maior presente é ter o carinho desses alunos todos os dias, que são muito mais que especiais”, declarou.


Leia +02/05/2016

Oportunidade de Emprego

A APAE está selecionando candidatos para atuar na Clínica Uni Duni Tê, cujos critérios são os seguintes:
• Formação e experiência em Enfermagem, preferencialmente com público infantil;
• Conhecimentos em fatores de risco no período pré, peri, pós natal e suas implicações no desenvolvimento infantil;
• Ter atuado na saúde pública e coletiva;
Possuir cursos voltados ao acolhimento das famílias dos atendidos e preferencialmente experiência neste quesito;
• Conhecimentos sobre teste da orelhinha e do pezinho;
• Acompanhamento do desenvolvimento infantil, síndromes e problemas genéticos;
• Ter interesse por pesquisa para participar no desenvolvimento de ações que venham a contribuir com a evolução dos serviços prestados.
Carga horária: 30 horas semanais
Enviar currículo para: centrodeprevencao.coordenacao@apaebrusque.org.br até o dia 05 de maio de 2016.
Leia +27/04/2016

Apae de Brusque informa sobre mudanças nos procedimentos de diagnósticos do Teste do Pezinho

Há 25 anos serviço de coleta é realizado pela Unidunitê, entretanto o diagnóstico dos exames que era feito no estado passou a ser feito em São Paulo

A diretoria da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque, bem como as equipes de profissionais que atuam na Clínica de Terapia Integrada Unidunitê, passaram a adotar novas medidas para a realização do exame do Teste do Pezinho. A entidade, que há 25 anos realiza o teste de forma gratuita para a população de Brusque e região passou a enviar as coletas dos exames para o Laboratório da Apae de São Paulo. A medida precisou ser tomada devido à demora no recebimento dos resultados dos exames que há 24 anos eram realizados, de forma gratuita, pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen/SC).
Em torno de 500 testes que foram feitos pela clínica, desde o mês de dezembro, ainda estão em aguardo de alguns resultados. Desses, algumas doenças já foram diagnosticadas e as crianças receberam os devidos encaminhamentos, entretanto alguns testes ainda estão pendentes no Lacen e não foram liberados. “Como são verificadas sete doenças, todas elas precisam ser investigadas. Ou seja, mesmo se duas ou três já têm o resultado, ele não é liberado pela falta das outras”, comenta a coordenadora da Unidunitê, Valdete Batisti Archer.

Alternativas
Em torno de 170 exames são feitos por mês na Clínica Unidunitê e, ao ter conhecimento da situação, a Apae de Brusque buscou alternativas para a realização dos testes para oferecer à população de Brusque e região. Assim, a entidade realizou uma parceria com o Laboratório da Apae de São Paulo, que desde o último dia 18 de março está recebendo as coletas dos exames de Teste do Pezinho, feitas na Unidunitê, e encaminhadas para análise. Com isso, o exame passou a ter o custo, de R$ 50, para que o exame seja feito e enviado ao laboratório no estado paulista. “Queremos reforçar que a coleta que é feita há 25 anos pela Unidunitê continua sendo gratuita. Esse valor cobrado agora é apenas para cobrir as despesas do laboratório e envio desses testes, ou seja, esse valor não é destinado para a Apae, mas sim para os custeios desses exames. E essa foi a alternativa que encontramos para que os testes sejam feitos dentro do prazo recomendado”, ressalta o vice-presidente da Apae de Brusque, Márcio Belli.
O Teste do Pezinho investiga doenças infecciosas, metabólicas e genéticas que se não forem tratadas no período correto, com o diagnóstico já nos primeiros dias de vida, pode levar à morte. “A preocupação da Apae não é apenas coletar os materiais e enviá-los aos laboratórios para ter um retorno, mas sim termos os resultados no tempo certo para podermos dar os encaminhamentos necessários e continuidade no atendimento a essas crianças, já que esse é um dos objetivos da Unidunitê”, reforça o vice-presidente.
De acordo com a entidade, a informação passada pelo Lacen é de que a unidade de análise estadual está com a falta de insumos necessários para processar os exames. Assim, os testes enviados pelas unidades de coletas, de todo o estado, não apenas pela Unidunitê, ficaram acumulados no laboratório central. “Esperamos que isso em breve se normalize, que possamos tanto receber os resultados dos exames ainda pendentes e que o atendimento também seja retomado como era antes. Assim não teremos mais a necessidade de enviarmos as amostras para São Paulo e com custo. Sempre tivemos uma parceria muito boa com o Lacen em todos esses anos e infelizmente essa foi a primeira vez que isso ocorreu. Entretanto, nós da Apae de Brusque, através da Unidunitê não vamos deixar a população de Brusque e região sem atendimento, por isso oferecemos hoje essa outra opção”, completa o vice-presidente.

Saiba mais
A coleta de algumas gotinhas de sangue no calcanhar do bebê, logo após o nascimento, é utilizada para realizar exames que podem diagnosticar várias doenças que, se não tratadas o mais rápido possível, podem causar deficiência mental, física, ou levar até a óbito. Assim, com o exame, é possível diagnosticar se a criança possui alguma alteração em seu desenvolvimento, já nos primeiros dias de vida. “Em Santa Catarina, o Teste o Pezinho é um dos mais avançados do país, e investiga sete doenças que através de exames fiscos, por exemplo, não são diagnosticados. Por isso a importância deste teste. Além disso, a Unidunitê também realiza o Teste da Orelinha, geralmente feito no mesmo dia e de forma gratuita”, acrescenta a coordenadora da clínica.
A indicação é que os pais ou responsáveis possam realizar o exame entre o terceiro e quinto dia de vida do bebê. O teste é obrigatório, para todos os recém-nascidos previsto pela Lei Federal nº 8069, de 13 de julho de 1990, e pela Portaria GM/MS nº 822, de 6 de junho de 2001.
São investigadas pelo Teste do Pezinho as seguintes doenças: Fenilcetonúria, Fibrose Cística, Hipotireoidismo Congênito, Hiperplasia Adrenal Congênita, Galactosemia, Deficiência de Biotinidase, Hemoglobinopatias e Anemia Falciforme.

Mais informações e orientações sobre o Testo do Pezinho: (47) 3351-2482.

Leia +28/03/2016

Um cromossomo especial

Conheça um pouco do trabalho desenvolvido pela Apae de Brusque no apoio às famílias e às pessoas com a Síndrome de Down neste dia 21 de março

O dia 21 de março é comemorado o Dia Internacional da Síndrome de Down e em todo o mundo diversas ações são realizadas tanto em prol dos que possuem a síndrome como também para que a sociedade reconheça e entenda melhor as características das pessoas que nascerem com a alteração genética no cromossomo 21. No Brasil, estima-se que haja mais de 270 mil pessoas com a Síndrome de Down e que um a cada 800 bebês possam nascer com a mesma.
Em Brusque, uma das entidades que presta serviços de apoio, orientação e estimulação aos que possuem a síndrome é a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. Em todas as três unidades que integram a instituição são desenvolvidos trabalhos que atendem as necessidades de cada um dos indivíduos que são diagnosticados com Down, bem como às suas famílias. Com uma equipe multidisciplinar, a entidade oferece atendimento de forma sistemática ou eventual, o que contribui para o ingresso dos indivíduos tanto no ensino regular até o mercado de trabalho.

Atendimento especial
A coordenadora pedagógica do Centro de Prevenção e Desenvolvimento Infantil UniDuniTê, Valdete Battisti Archer explica que o atendimento da unidade inicia nos primeiros dias de vida dos bebês, quando são feitos os testes do Pezinho e da Orelhinha e quando a criança é diagnosticada pelos médicos e encaminhada a um geneticista. “Auxiliamos a família já neste período, em um trabalho paralelo. Uma das principais características da pessoa que tem essa síndrome também é a hipotonia, que é a moleza e flacidez no corpo, e que gera um atraso no desenvolvimento da criança. Por isso é importante que à medida que o bebê vai crescendo, ele tenha estimulações adequadas e acompanhamento já nos primeiros meses de vida”, comenta.
Algumas crianças diagnosticadas com a síndrome podem desenvolver patologias, como problemas cardiorrespiratórios, e que precisam ser acompanhadas por especialistas, que sempre serão indicados pelos médicos e pela equipe multidisciplinar da entidade.

Adultos e o mercado de trabalho
O acompanhamento das crianças na Apae de Brusque é feito ao longo de todo o desenvolvimento, inclusive no contra-turno escolar quando as crianças passam a frequentar o ensino regular. Já no período da adolescência muitos se interessam também pelo mercado de trabalho, e este é outro trabalho desenvolvido pela entidade, tanto no preparo dos jovens com Down, como também no suporte às famílias e as empresas que irão recebê-los. Assim, o Centro Educacional e Profissionalizante oferece este serviço através dos programas de Iniciação, Qualificação, Colocação e Monitoramento para o Mundo do Trabalho, bem como oferta o Emprego do Apoiado. “O importante é eles se sentirem cidadãos valorizados, que produzem algo e que sejam reconhecidos por isso. E esta experiência é muito positiva, desde o estímulo às atividades e à independência deles, até a interação social”, completa a orientadora pedagógica da Unidunitê e do Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês, Anelyn Pinheiro.

Qualidade de vida e envelhecimento
Outra importante fase da vida que exige atenção e precisa ser valorizada é o envelhecimento de quem tem Síndrome de Down. Atualmente, em torno de cinco pessoas nessa faixa etária frequentam o Centro de Convivência Ruth de Sá (Cecon), que busca investigar e conhecer as especificidades deste período. Na unidade, são desenvolvidos trabalhos terapêuticos, manuais e de interação, para manter esta fase de forma digna, na busca de funcionalidades, bem como qualidade de vida, independência, e acesso a ambientes comuns. “Apesar de pouco se conhecer ainda sobre o processo de envelhecimento da pessoa com Down, esta faixa etária ainda precisa de políticas públicas que atendam às suas necessidades. E o nosso objetivo enquanto instituição é incluir essas pessoas. Aqui oferecemos um suporte, para suprir essas características pessoais, a questão das condições físicas e de saúde, e principalmente vivenciar situações com as outras pessoas, para que elas tenham uma vida comum, que possam estudar, trabalhar, ter um relacionamento afetivo, ter o apoio da família, enfim, uma vida digna e normal”, acrescenta a orientadora pedagógica do Cecon, Elisa Grasielle Basilio Pineda.
Por fim, a diretora da Apae de Brusque, Sandra Helena Almeida, ressalta que a sociedade já evoluiu quanto à valorização das pessoas com Síndrome de Down, entretanto, muito ainda precisa ser feito. “Por mais que tenhamos tantos avanços na ciência, ainda existe uma preocupação dos pais em relação aos filhos com Down, e a própria sociedade tem uma ideia equivocada da capacidade dessas pessoas, que muitas vezes não têm uma deficiência intelectual. Ou seja: elas possuem capacidades como qualquer outra mas, pela síndrome, acabam sendo estigmatizadas. A Apae e outras instituições oferecem todo o suporte a essas e outras pessoas especiais em todas as fases da vida e o que esperamos é que a sociedade reconheça e valorize cada vez mais isso”, acrescenta Sandra.

“Ela é a alegria da nossa casa”
A pequena e alegre Laís Mazzolli, de 8 anos, é uma das crianças com Síndrome de Down atendidas pela Apae de Brusque. A menina desde os três meses de idade começou a frequentar a Unidunitê para a estimulação, o que a auxiliou em seu desenvolvimento e no ingresso ao ensino regular. Atualmente, ela frequenta o ensino fundamental da EEB João Hassmann e duas vezes por semana recebe o suporte da Apae de Brusque. A mãe de Laís, Marilu Mazzolli conta que o diagnóstico da filha veio após o seu nascimento e que desde então a família se dedica ao máximo para que ela possa se desenvolver cada vez mais, de forma saudável. “Receber a notícia é sempre um choque. Mas depois a gente supera, aprende como lidar, quais as necessidades deles. Hoje, vivemos em função dela, fazemos sempre os exames de saúde necessários e estamos sempre atentos, em especial quanto à bronquite, por ela ser mais frágil. Com certeza é uma luta para conseguir oferecer tudo o que ela precisa, mas com certeza vale a pena, já que ela é a alegria da nossa casa. O amor é incondicional e sempre vamos buscar fazer de tudo para que ela tenha a vida dela, a independência dela”, ressalta a mãe orgulhosa. Laís hoje tem diversos amigos e uma ótima relação na unidade de ensino que frequenta, bem como na convivência com a família e com o irmão, Luã Hingest. A mãe espera que em breve ela possa fazer outras atividades, como natação, e tantas outras comuns do dia a dia.
Leia +21/03/2016

Apae de Brusque recebe doações da empresa Sancris para o projeto ‘Eu Ajudo na Lata’

Diversos alunos da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque participaram na tarde de segunda-feira, 14 de março, da entrega de centenas de lacres de latinhas de alumínio doadas pela empresa Sancris para o projeto ‘Eu Ajudo na Lata’. A entrega ocorreu na unidade do bairro Steffen da empresa e contou com a presença de colaboradores e da assistente social da Unimed Brusque, Camile Rebeca Bruns.
Ao todo foram doadas 37 garrafas PET cheias de lacres, que começaram a ser arrecadadas em novembro de 2015 pela empresa através da Semana de Prevenção de Acidentes de Trabalho (Sipat), que promoveu uma disputa entre os colaboradores do primeiro e do segundo turno.

Disputa Solidária
De acordo com a supervisora em Segurança do Trabalho da Sancris, Rosane Terezinha Hining a competição entre as equipes teve como objetivo instigar a união dos colaboradores bem como a participação em um projeto social. “Queríamos mostrar que a Sipat se preocupa com outras questões além da segurança dos nossos trabalhadores, por isso lançamos o Desafio Solidário para a arrecadação desses lacres. E foi muito gratificante vermos todos eles unidos e empenhados. Com certeza vamos continuar com esse projeto que contribui para a acessibilidade e a qualidade de vida de outras pessoas”, comentou.

Em torno de 250 colaboradores que atuam na unidade de produção de Zíperes participaram da campanha, que a partir de agora também deve ser ampliada para outras unidades da Sancris. “Agradecemos a todos vocês por essa parceria que irá com certeza contribuir para a melhora na qualidade de vida de quem necessita de uma cadeira adaptada, seja ele da Apae de Brusque ou de outra entidade”, comentou a secretária Executiva da Apae de Brusque, Milani Zunino.

Para a assistente social da Unimed Brusque, os lacres doados pela empresa Sancris irão contribuir de forma significativa para o projeto. “Ficamos muito felizes que em pouco tempo foram arrecadadas grandes quantidades de lacres e isso mostra a força que o projeto tem, que com o apoio de entidades e empresas pode ter continuidade e contemplar um número maior ainda de pessoas. Em nome da Unimed Brusque e da ACIBr, só temos a agradecer pela colaboração dessas empresas”, completou Camile.

Ao final da entrega dos lacres foi anunciado que o primeiro turno da empresa foi o vencedor da Disputa Solidária, com a diferença de apenas uma garrafa PET de lacres a mais.

Eu Ajudo na Lata
O projeto social ‘Eu ajudo na lata’ é uma ação da Unimed que, desde 2014, conta com a parceria da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr). O objetivo é incentivar a doação de lacres de latas de alumínio, com vendas revertidas para a compra de cadeiras de rodas adaptadas. No ano passado, o projeto ganhou novos apoiadores e além da Apae de Brusque e Guabiruba, também fazem parte da iniciativa a Rede Feminina de Combate ao Câncer, Câmara de Dirigentes Lojistas, Rotary, Lions Berço da Fiação de Brusque e Unifebe. Algumas unidades de ensino do município e particulares também passaram a inserir como tarefa de suas gincanas a arrecadação de lacres de latinhas de refrigerante, colaborando também para o volume do material. Em dois anos de projeto, três pessoas já foram contempladas com a entrega de cadeiras de rodas adaptadas, sendo duas delas alunos da Apae de Brusque. Para os próximos meses mais uma pessoa deverá ser beneficiada com o projeto. Empresas e entidades que tenham interesse em participar do ‘Eu ajudo na lata’ podem entrar em contato com a Unimed Brusque: (47) 3351-2499 ou na ACIBr: (47) 3351-1339.
Leia +17/03/2016

Apae de Brusque realizará a 2ª etapa do Bazar Solidário

Nos dias 8, 9 e 10 de Abril de 2016, a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque realiza a segunda etapa do Bazar Solidário, com produtos apreendidos pela Receita Federal.
O evento acontece nas dependências da instituição, das 8h às 17h. Para participar é necessário retirar as senhas, que serão distribuídas a partir das 7h em todos os três dias do evento.

As regras são as mesmas das edições anteriores, com limite de compras fixado em R$ 700. Caso o produto adquirido ultrapasse o valor, apenas esta unidade poderá ser comprada. É indispensável a apresentação de RG e CPF para os interessados em adquirir os produtos. Já a forma de pagamento será em dinheiro, cartão de crédito ou débito à vista. Cheques não serão aceitos.

Serão disponibilizados para aquisição diversos tipos de produtos como brinquedos, peças do vestuário, equipamentos de pesca, eletrônicos, material escolar, relógios de pulso, perfumes e cosméticos e produtos de bazar. Todas as compras são acompanhadas por monitores, instruídos para explicar as especificidades de cada produto, com ênfase nos eletrônicos. Cada visita ao local terá a duração máxima de 30 minutos e não será permitida a entrada de acompanhantes. Não há garantia para os produtos adquiridos e não serão aceitas trocas ou devoluções. Mais informações: (47) 3351-2482.
Leia +07/03/2016

“Eu ajudo na lata” faz a entrega da terceira cadeira de rodas adaptada

Daiane Cardoso Ribeiro, 17 anos, portadora de paralisia cerebral, é beneficiada pelo projeto

É sobre uma cadeira branca e de plástico, forrada com um cobertor cor-de-rosa, que Daiane Cardoso Ribeiro, 17 anos, passa a maior parte dos seus dias. Com paralisia cerebral, ela também se reveza entre a cama e sofá da sala, já que a família, residente há um ano do bairro Águas Claras, não tem cadeira de roda simples e, tampouco, uma adaptada às suas necessidades especiais.
Daiane é a primeira filha de Rosangela Cardoso, 32 anos. Nasceu no município de Cantagalo, interior do Paraná. A gestação da menina, segundo a mãe, foi bastante tranquila, com a realização de exames necessários e resultados normais. “Mas ela passou da hora de nascer, engoliu água do parto e eu só fui descobrir isso seis meses depois. No hospital, ninguém me falou nada. Tinha apenas 14 anos, não sabia como um bebê se comportava. Minha mãe foi quem começou a desconfiar de algum problema no desenvolvimento e procuramos ajuda. O médico então confirmou a paralisia cerebral”, conta a mãe.
Rosangela garante que não se abalou muito com a notícia, talvez até pela falta de maturidade que tinha na época. Encaminhou a filha para sessões de fisioterapia em Guarapuava (PR) e Daiane também passou a receber os cuidados na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) daquela região.
Três anos depois nasceu o segundo filho, Denilson, seguido por mais dois: Danilson e Dgenile. Em busca de melhores condições de vida, Rosangela e os filhos se mudaram para Santa Catarina há sete anos e, por um bom tempo, moraram no bairro Limoeiro, no trecho pertencente ao município de Itajaí. No entanto, sem condições de pagar pelo transporte de Daiane até a Apae, eles decidiram fixar residência em Brusque e, há um ano, financiaram uma casa no bairro Águas Claras, onde também mora o companheiro de Rosangela, padrasto de Daiane, Elizeu.
“Hoje, a nossa renda se restringe ao salário do meu marido e à aposentadoria de Daiane. Até tentei trabalhar, mas permaneci apenas 15 dias no emprego. Não tem como deixá-la. Naquele período, quando voltei para casa, ela estava mal cuidada, às vezes até com cocô. E, para contratar uma enfermeira, o salário seria maior do que eu poderia ganhar em qualquer empresa. O jeito é ficar em casa, cuidar dela e dos outros filhos”, explica Rosangela.
Neste momento, a situação financeira da família é bastante complicada, devido ao financiamento habitacional e outras dívidas que fizeram para viabilizar a compra da casa própria. As despesas cabiam no bolso quando somadas às horas extras que o marido fazia na tinturaria onde trabalha. O benefício, no entanto, foi cortado há alguns meses e o dinheiro ficou pouco diante de tantas prestações. Por isso, Rosangela já planeja a venda do único carro da família, o que proporcionaria um alívio na consciência para quem nunca foi acostumado a viver endividado.
Sobre as despesas com comida, Rosangela garante que dá um jeito. Afinal, todos estão acostumados a almoçar e fazer lanche com aquilo que se tem em casa. Já roupas para os quatro filhos que não param de crescer ela ganha da comunidade, através de doações. Não sobra dinheiro para o lazer, então a família aproveita os parques da cidade. Sem cadeira de rodas, o jeito é a mãe ficar com a filha dentro do carro, enquanto os três irmãos mais novos esquecem um pouco da dureza da vida e se divertem entre balanços, gangorras e escorregas.
Esta história, que parece triste, se ilumina com o sorriso de Daiane. Ela fala com dificuldade, mas entende tudo o que acontece a sua volta. Os dias passam com um ou outro irmão sempre pendurado ao seu pescoço, oferecendo abraços afetuosos. Aliás, o amor que Denilson, Danilson e Dgenile têm pela irmã especial é algo que transborda, lindo de ver!

Eu ajudo na lata
O projeto social “Eu ajudo na lata” é uma ação da Unimed que, desde 2014, conta com a parceria da Associação Empresarial de Brusque (ACIBr). O objetivo é incentivar a doação de lacres de latas de alumínio, com vendas revertidas para a compra de cadeiras de rodas adaptadas. No ano passado, o projeto ganhou novos apoiadores e agora também fazem parte da iniciativa a Apae de Brusque e Guabiruba, Rede Feminina de Combate ao Câncer, Câmara de Dirigentes Lojistas, Rotary, Lions Berço da Fiação de Brusque e Unifebe. Os colégios Cônsul, Energia e São Luiz também passaram a inserir como tarefa de suas gincanas escolares a arrecadação de lacres de latinhas de refrigerante, o que aumentou consideravelmente o volume do material.
Na tarde desta segunda-feira, 15 de fevereiro, na sede da ACIBr, foi doada a terceira cadeira de rodas adaptada, beneficiando a jovem Daiane Cardoso Ribeiro, 17 anos, portadora de paralisia cerebral.
“O sentimento é de satisfação, de felicidade e de dever cumprido. A gente vê o trabalho de um ano inteiro concretizado com a doação de uma cadeira de rodas e isso é muito gratificante. Estar aqui presente, ver nos olhos da beneficiada a alegria de receber a cadeira, é ter a certeza de que todo esforço valeu à pena. Ações deste tipo parecem pequenas, mas com todas as parcerias e as ações na escola, elas acabam se tornando grandes. Então resta o agradecimento a todos que contribuíram na realização do projeto que continua em 2016”, avalia o gerente de marketing da Unimed Brusque, Alexandre Fagundes.
Para o presidente da ACIBr, Halisson Habitzreuter, a entrega da terceira cadeira de rodas adaptada é importante pela diferença que o benefício vai proporcionar na vida de Daiane. “O fator mais relevante é a capacidade e o poder de conscientização de todos, diante da viabilidade de ajudar quem precisa. A ACIBr, agindo assim, está dando exemplo e incentivando que outras empresas e entidades desenvolvam ações semelhantes em prol de quem precisa. O projeto “Eu ajudo na lata” continua e já pedimos a permanente doação dos lacres de refrigerante para a compra de mais cadeiras de rodas adaptadas”, salienta.

Leia +17/02/2016

Apresentação dos alunos da Apae de Brusque emociona o público na Tenda Cultural

Evento contou com apresentações do projeto 'Eu vou ao Circo' e de atividades culturais desenvolvidas pelos alunos do Cecon

Que o Circo é um lugar de risos e alegria, todo mundo sabe. Mas quando o picadeiro se transforma em um espaço de inclusão e superação dos próprios limites, a magia dele é ainda mais encantadora. Esse foi o cenário da Tenda Cultural de Brusque na noite da última quinta-feira, 10 de dezembro, com as apresentações de encerramento de final de ano, realizadas por aproximadamente 50 alunos da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque que fazem parte do Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon).
Dezenas de pessoas entre pais, amigos e familiares prestigiaram o evento, cheio de alegria e emoção, que contou com apresentações de trapézio, lira, dublagem de músicas, danças típica e contemporânea, Boi de Mamão, show de palhaços, interação com animais, e apresentação com todos os alunos, interpretada também em libras.
A cada passo, cambalhota e ação, os alunos demonstraram a superação dos próprios limites, provando que atividades culturais são enriquecedoras para o desenvolvimento físico e cognitivo, nas mais variadas formas. Um dos momentos mais especiais da noite foi a apresentação do aluno Marcelo Radatz, que acompanhado de um cachorro adestrado mostrou a beleza das expressões artísticas nos pequenos gestos.
“O que foi mostrado hoje é o resultado de uma evolução cada vez mais positiva e agradecemos ao trabalho feito pela diretoria, funcionários, voluntários, professores, e à comunidade que sempre nos prestigia. Este momento é a realização dos alunos, já que todos participaram das apresentações de alguma forma e sabemos que eles estão muito felizes com isso, por estar com os amigos e viver esse momento único”, declarou a integrante da diretoria da Apae de Brusque, Maria Tereza Moritz Montibeller, também irmã de Pierre Moritz, primeiro aluno da Apae de Brusque e do Estado de Santa Catarina.

Aplausos gratificantes
Entre os alunos, a ansiedade de entrar no palco era grande ates de cada apresentação. Com os trajes adequados, eles aguardavam ansiosos, atrás da tenda, pelo momento de entrarem no palco, como Jair Roque Parizzotto. “Foi ótimo ter participado. Estava ansioso, mas deu tudo certo. Ano que vem vou continuar”, afirmou com convicção o aluno que além das apresentações de dança também voou no trapézio.
Já na plateia, diversas famílias prestigiaram o espetáculo e aplaudiram com entusiasmo as apresentações, como Vera Steffen, irmã de Márcio Steffen, que há seis anos frequenta a Apae de Brusque. Emocionada, ela também falou a importância das atividades e da instituição para o desenvolvimento do irmão. “A Apae se tornou a segunda família dele. O Márcio tem dificuldade de fazer alguns movimentos, mas na apresentação ele se superou e ficamos ainda mais felizes em ver. Foi tudo maravilhoso e esse evento não foi apenas nota 10, mas sim, nota 1.000”, destacou Vera.

O projeto
Este foi o segundo ano que os alunos realizaram a apresentação de encerramento do projeto ‘Eu vou ao Circo’ que começou a ser desenvolvido em 2014. Ao todo, 15 alunos integram a ‘trupe’ e participam uma vez por semana das atividades circenses na teda. “Percebemos que os alunos tiveram um desenvolvimento bem amplo das habilidades intelectuais e motoras e queremos trabalhar cada vez mais com essas possibilidades, de forma lúdica, para que elas possam viver a realidade como qualquer outra pessoa. Este ano eles se superaram e isso é muito importante para o desenvolvimento deles”, explica a orientadora pedagógica, Elisa Pineda.
As apresentações da noite envolveram não só os alunos do projeto do circo, mas outros integrantes do Cecon que participaram de outras atividades feitas ao longo do ano. Para 2016, as expectativas da Apae de Brusque são de realizar ainda mais projetos, de inclusão, comunicação, também na área de libras.
Leia +21/12/2015

Crianças da APAE fazem encerramento de Natal no Espaço Kids

Uma manhã diferente, tão especial quanto os convidados desta festa. Nesta terça-feira, 8 de dezembro, no Espaço Kids (Schmitt Eventos), foi realizado o encontro de encerramento dos grupos de Estimulação Essencial e Serviço de Atendimento Educacional Especializado, do Centro de Prevenção e Atendimento Infantil Uni Duni Tê e do Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês, ambos mantidos pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Brusque.
Mais de 120 alunos e seus familiares puderam se divertir como nunca em cama-elástica, pula-pula, labirintos e escorregas. Os mais radicais se aventuraram em mini rodas-gigantes e outros brinquedos eletrônicos. Depois, foi servido um delicioso cachorro-quente, com refrigerante. Nega maluca, gelatina e sorvete como sobremesa! E quando parecia não caber mais felicidade dentro do coração destas crianças especiais, eis que surge o Papai Noel, com balas e presentes!
“Eles ficaram encantados. O que impressiona são mesmo os brinquedos, porque ninguém tem acesso a um parque como este todos os dias. Então ficamos muito satisfeitos com a parceria. A estrutura é incrível, muito segura e a cozinha foi suficiente para prepararmos o lanche”, explica a coordenadora da Clínica UniDuniTê, Valdete Battisti Archer.
Segundo ela, todas as crianças beneficiadas participam da estimulação essencial e apresentam riscos ou atrasos no desenvolvimento. Por conta disso, são submetidas a um trabalho mais específico, com duas aulas durante a semana.
Para a auxiliar administrativa do Espaço Kids, Michele de Limas, foi uma alegria presentear a Apae de Brusque com a cortesia do espaço. “Também contratamos recreadoras e pintura facial. Não custa quase nada para a gente e faz uma diferença enorme na vida deles. São pessoas que já enfrentam tantas dificuldades e que merecem um Natal mais feliz”, ressalta.
A APAE de Brusque agradece de coração por esta belíssima parceria e deseja um Feliz Natal e um feliz Ano Novo a todos!!
Leia +09/12/2015

Apae de Brusque realiza do 1º Torneio de Jogos Internos da entidade

Torcidas a cada ponto marcado no jogo de Vôlei, animação nos arremessos à cesta do Basquete e concentração em cada bola jogada para acertar a Bocha. Assim foi a segunda-feira, 7 de dezembro, para cerca de 80 alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque que participaram do 1º Torneio de Jogos Internos da entidade. Ao longo de todo o dia, os alunos que frequentam o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI) participaram do evento, que contou com as disputas das modalidades de Vôlei Misto, Bocha Mista, Tênis de Mesa – masculino e feminino, Basquete/Cesta – masculino e feminino, e Aero Hockey.

Estímulo

O objetivo das competições foi estimular a prática esportiva entre os alunos e valorizar as atividades que eles desenvolvem ao longo do ano. Além disso, também serviu de incentivo para que mais alunos da Apae possam participar de eventos esportivos externos, como as Olimpíadas das Apaes de Santa Catarina. “Foi para mostrar que todos eles também têm chance e são capazes de praticar alguma modalidade esportiva, sem contar na interação e alegria deles em terem participado. Esse evento foi o primeiro, mas já faz parte do nosso calendário nos próximos anos, onde devemos ampliar não só as modalidades, mas também o número de participantes”, comentou a professora de educação física da Apae de Brusque, Maria Lucélia Joenck.

Com a vitória nas disputas, os alunos vencedores comemoram o desempenho e as conquistas com direito a subida do podium e medalhas para os primeiros lugares. Jaqueline da Silva foi uma das que participou dos jogos e ao longo de todo o dia esteve junto com os amigos – seja torcendo por eles em outros jogos ou concentrada nas competições. “É muito legal participar de um evento assim, onde podemos praticar as atividades, nos exercitar e estar com os nossos amigos. Foi um dia diferente e espero que tenha mais vezes”, comentou. Ao final do dia, nos resultados finais, ela conquistou o 1º lugar no Aero Rockey Feminino e além da medalha levou para casa um imenso sorriso no rosto e um orgulho gigante no peito.

Confira a classificação nas modalidades:
-Tênis de mesa Masculino
1º lugar – Everton
2º lugar – João
3º lugar - Felix

-Aero Hockey Masculino
1º lugar – André Cesari
2º lugar – André Schimit
3º lugar– Leomar

- Aero Rockey Feminino
1º lugar – Jaqueline
2º lugar – Maria Cristina
3º lugar – Marcia

-Cesta Basquete masculino
1º lugar – Mateus
2º lugar – Rodrigo
3º lugar – Jean Barni

-Cesta Basquete Feminino
1º lugar – Sandra
2º lugar – Susi
3º lugar – Camila

-Bocha Mista
1º lugar – João, Jair e Marli (Equipe Cecon)
2º lugar – Marcos, Jair Somensi e Marcia Marcos (Equipe Cecon)
3º lugar – Viviane Voss, Ronaldo e Everton (Equipe ISI)

-Vôlei Misto
1º lugar – Ronaldo, Lucas, Rafael, Maria, Jaqueline e Maikol
2º lugar – Rodrigo, Fabio, Luiz, Marisa, Patricia e Everton
3º lugar – Gian, Jhones, Roberto, Sebastião, Rochelle e Marcia.

Leia +08/12/2015

Alunos da Apae de Brusque compram presentes de Natal com valores arrecadados ao longo do ano

A manhã e a tarde de quarta-feira, 2 de dezembro, foi diferente para um grupo de 21 alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque. Ao invés de realizarem as atividades rotineiras na instituição, as turmas das Oficinas de Tapeçaria e de Papel reciclado estiveram em duas lojas do comércio de Brusque para uma importante missão: comprar seus presentes de Natal. Os itens foram adquiridos pelos alunos com os recursos arrecadados ao longo do ano, resultado das vendas de tapetes e de papéis produzidos por eles e que foram divididos entre a turma. “Conversamos com os alunos e resolvemos em conjunto que metade do valor seria usada na recente viagem a Florianópolis, onde realizaram o sonho de se hospedar em um hotel. Já os outros 50% foi dividido entre eles para que cada um pudesse comprar, com o fruto do seu esforço e trabalho, algo que estivesse precisando ou que gostaria de adquirir”, explicou a professora da parte pedagógica das oficinas, Joice Diegoli.

Lista grande
Assim, com lista na mão e uma cesta de compras em outra, os alunos foram no período da manhã em uma loja de departamento, onde puderam comprar roupas, calçados e acessórios. Jaqueline da Silva, de 24 anos, foi uma das que encheu a cestinha com os itens que ela precisava, desde blusas até enfeite para o cabelo, sem se esquecer do presente de ‘amigo secreto’ da turma. “É muito bom poder fazer isso: trabalhar o ano todo e poder comprar o que precisamos agora. Estou muito feliz e já garanti o presente do meu amigo também”, declarou.
Da mesma forma, André Schmitz, 30 anos, não desperdiçava o sorriso no rosto enquanto escolhia camisetas e bermudas, e assim como os outros colegas pretende se esforçar ainda mais em 2016 para poder comprar presentes com o resultado do seu trabalho. “Valeu muito a pena o esforço que tivemos este ano e é muito bom vermos os colegas felizes também. Queremos trabalhar ainda mais agora para poder ter mais uma oportunidade assim”, declarou.

Celulares e aparelhos eletrônicos
No período da tarde, o destino dos alunos foi uma loja de eletrônicos, onde puderam adquirir aparelhos celulares e diversos outros itens. “É um prazer enorme poder trazê-los aqui hoje, pois eles se esforçaram, dedicaram e ajudaram uns aos outros. Eles trabalharam muito e o resultado inclusive superou as nossas expectativas de vendas. Ver os olhos e os sorrisos deles fazendo compras, e em alguns casos sabendo que esse será o único presente de Natal de alguns deles, é gratificante”, comentou a professora das aulas práticas das oficinas, Marilde Staack.
Para o próximo ano, as expectativas do grupo é que mais belas peças possam ser feitas e valorizadas pela comunidade. “Agradecemos toda a população de Brusque e de outras cidades que viram nossas produções deste ano, compraram e compartilharam conosco esse tão importante trabalho. Para 2016 queremos aumentar as quantidades, qualificar, trazer novos produtos, novas cores, enfim, a ideia é crescer cada vez mais”, acrescentou Joice.
Leia +03/12/2015

Alunos da Apae de Brusque realizam viagem para capital catarinense

A chuva fina e intensa que caiu na manhã de terça-feira, 17 de novembro, não foi empecilho para desanimar o grupo de 22 alunos da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque que saíram da entidade com destino à Florianópolis, até esta quarta-feira, 18. A viagem faz parte da programação das turmas de produção e do apoio pedagógico e foi realizada com os recursos adquiridos ao longo de 2015 da venda dos produtos feitos pelos dois grupos de alunos nas oficinas de Papel Reciclado e Tapeçaria. “Todos os anos fazemos algo para eles com os valores arrecadados, o que é ainda mais especial, pois é uma forma de proporcionarmos um momento de lazer e descontração, mas também para valorizar o trabalho desenvolvido por cada um que faz parte das oficinas ao longo do ano”, comentou a professora Joice Diegoli.

Cronograma
Na programação, os alunos conheceram diversos lugares, como o Parque Estadual Rio Vermelho, o Beira Mar Shopping, além de símbolos de cartões-postais da ilha, como a Lagoa da Conceição, as Dunas e a Praia da Joaquina.
Passeios para outros locais já haviam sido realizados outros anos, entretanto dessa vez a viagem será diferente, já que para muitos foi a primeira vez em que eles ficaram hospedados em um hotel. “Eles estão muito empolgados e para nós, enquanto professores é muito bom poder participar da realização de um sonho deles”, acrescentou na oportunidade Joice.

Sonho realizado
Entre os que embarcaram com malas e sorrisos irradiantes, estava a aluna Márcia Fernandes Teixeira, de 35 anos. Ela é uma das que integra o grupo e que nunca havia ficado em um hotel. “Acho que vai ser muito bom. Estou muito feliz, principalmente porque produzimos muito para conseguirmos essa viagem. Valeu muito a pena e agora é só aproveitar”, revelou ela ao entrar no ônibus com os outros colegas.
Para a diretora da Apae de Brusque, Sandra Helena Almeida, a vigem irá proporcionar inúmeros benefícios aos usuários da Apae e contribuir para a melhoria do desenvolvimento de cada um. “O objetivo principal é fazer com que eles também tenham autonomia, além da convivência em grupo, da experiência em visitar lugares diferentes e também porque alguns estão saindo de casa pela primeira vez, longe dos pais. E toda essa vivência só vem a contribuir para a vida deles”, completou.

Os 22 alunos foram acompanhados também por dois voluntários, um psicólogo, dois motoristas e pelas professoras Joice Diegoli e Marilde Staack.

Leia +23/11/2015

Empresa entrega mais de 800 litros em produtos de limpeza para entidades assistenciais de Brusque

Entre os dias 3 e 25 de setembro foi realizada na empresa de moda íntima linha noite Mensageiro dos Sonhos – RC Conti uma campanha de arrecadação de materiais de limpeza e higiene pessoal com o objetivo de ajudar duas entidades assistenciais brusquenses: Lar Menino Deus e Apae. A ação era uma das tarefas do 2º Workshop Interno para os colaboradores da empresa, evento desenvolvido para proporcionar treinamento e novos conhecimentos, além de gerar integração entre os setores da fábrica. Ao todo 42 colaboradores participaram da atividade, porém muitas pessoas da comunidade, fornecedores e parceiros da empresa foram envolvidos na campanha e acabaram colaborando com a arrecadação dos materiais. Para a diretora Rita Cassia Conti, “mesmo em tempos de crise é importante desenvolver habilidades, por isso resolvemos promover nossos talentos através deste workshop, que entre outras capacidades, desenvolveu a solidariedade através das doações”, afirma. A campanha foi organizada pela direção da empresa, pelo coordenador de recursos humanos Jorge Marcos, pelo professor de educação física e responsável pela ginástica laboral Renan Corrêa, e pelo consultor Adilson da Silva. “O objetivo era fazer com que nossos colaboradores trabalhassem a solidariedade, o relacionamento e o comportamento, e pudessem levar esses conceitos para o ambiente de trabalho e para a vida”, ressalta Jorge.
A entrega dos materiais foi realizada na tarde desta terça-feira, 29, nas duas instituições.

Confira a lista de produtos arrecadados:

833,5 litros (álcool, sabonete líquido, amaciante, detergente de roupas líquido, detergente de louça, desinfetante, água sanitária e saponáceo)
14 KG de detergente em pó para roupas
162 unidades de esponja para louças
476 rolos de papel higiênico
17 pares de luvas para limpeza
500 unidades de luvas cirúrgicas
Leia +29/09/2015

Alunos da APAE de Brusque são campeões em duas modalidades nas XX Olimpíadas da APAES/SC

Entre os dias 14 a 18 de setembro, 13 alunos da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque participaram da 20ª edição das Olimpíadas Estaduais das Apaes de Santa Catarina. Realizada em Criciúma, o evento reuniu 15 delegações compostas por cerca de mil apaeanos, entre alunos e professores, das 196 Apaes que atendem 295 municípios catarinenses. A equipe de Brusque mostrou o excelente desempenho nas disputas e voltou para a casa com sorrisos largos no rosto e medalhas no peito, com as conquistas do primeiro lugar na Natação e o título de equipe campeã no Basquetebol Masculino.
Além disso, os alunos da Apae de Brusque garantiram o segundo lugar no Salto em Altura, na Bocha Paraolímpica e também a quarta colocação na Bocha Rafa, fazendo da entidade um dos destaques nos jogos.

“Para toda a nossa entidade foi uma alegria muito grande ver mais uma conquista dos nossos alunos, que é fruto do excelente trabalho desenvolvido pelos professores e também do desempenho de cada um dos nossos atletas. Além disso, sabemos que o esforço de cada um deles e a alegria em conquistarem mais uma medalha também foi uma grande responsabilidade já que representamos o Vale do Itajaí a competição. Estamos muito orgulhosos e felizes”, declarou o presidente da Apae de Brusque, Sebastião Ernani Póia.

Acompanharam os alunos os professores de educação física da entidade: Joice Vilma Borinelli Diegoli, Maria Lucélia Joenck, Helton Horner. A partir de agora os alunos já retomam suas atividades normais, se preparando para a próxima edição das Olimpíadas em 2016.

Confira a classificação da Apae de Brusque das XX Olimpíadas das APAEs:
*Everton Guimarães Mass – Salto em altura 2º lugar;
*Viviane aparecida Voss – Bocha Paraolimpica BC2 2º lugar;
*Maria Cristina Cugik – Natação 1ª lugar 25, 50 livre e 25m Costa;
* André Schimitz - Bocha Rafa 4º lugar;

*Basquetebol 1º lugar. Alunos:
Gian Carlos dos Santos
Sebastião Gomes neto;
Jhones da Silva Bueno
Maikol Charles da silva
Ronaldo da Silva
Rodrigo lima de Oliveira;
Luiz Carlos Alves Fernandes;
Fabio Luiz da Silva
Leonardo Celso Amâncio;


Saiba mais
A 20ª edição das Olimpíadas Estaduais das APAEs foi realizada pela Federação Catarinense das Apaes, Apae de Criciúma, Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina e Prefeitura de Criciúma, através da Fundação Municipal de Esportes (FME). A competição contou com as modalidades de atletismo, basquetebol, bocha (raffa vollo e paraolímpica), handebol, futsal e tênis de mesa. As disputas foram realizadas na Sociedade Recreativa Mampituba, Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina (Satc), Ginásio Municipal Irmão Valmir Orsi e Pavilhão de Exposições José Ijair Conti.
Leia +22/09/2015

Apae de Brusque é homenageada na Assembléia Legislativa nesta quarta-feira

A Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Brusque participa nesta quarta-feira, 16 de setembro, da sessão especial da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc), em comemoração aos 60 anos da entidade que é a primeira a ser fundada no estado de Santa Catarina e a segunda do país.
Alunos, professores, integrantes da diretoria e colaboradores da instituição participarão do evento, que será realizado no Plenário Deputado Osni Régis, em Florianópolis, às 19 horas. Além da Apae de Brusque, serão homenageadas ainda as Apaes de Joinville, Blumenau e Lages, pela passagem dos 50 anos dessas entidades. A indicação para a homenagem foi feita pelo deputado estadual José Nei Alberton Ascari (PSD).

“Essa homenagem é muito especial para a Apae de Brusque, pois reconhece o trabalho pioneiro no estado feito pela entidade ao longo desses 60 anos. Além disso, o ato também reconhece as demais ações pioneiras da entidade, como o teste do pezinho e da orelhinha que são oferecido hoje de forma gratuita pela instituição. Estamos muito felizes com esse reconhecimento, que com certeza nos motiva a continuarmos com esse trabalho voluntário em prol da entidade”, comenta o presidente da Apae de Brusque Sebastião Ernani Póia.

Conheça mais sobre a Apae de Brusque
Fundada em 14 de setembro de 1955 por dr. Carlos Moritz e dona Ruth de Sá Moritz (in memorium), pais do aluno mais antigo da instituição, Pierre Moritz, a Apae de Brusque é a primeira formada em Santa Catarina e a segunda do país, com mais 270 estudantes.
A Apae Brusque oferece atendimento gratuito em todas as suas frentes de atuação. Atualmente, três unidades integram entidade: a Clínica Uni Duni Tê, e o Centro de Convivência Rute de Sá (Cecon) e o Centro Educacional e Profissionalizante Santa Inês (ISI). Ao longo da trajetória da Apae, pais e amigos se juntaram à caminhada e contribuem de forma permanente, visando o fortalecimento da instituição e a qualidade dos serviços prestados.